<
>

Nova Champions League: veja quais são as três ideias de formato para a competição

play
Seleção dos mais caros da Champions tem trio de 530 milhões de euros no ataque; veja titulares e reservas (2:00)

A equipe principal atua no 4-3-3, com Oblak; Alexander-Arnold, Van Dijk, De Ligt e Lucas Hernández; Kanté, De Bruyne e Messi; Mbappé, Neymar e Kane. Cristiano Ronaldo, que vale 90 milhões, não aparece nem entre os suplentes. (2:00)

O futebol europeu já se prepara para definir o novo formato que a Champions League passará a adotar a partir de 2024-25, e o jornal As levantou quais são as três possibilidades atuais.

Um deles é o elaborado pela Associação de Clubes Europeus, que prioriza os principais times do continente. Já o Copenhagen, com a colaboração do Ajax e do Celtic, apresentou uma alternativa. Há também uma proposta de um ‘sistema suíço’ que foi revelada pela agência AP.

Antes disso, haverá uma terceira competição a ser incluída no calendário. Uma segunda Liga Europa seria disputada a partir de 2021.

Associação de Clubes Europeus

Este formato contemplaria três divisões de uma superliga europeia com um sistema misto de promoções e rebaixamento via própria competição, assim como por meio das ligas nacionais.

Na edição inaugural, os 32 participantes seriam selecionados com um critério histórico. Na segunda edição, 24 equipes se manteriam da edição anterior, quatro seriam promovidos do segundo escalão, enquanto que outros quatro seriam equipes que foram campeões nacionais em países sem vaga fixa.

Na segunda divisão, 12 das 32 vagas seriam baseadas no desempenho na superliga anterior. Os demais 20 postos seriam preenchidos de acordo com a performance nos campeonatos nacionais. Já na terceira divisão, as 64 vagas seriam definidas por meio das ligas domésticas.

A ideia do Copenhagen

Os classificados diretamente à fase de grupos seriam reduzidos de 26 a 20. Cada campeonato teria um número pré-estabelecido de vagas, mas não ficaria determinado em que fase entraria. A posição de cada time no ranking da Uefa é o que definiria o estágio em que cada um entraria.

De todos os classificados ao torneio, os 20 como melhor posição no ranking da Uefa estariam na fase de grupos. O posicionamento de cada clube na lista também determinaria em qual fase prévia estaria cada um. Destas etapas preliminares sairiam os 12 demais classificados.

O 'sistema suíço'

Haveria uma classificação geral de 32 times participantes. Ou seja, nada de fase de grupos. Os times não jogariam contra todos, mas cada equipe atuaria entre oito e 14 partidas. Os oito primeiros se classificariam às oitavas de final e já iriam confirmar sua participação na edição seguinte. Os times entre nono e 24º disputariam uma nova fase para definir os outros oito classificados.

Liga Europa 2

Enquanto se discute a nova Champions, há também a ideia de uma segunda Liga Europa a partir de 2021, fazendo com que o número de equipes que disputam uma competição continental - sem contar as fases preliminares - salte de 80 para 96. Com isso, teria maior espaço para clubes de ligas menores. Seriam 34 países garantidos em torneios europeus, em vez dos 26 atuais.

A mudança influenciaria a Liga Europa, que teria seu número de participantes reduzidos de 40 para 32.