<
>

Boca investe metade do que Cruzeiro pagaria, compra atacante e impõe multa milionária

play
De Rossi reforça sonho que tinha em jogar pelo Boca, compara à Roma e define o que é seu novo clube (1:45)

Italiano fará sua estreia com a camisa do time pela Copa Libertadores (1:45)

Na última segunda-feira, o Boca Juniors acertou os últimos detalhes da compra em definitivo de 100% dos direitos de Ramón Ábila.

Os argentinos já haviam adquirido metade do atacante em 2017, e nesta semana compraram o que faltava por 1,95 milhão de dólares ao Huracán.

Com a saída de Benedetto para o Olympique de Marselha, o jogador de 29 anos se tornou fundamental no ataque dos xeneizes e com essa "renovação" no contrato, além da melhoria do salário, Ábila ainda tem uma multa rescisória bem alta, com o número característico de sua carreira: 17 (com alguns zeros a mais).

Isso mesmo, para tirar o jogador do Boca antes de 2022, quando se encerra seu contrato, seria necessário desembolsar 17 milhões de dólares (R$ 69 milhões)!

E o que isso tem com o Cruzeiro?

Em 2017, os mineiros passaram muito perto de pagar praticamente o dobro do que o Boca pagou atualmente por metade de Ábila.

Quando seguiu a caminho de Buenos Aires há dois anos, o jogador "livrou" o Cruzeiro de pagar 4 milhões de dólares (cerca de R$ 12,5 milhões de reais) ao Huracán por conta de uma cláusula no contrato assinado pelas equipes em que os brasileiros seriam, literalmente, obrigados a pagar 50% do atleta até dezembro de 2017.

A ida para o Boca encerrou essa cláusula.

E dois anos depois, os argentinos pagaram bem menos por metade dos direitos do atacante, o que, além de tudo, totalizou sua compra em definitivo.