<
>

Mariano, campeão brasileiro com o Fluminense, revela tensão com terremoto e relembra 'momento' com ex-São Paulo e Muslera

play
Falcao, novo reforço do Galatasaray, 'perdeu muito tempo no Monaco', segundo Gian Oddi (1:19)

O atacante colombiano, que também passou pelo Chelsea, foi recebido com muita festa em sua apresentação ao time da Turquia (1:19)

Mariano viveu momentos turbulentos nesta última quinta-feira. Um terremoto de 5,8 graus na escala Rochter atingiu a cidade de Istambul, na Turquia, mas não causou danos maiores no localidade. Na sua 3ª temporada atuando pelo Galatsaray, o lateral-direito viveu pela primeira vez o fenômeno da natureza.

"Deu um barulho, achei que era o vizinho do andar de cima, aí o chão tremeu. Meu pensamento na hora foi pegar minha filha que estava atrás do sofá. Nunca tinha passado por isso", revelou em entrevista ao ESPN.com.br.

O terremoto atingiu a cidade turca por volta das 13h59 no horário local (7h59 da manhã no horário de Brasília) e deixou muitos moradores assustados. Mariano ia sair para jantar com a família quando o susto aconteceu.

"Tinha acabado de chegar do treino e minha esposa estava se arrumando quando sentimos o tremor. Ela se assustou demais".

Mas o susto foi só na hora. O ex-jogador do Fluminense, campeão brasileiro em 2010, vive mais um ano na Turquia. Após chegar ao Galatasaray em 2017/18, o jogador virou referência para a torcida apaixonada do clube.

"Quando soube que iria para o Galatasaray, foi um pouco estranho. Não conhecida nada da Turquia. Quando vocês está no Brasil, só ouve de terrorismo no país. Foi difícil convencer minha família, mas a proposta era boa financeiramente", comentou.

O lateral passara as duas temporadas anteriores no Sevilla, logo após sua sólida passagem pelo Bordeaux, da França, onde fez mais de 140 jogos.

Calor logo no aeroporto

Quando Mariano desembarcou em Istambul, não esperava tanta badalação. Cerca de 30 torcedores esperavam o novo contratado com faixas, empolgação e gritos.

A resposta de Mariano em campo foi como a dos torcedores no aeroporto. Em duas temporadas pelo clube, já foram quatro títulos conquistados: dois campeonatos nacionais, Copa da Turquia e Supercopa.

"A pressão é que nem no Brasil, quando se ganha tem muito apoio e quando se perde, te criticam. Ainda bem que só vivi momentos bons aqui", falou o jogador.

"Desde que cheguei no clube, não perdemos em casa pelo campeonato turco, é um privilégio, um grande feito. A experiência tem sido ótimo, tirando o terremoto (risos)", brincou Mariano.

Mas rolou brincadeiras também no vestiário. Mariano teve sua primeira residência na Turquia no mesmo condomínio de Maicon, zagueiro ex-São Paulo, e Muslera, ídolo da torcida local.

"A gente sempre ia no mesmo carro treinar. Um dia eu dirigia, no outro o Maicon, e no seguinte o Muslera. Ainda uma vez tinham muitos torcedores na frente do CT. Fingi que estava dormindo, porque não queria dar autógrafos naquele momento. Os caras abriram o vidro de trás e os torcedores me filmaram. Fui zoado pra caramba e por muito tempo como o jogador que 'fingia que estava dormindo", relembrou.

"Maior clássico que já vivi"

Atualmente na 7ª posição, o Galatasaray tem clássico no sábado (28), às 14h, contra o Fenerbahce. Com dois pontos a menos que o maior rival, Mariano quer a vitória para encostar nos líderes.

"Se ganharmos, dá uma confiança muito grande para a Champions, que temos jogo na próxima semana contra o PSG", comentou.

Com dois clássicos no currículo, o lateral não hesita em colocar o confronto turco como o maior 'dérbi' que já vivenciou.

"A experiência é única, parece que vai ser o 1º, dá um frio na barriga. As torcidas são muito fanáticas e a cidade para. Eles vão no treino, nos incentivam. Em termos de emoção, adrenalina e atmosfera, é o maior clássico que vivi", analisou.

Com 33 anos e a oito fora do Brasil, Mariano não descarta uma volta ao país, mas sem colocar prazo e nem clube de preferência.

"Penso em voltar pela minha família que gosta muito do Brasil. Temos muitos times grandes no país. Claro que o Fluminense me marcou, pelo título e também pelo carinho da torcida, mas a gente nunca sabe, deixo tudo em aberto", revelou.

Com um terremoto e vários clássicos na bagagem, Mariano quer mais. Quer fazer mais história com a camisa do Galatasaray.