<
>

Kannemann é expulso, Athletico-PR vence o Grêmio nos pênaltis e vai à final da Copa do Brasil

Depois dos 2 a 0 a favor do Grêmio em Porto Alegre, o Athletico Paranaense devolveu o placar no jogo de volta das semifinais da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, na Arena da Baixada.

Na disputa de pênaltis, brilhou a estrela de Santos, que defendeu a cobrança de Pepê, a única perdida no embate, e classificou o time da casa.

Logo nos primeiros minutos, o Grêmio reclamou de um pênalti não assinalado pelo árbitro. Geromel cabeceou a bola numa cobrança de falta a favor dos tricolores, a bola resvalou na mão de Wellington, o juiz foi ver o lance no VAR, mas não marcou a penalidade.

E o Athletico abriu o placar aos 17 minutos de jogo, com Nikão. O time se manteve melhor na partida, voltou superior no segundo tempo e ampliou com Marco Ruben, aos 4 da etapa final.

A vida do Grêmio ficou pior quando Kannemann foi expulso por uma falta violentíssima aos 15 minutos do segundo tempo. O zagueiro argentino recebeu cartão vermelho direto.

O Athletico, vice-campeão em 2013, segue almejando a inédita taça. Agora, a equipe de Tiago Nunes espera o vencedor do confronto de logo mais, entre Internacional e Cruzeiro, no Beira-Rio. Os gaúchos têm a vantagem após triunfarem por 1 a 0 fora de casa.

Além da oportunidade de escrever o nome na história, o torneio proporciona uma premiação milionária. Ademais os R$ 12 milhões já recebidos até a semifinal, o vencedor embolsa outros R$ 52 milhões. O vice leva mais R$ 21 milhões.

O Grêmio, por sua vez, cai na primeira competição de mata-mata no ano. Campeão estadual, o time de Renato Gaúcho direciona suas atenções para a Copa Libertadores, onde enfrenta o Flamengo na semifinal, além do Campeonato Brasileiro, competição em ocupa apenas a 11ª colocação, com 22 pontos.

Intenso, Athletico-PR sai na frente no primeiro tempo

Em um começo de partida frenético e brigado, o Athletico-PR se safou de um pênalti. Após cobrança de escanteio, Pedro Geromel cabeceou e a bola foi em direção ao braço de Wellington, que aparentava estar com um olho fechado no momento do toque. Avisado pelo VAR, o árbitro de campo utilizou o recurso de vídeo, mas optou por não assinalar a infração.

Sem se abater com o susto, o Athletico-PR manteve o ritmo alucinante e abriu o placar aos 16 minutos. Com o lateral-direito Leonardo fora por lesão, Rony caiu pelo setor defensivo do Grêmio e cruzou para trás. Bruno Guimarães carimbou no travessão e Nikão, no rebote, mandou para a rede, transformando a Arena da Baixada em um caldeirão.

Aproveitando a empolgação de sua torcida e um Grêmio abalado, os paranaenses encurralaram o adversário na defesa e seguiram pressionando por toda a primeira etapa. Apesar da superioridade, o time da casa não voltou a construir chances claras de gol para aumentar a vantagem.

Athletico-PR faz mais um e leva a decisão para os pênaltis

O cenário não poderia ser melhor para o Athletico-PR no início da etapa complementar. Logo aos três minutos, Rony, sempre ele, foi acionado pela esquerda e cruzou para a área, onde Marco Ruben se antecipou a Pedro Geromel e cabeceou com estilo para marcar mais um a favor dos mandantes.

Com o 2 a 0 contra e a partida indo para os pênaltis, o Grêmio adiantou a linha de marcação, foi para o ataque e acabou contragolpeado. Depois de Matheus Henrique perder a bola, Léo Cittadini arrancou e foi brecado com violência por Kannemann. Sem precisar nem consultar o VAR, o árbitro expulsou direto o zagueiro gremista.

Diante desse cenário, Renato Gaúcho sacrificou André e colocou David Braz para recompor o sistema defensivo. O defensor, inclusive, proporcionou uma empolgação momentânea ao torcedor quando marcou de cabeça. O árbitro de vídeo, porém, entrou em ação e anulou o tento por impedimento.

Tiago Nunes, por outro lado, avançou a equipe ao tirar o volante Wellington e colocar o atacante Marcelo Cirino. Apesar da postura ofensiva e dominante, o Athletico quase foi surpreendido nos minutos finais, quando David Braz fez boa jogada e cruzou para a área, local em que Marco Ruben mandou contra o patrimônio e viu Santos salvar sua pele, levando a decisão para os pênaltis.

Na marca da cal, o Athletico-PR vai à final

Nos pênaltis, Bruno Guimarães, Lucho González, Nikão, Marcelo Cirino e Marco Ruben fizeram para o Athletico-PR, enquanto Rafael Galhardo, David Braz, Alisson e Matheus Henrique converteram para o Grêmio. Na última cobrança, Pepê parou em Santos, que colocou o time da casa na final da Copa do Brasil pela segunda vez na história.

FICHA TÉCNICA:
ATHLETICO-PR 2 (5) x (4) 0 GRÊMIO

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 4 de setembro de 2019 (quarta-feira)
Horário: 19 horas (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
Assistentes: Kleber Lucio Gil (SC) e Bruno Raphael Pires (GO)
VAR: Braulio da Silva Machado (SC)
Cartões amarelos: Marco Ruben, Marcelo Cirino e Lucas Halter (CAP). Rômulo (GRE)
Cartão vermelho: Kannemann (GRE)
GOLS: ATHLETICO-PR: Nikão, aos 16 minutos do 1°T, e Marco Ruben, aos cinco minutos do 2°T.

ATHLETICO-PR: Santos; Khellven, Robson Bambu, Lucas Halter e Márcio Azevedo; Wellington (Marcelo Cirino), Léo Cittadini (Lucho González) e Bruno Guimarães; Nikão, Rony (Vitinho) e Marco Ruben. Técnico: Tiago Nunes

GRÊMIO: Paulo Victor; Leonardo (Rafael Galhardo), Geromel, Kannemann e Cortez; Matheus Henrique, Rômulo, Alisson, Jean Pyerre (Thaciano) e Pepê; André (David Braz). Técnico: Renato Gaúcho