<
>

Palmeiras: Conselho marca reunião sobre 'caso Blackstar', que investiga Paulo Nobre e Genaro Marino

O presidente do Conselho Deliberativo do Palmeiras, Seraphim Del Grande, convocou nesta quarta-feira uma reunião para 1º de agosto, na qual haverá votação do relatório elaborado sobre o "caso Blackstar".

O procedimento investiga a conduta de diversos conselheiros da equipe alviverde na questão envolvendo a proposta de patrocínio da misteriosa empresa, que tentou tomar o lugar da Crefisa no final do ano passado.

Entre os investigados, aparece Paulo Nobre, ex-presidente do Verdão, e Genaro Marino, candidato derrotado por Maurício Galiotte na última eleição presidencial alviverde.

Eles foram apontados como responsáveis por apresentar a proposta da Blackstar a Galiotte.

De acordo com Del Grande, o relatório será disponibilizado aos conselheiros nesta quinta-feira para análise.

O presidente do Conselho salienta que, se forem comprovadas ilegalidades, os envolvidos podem receber advertências ou suspensões.

RELEMBRE O 'CASO BLACKSTAR'

Enquanto o Palmeiras negociava a renovação com a Crefisa, após a conquista do Campeonato Brasileiro, a Blackstar, empresa supostamente sediada em Hong Kong, ofereceu ao clube uma oferta de parceria que girava em torno de R$ 1,4 bilhão por um acordo de 10 anos.

Após investigação sobre a companhia, porém, o Verdão acusou o fundo de falta de credibilidade e ainda de apresentar documentação falsa com emblema do banco HSBC, encerrando negociações.

As acusações fizeram o empresário Rubinei Quícoli, que se apresentava como representante da Blackstar, disparar mensagens com palavras de baixo calão, chamando Maurício Galiotte de "patético" e ironizando o título da Copa Rio de 1951.

Depois disso, a misteriosa proposta de Hong Kong passou a ser investigada pelo Conselho palmeirense, que montou, no início de 2019, uma sindicância para apurar as responsabilidades dos envolvidos no caso.

O que é fato é que Genaro Marino, durante sua campanha eleitoral, protocolou a proposta de patrocínio da Blackstar ao Palmeiras. Paulo Nobre, que era seu apoiador, é apontado como responsável por apresentar a empresa a Marino.