<
>

Sem chances no São Paulo, Lucas renasceu no Portimonense na Europa e fez gol antológico

play
Lateral do Atlético de Madrid disputado por Corinthians e São Paulo? Nicola explica situação (1:48)

Juanfran desperta o interesse do time do Morumbi e pode vir jogar no Brasil (1:48)

Sem nunca ter atuado profissionalmente do Brasil, Lucas Possingnolo foi para a Europa antes de completar 20 anos. Mesmo asim, o país nunca o abandonou, já que o clube em que atua, o Portimonense, de Portugal, tem mais de uma dezena de brasileiros em seu elenco.

O zagueiro começou como atacante em uma escolinha antes de ir para as categorias de base do XV de Piracicaba e virar zagueiro. Ele ainda passou um ano na Ponte Preta antes de chegar ao São Paulo.

Lucas disputou três edições da Copa São Paulo de futebol júnior pela equipe do Morumbi.

"Eu pensava que depois da Copinha, que fui muito bem e fiz dois gols, teria uma chance de subir ao profissional. Não tive essa oportunidade e fiquei um pouco triste por isso. O São Paulo não me deu essa chance para mostrar meu futebol no time de cima. Mas no resto não tenho o que reclamar", disse, ao ESPN.com.br.

"Eu joguei bem a minha última edição e fui para casa de férias. Fiquei sabendo que o Portimonense ficou interessado em mim e fui emprestado para Portugal jogar a 2ª divisão do profissional. Muita gente falando que lá eu teria visibilidade e fui com isso na cabeça. Eu vou para lá tentar jogar e ser feliz. Me deram uma chance de jogar logo" contou.

Na equipe comandada por Theodoro Fonseca, empresário brasileiro que tem ligação com o São Paulo, Lucas jogou seus primeiros jogos como profissional.

"Eu nunca tinha ficado fora do país e isso pesou no começo para mim até por causa do frio. Em questão de língua era tranquilo. A cidade era boa para se morar no verão com a praia. Eu me adaptei rápido ao time. Fiquei por lá seis meses, mas tive uma lesão no ligamento do joelho e voltei ao São Paulo".

Após uma cirurgia e a recuperação no Brasil, ele retornou para o Portimonense depois de um ano.

"Passei a jogar bastante e ficamos dois anos na Segunda Divisão. Um ano nós não subimos por apenas um ponto! Na temporada seguinte nós fomos campeões e subimos para a Liga Portuguesa. Foi uma grande experiência para todos nós", afirmou.

Um dos momentos mais marcantes para Lucas foi um gol antológico que ele marcou em uma cobrança de falta de antes do meio de campo contra o União da Ilha da Madeira. O chute dado a cerca de 60 metros da meta encobriu o goleiro, que estava adiantado.

"Esse lance me deixou marcado no futebol e foi um golaço mesmo! Eu gosto de conduzir abola e atacar bastante. Curto também subir para fazer gols de cabeça", afirmou.

Desde então, ele já jogou a elite portuguesa por duas vezes seguidas. Na última temporada, o Portimonense virou praticamente uma filial do São Paulo em Portugal, com vários ex-jogadores que passaram por Cotia. Além de Lucas Possignolo, o time tinha atacante Paulinho Bóia, o goleiro Léo Navacchio, o zagueiro e Vitor Tormena e os meias Marcel, Dener, Iago Oliveira, Gustavo Hebling e Lucas Fernandes.

"Eu cheguei sozinho, mas depois vieram vários jogadores brasileiros e do São Paulo. Comecei a me sentir ainda mais em casa porque já os conhecia. Foi bem tranquilo. Já tinha jogado com Lucas Fernandes e o Marcel", contou.

Fã de Sérgio Ramos pela técnica, qualidade e raça em campo, Lucas viveu momentos especiais com o Portimonense. "Minha esposa estava grávida e eu fiz um gol de cabeça no Porto. Pude dedicar para ela e a minha filha que iria nascer", recordou.

Além disso, enfrentou vários atacantes que se destacaram no futebol europeu.

"O Jonas é bem difícil de marcar, mas quando atuamos contra ele não fez gol! Até saiu em um jornal que levamos gol do Benfica e fazia muitos jogos que ele estava marcando em seguida. O jornal disse que 'Lucas parou Jonas', foi bem legal isso. Tem o João Felix, que é habilidoso, rápido e finaliza bem. É muito bom jogador e precisa de uma atenção especial. Do Porto, o Brahimi é um craque. Muito difícil mesmo! Ele é rápido, liso e você precisa não deixar ele ter espaço, já o Marega é muito forte mesmo".

Titular absoluto do Portimonense há várias temporadas, Lucas pode em breve mudar de equipe.

"Tenho mais um ano de contrato aqui. Na época [temporada] passada eu cheguei a ter várias propostas e teve até rumores de Benfica, Braga e um clube da China também. De concreto mesmo, o que veio para mim foi o Braga", admitiu.