<
>

Manchester City: Bernardo Silva escreve carta à FA após acusação de racismo com Mendy no Twitter

Segundo apurou a ESPN, o meia Bernardo Silva escreveu uma carta à FA (Associação de Futebol da Inglaterra) se dizendo arrependido e afirmando que não quis ofender ninguém com o polêmico tuíte que postou na última segunda-feira, em que foi acusado de ser racista com o lateral esquerdo Benjamin Mendy.

A carta de Silva é parte do plano do Manchester City para livra a barra do atleta, depois que a FA interpelou os Citizens por conta da imagem publicada pelo português, em que ele comparou uma foto de Mendy quando jovem ao mascote da marca espanhola de chocolates Conguitos.

Fontes ainda disseram à ESPN que Mendy também escreveu uma carta de apoio a Bernardo Silva, que pode ser suspenso por seis jogos na Premier League se for considerado culpado por racismo.

Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, o técnico do City, Josep Guardiola, defendeu o meio-campista, mas garantiu que episódios semelhantes não voltarão a acontecer.

"Sobre Bernardo, serei bastante claro: se eles (FA) acham que Bernardo é esse tipo de pessoa (racista), eles estão completamente enganados", afirmou.

"Eles estão julgando em cima de uma piada, mas eu julgo em cima do que vejo todo dia e de como ele é. Nós julgamos intenções, e eu sei qual foi a intenção de Bernardo. Foi apenas uma brincadeira", acrescentou.

"Se alguém se ofendeu, eu consigo entender completamente. Bernardo aprendeu a lição, e isso não acontecerá novamente", complementou.

A FA também está investigando um post feito por Silva em 2018, em seu Instagram, em que ele faz outras piadas com Mendy em um vídeo.

Na última segunda, a "Kick It Out", organização famosa na Inglaterra por sua luta pela igualdade no futebol, se manifestou sobre o assunto.

“Estamos extremamente desapontados em ver o tweet postado por Bernardo Silva, que já foi deletado. Estereótipos racistas nunca são aceitáveis como brincadeira, e estamos chocados que alguém que é um exemplo para milhões não conseguiu entender a natureza discriminatória de seu post”, publicou.

“A FA (federação inglesa) já foi notificada e acreditamos que uma ação deveria ser tomada, incluindo uma educação obrigatória, que é vital para confrontar um comportamento ofensivo como esse”, pediu.