<
>

Histórico goleiro do Corinthians e primeiro a usar luvas no Brasil, Cabeção morre aos 89 anos

play
Novo técnico do Corinthians, Tiago Nunes projeta jogo duro na Libertadores: 'Fundamental importância' (0:33)

Alvinegro precisa vencer para chegar à fase de grupos do torneio (0:33)

Eternizado na história do futebol brasileiro como Cabeção e um dos grandes ídolos do Corinthians, Luiz Moraes morreu nesta segunda-feira, em São Paulo, segundo informou o clube paulistano em nota oficial. A causa e o local da morte não foram informados pela família.

Ele foi criado dentro do clube alvinegro juntamente com Roberto Belangero e Luizinho, o Pequeno Polegar. Juntos, eles formaram ao lado de Gilmar dos Santos Neves (o goleiro com quem Cabeção disputava a posição), Cláudio e Baltazar uma das gerações mais vitoriosas do Corinthians.

O ex-arqueiro venceu duas edições do extinto Torneio Rio São Paulo (1953 e 1954) e três do Campeonato Paulista (1951, 1952 e 1954). Este último ficou marcado por ter iniciado no ano do IV centenário de fundação da cidade de São Paulo. Na época, a imprensa dizia que o dono do título seria "reconhecido por cem anos".

Cabeção também foi campeão da Pequena Taça do Mundo em 1953, nome oficial da Copa Marcos Pérez Jiménez, um torneio internacional realizado na Venezuela. Apesar de a disputa não ser reconhecida pela Fifa, foi o primeiro troféu internacional de relevância vencido pelo Corinthians.

A edição contou com a participação da Roma, do Barcelona e de uma seleção da cidade de Caracas. O time alvinegro venceu os seis jogos.

Cabeção fez 326 partidas pelo Corinthians entre 1949 e 1966, o que faz dele o quarto goleiro com mais jogos pelo clube. Como a disputa pela posição era acirrada com Gilmar dos Santos Neves, ele acabou defendendo equipes como Bangu, Portuguesa e Comercial (extinto clube da capital paulista) por empréstimo.

Já nos anos 60 acabou jogando por Juventus e Portuguesa Santista, depois de se despedir do Corinthians em 1966, mesmo ano em que Garrincha chegou ao Parque São Jorge. Nas décadas seguintes trabalhou como assistente técnico dentro da base corintiana.

Para a história do futebol nacional, ele ficou marcado como um dos goleiros da Copa do Mundo de 1954 (era reserva de Castilho) e campeão do Campeonato Sul-Americano de 1953, no Chile. Foi também o primeiro goleiro a usar luvas, ainda nos anos 50. Material que não era nada usual para os jogadores da posição.

Morava perto da sede do Corinthians, na rua São Jorge, mas nos últimos anos ficou recluso. Pouco saia ou recebia visitantes. Também não frequentava mais o Parque São Jorge, embora ainda tivesse o título de sócio do clube.

Confira a nota oficial do Corinthians

O Sport Club Corinthians Paulista informa com pesar o falecimento do ex-goleiro Luiz Morais, o Cabeção, que atuou pelo clube em 326 partidas, de 1949 a 1966.

Neste momento de consternação, o clube se solidariza aos familiares e amigos. O corpo será velado no cemitério da Quarta Parada, situado na Av. Salim Farah Maluf, 3303 - Água Rasa, São Paulo, e o enterro será às 17h desta segunda-feira (06) no mesmo local.

Vestindo a camisa do Timão, Cabeção foi Campeão paulista (1951 e 1954) e também conquistou o Torneio Rio-São Paulo (1953/54).