<
>

Argentina vence Chile na Copa América com expulsão e assistência de Messi na disputa de terceiro lugar

A Arena Corinthians recebeu bom público de mais de 41 mil pagantes para a disputa de terceiro lugar da Copa América – afinal, estaria em campo Lionel Messi. Pena que só por 37 minutos.

Para revolta da torcida com o árbitro, o craque do Barcelona foi expulso de campo ainda no primeiro tempo na vitória por 2 a 1 da Argentina sobre o Chile, neste sábado, em São Paulo.

Os gols de Sergio Aguero e Paulo Dybala deram um lugar no pódio aos comandados de Lionel Scaloni, que terminam a competição deixando boa impressão. Vidal descontou, de pênalti.

O lance que revoltou o estádio aconteceu no fim da primeira etapa. Medel protegeu uma bola que saía pela linha de fundo contra a investida de Messi. Os atletas se estranharam e o juiz expulsou os dois, sendo muito xingado por toda a arquibancada.

Essa foi a segunda expulsão do camisa 10 argentino em sua carreira, sendo a outra... justamente em sua estreia pela alviceleste.

Com o resultado, a Argentina continua sem nenhuma derrota para ‘La Roja’ em toda história da competição – os dois vices aconteceram após 0 a 0 no tempo normal e prorrogação. No total, o retrospecto é de 21 vitórias e sete empates. Contudo, a marca positiva não satisfaz a torcida, que segue sem ver um título na seleção principal desde 1993.

Agora, a Copa América terá sua final disputada neste domingo, com Brasil e Peru no gramado do Maracanã. Argentina e Chile, por sua vez, voltam a campo apenas no dia 4 de setembro, quando se enfrentam em amistoso nos Estados Unidos.

Veja todas as estatísticas dessa partida clicando aqui.

Argentina abre vantagem

A Argentina começou assustando primeiro. Aos sete minutos, Aguero deu belo drible de corpo na defesa e arriscou de fora da área, levando perigo ao gol de Arias.

Quatro minutos depois, veio o gol. Messi cobrou falta rapidamente e encontrou bela enfiada de bola para Aguero. O atacante do Manchester City ainda driblou o goleiro antes de abrir o placar, para muita reclamação dos chilenos com o árbitro paraguaio Mario Diaz de Vivar.

Foi o primeiro gol da carreira de “Kun” contra o Chile em nove jogos disputados.

E a alviceleste seguiu mais perigosa: aos 19, Messi finalizou da entrada da área e obrigou Arias a fazer boa defesa.

Não demorou para sair o segundo. Aos 21, Dybala deixou a defesa do Chile na saudade com um toque de categoria, arrancou em direção ao gol e finalizou sutilmente por cima do goleiro para ampliar.

O próprio atleta da Juventus, que agora tem dois gols na carreira pela seleção, quase fez mais um aos 30 com voleio sensacional que tirou tinta da trave.

Messi é expulso

Aos 37 minutos, um lance revoltou a Arena Corinthians. Medel protegeu a bola na linha de fundo e Messi chegou por trás. Os jogadores, que já tinham se desentendido no início do duelo, se estranharam mais uma vez e receberam o cartão vermelho.

A arquibancada não perdoou o árbitro paraguaio, que ouviu ofensas pelo resto da partida.

Na segunda etapa, mais polêmica. Aos 10 minutos, o VAR entrou em ação para alertar o árbitro sobre um possível pênalti de Lo Celso em Aránguiz. Após longa revisão à beira do campo, a infração foi marcada. Na cobrança, Vidal bateu forte no centro do gol e diminuiu a desvantagem.

O Chile melhorou e passou a buscar o empate, cedendo espaço aos contra-ataques.

Aos 30, Di Maria fez grande jogada individual pela esquerda, arrancou desde o meio-campo e serviu Aguero. O atacante tentou encobrir Arias, mas teve o arremate bloqueado.

As seleções seguiram tentando o gol num jogo bastante aberto, mas não conseguiram vencer o cansaço e balançar as redes outra vez: melhor para a Argentina.