<
>

Manchester United: A 'maldição' que Cristiano Ronaldo deixou para a camisa 7 do time

Cristiano Ronaldo deixou oficialmente o Manchester United no dia 11 de junho de 2009, há exatos 10 anos, quando o time inglês anunciou em seu site que o português seguiria para o Real Madrid pelo valor de 93 milhões de euros (cerca de R$ 257 milhões).

O artilheiro deixa o time exatamente após vencer o seu primeiro prêmio de Melhor do Mundo e conquistar a Champions League (mais três Premier League, uma Copa da Inglaterra, duas FA Cup e um Mundial de Clubes), deixando também a mística camisa 7 do Manchester United sem dono.

O icônico número já fora utilizado por nomes como George Best, Eric Cantona, David Beckham. O craque português foi seu último 'honroso' dono até as chegadas de... Antonio Valencia, Memphis Depay e Ángel Di Maria.

Em desempenho e números, a 'mística' se transformou em 'maldição' para quem tentou vesti-la após Cristiano Ronaldo abandoná-la em 2009/2010.

O gajo marcou 118 gols em 292 jogos pelo Manchester United e só pela Premier League guardou 84 bolas na rede em 196 partidas: uma média de 0,42 por jogo.

Nos últimos 10 anos, somando todos os próximos jogadores que vestiriam a camisa, a marca que chama a atenção é de que apenas 15 gols foram marcados em partidas da Premier League.

Michael Owen (2009/2010 - 2011/2012)

Cinco jogadores com três treinadores diferentes. E Michael Owen seria o primeiro dos sucessores.

Considerado o melhor jogador do mundo em 2001 com a camisa do maior rival, Liverpool, isso não impediu que o United contratasse o inglês na temporada 2009/2010 para tentar esconder o buraco deixado por Ronaldo. Mas a história foi bem diferente.

Em sua primeira temporada, jogou 31 partidas e marcou apenas nove gols (três na Premier League).

Sem muito espaço na temporada seguinte, disputou 17 partidas, com cinco gols (dois na Premier League) e sua despedida não deixou saudades em Manchester, já que disputou apenas quatro partidas e marcou três gols, nenhum em partidas da primeira divisão, na temporada 2011/2012 antes de sair para o Stoke City.

Owen na Premier League: 5 em 31 partidas (média de 0,16 por jogo)

Antonio Valencia (2012/2013)

O equatoriano chegou ao time do United no início da temporada 2009/2010 vindo do Wigan, vestindo a camisa 25 e jogando como ponta direita, diferente de hoje que guarda a lateral defensiva. Completou 10 anos no clube em 2019, mas está de saída da equipe de Solskjaer.

Após a saída de Michael Owen, Valencia vestiu a camisa 'mística' durante toda a temporada de 2012/2013. Porém, foi uma de suas piores temporadas no United na última década e o jogador marcou apenas um gol em 40 jogos durante todo o ano. Pelo menos, o tento foi pela Premier League - média de 0,02 gols por partida.

Na temporada seguinte, o jogador voltou a vestir o número 25 por conta da pressão que sofreu.

Por isso, durante a temporada 2013/14 o número 7 ficou sem dono dentro do clube.

Valencia na Premier League: 1 gol em 40 partidas (média de 0,02)

Ángel Di María (2014/2015)

Atualmente com 31 anos, o argentino chegou à Inglaterra com 26 e uma expectativa gigantesca em cima de si após ser o melhor jogador da Champions League na edição anterior, mas com uma saída conturbada do Real Madrid, e por já abraçar a camisa 7 em sua chegada. Louis van Gaal chega junto ao time após a Copa do Mundo.

Começou muito bem, mas o desempenho foi ficando cada vez pior sob o comando do holandês em uma temporada que terminou com Falcao Garcia, van Persie e Di María no banco de reservas.

Acabou ficando apenas por um ano e se transferiu para o PSG totalizando apenas quatro gols em 32 partidas com a camisa vermelha - média de 0,12 por partida.

Di María na Premier League: 3 em 27 jogos (média de 0,11)

Memphis Depay (2015/2016 - 2016/2017)

Corajoso e declaradamente apaixonado pelo Manchester United, o garoto holandês de 21 anos que chegava com destaque do PSV logo vestiu a maldição.

Com pouquíssimas atuações sob o comando de Louis van Gaal, Depay começou a decepcionar e dar, mais uma vez, estatísticas para o legado de Cristiano Ronaldo.

Ao final da temporada, marcou sete gols em 46 partidas - média de 0,15 por jogo.

Deixou o time logo em seguida para se juntar ao Lyon, em que fez boa temporada. Seu retorno ao time de Solskjaer é especulado pelos

Depay na Premier League: 2 em 29 partidas (média de 0,06)

Alexis Sánchez (2017/2018 até agora)

O chileno foi um dos grandes nomes do Arsenal durante três anos depois de deixar o Barcelona, porém escolheu forçar sua saída no meio da temporada de 2017/2018, desembarcando em Manchester com o status de salvador do número 7 - a camisa estava sem dono desde a saída de Memphis Depay no começo do ano -, já que vinha de temporadas espetaculares pelos Gunners.

Fez três gols em 18 partidas do meio até o final da temporada 2017/2018 - com média de 0,16 por jogo. E na última temporada que acabou de terminar de forma decepcionante, fez apenas dois gols em 27 jogos (0,07 por partida) e terminou como reserva.

Já expecula-se sua saída do time para o ano que vem, o que deixaria novamente a camisa abandona.

Sánchez na Premier League: 4 em 33 partidas (média de 0,09)

TOTAL:

Somando todos os jogos e comparando com os números de gols, o resultado é surpreendente, porém muito por conta do grande número de partidas disputadas por Valencia (339) que abaixa a média.

Juntos, tem 521 partidas e apenas 58 gols: média de apenas 0,11 por partida!

A 'maldição' dos ídolos que vestiram a 7 parece continuar solta por Manchester e por enquanto Alexis é quem terá que aguentar o peso nas costas.