<
>

São Paulo: Cuca já tem planos para reerguer time na pausa do Brasileiro e espera de 2 a 3 reforços

play
Arnaldo coloca São Paulo em débito com a torcida e aponta Leco como pior presidente da história do clube (1:54)

Para o comentarista, a organizada foi responsável por salvar o time do rebaixamento recentemente (1:54)

O São Paulo faz mais dois neste Campeonato Brasileiro antes da pausa da competição por causa da disputa da Copa América no Brasil e o técnico Cuca mira duas vitórias contra Avaí e Atlético-MG para chegar aos 18 pontos, meta que estipulou no início do torneio.

Mas, dentro ou não da meta, o treinador, que está incomodado com a falta de tempo para treinar e contratações que não vieram, já tem um plano para reerguer a equipe e mostrar uma cara nova após os 30 dias de paralisação para a competição continental.

Ele já acertou com a comissão técnica que o elenco terá dez dias de folga, entre 14 e 23 de junho. As atividades vão retornar no dia 24 no centro treinamento de Cotia, até porque o local de trabalho na Barra Funda ficará a disposição da Conmebol.

As seleções de Bolívia e Brasil vão usar as dependências tricolores, por exemplo.

Em Cotia, Cuca espera trabalhar com o elenco que pretende conduzir até o final do Brasileirão. Isto significa a volta de Pablo, que recupera-se de uma cirurgia na coluna, Hernanes, em melhor forma física, e possivelmente Rojas, que não jogou ainda em 2019.

O treinador também quer um elenco reduzido. E os nomes que devem sair podem treinar em horários separados.

Este assunto é tratado com grande cautela internamente porque gerou desconforto há uma semana, quando Cuca mencionou que alguns realmente vão sair em entrevista coletiva concedida logo após o time ser eliminado da Copa do Brasil pelo Bahia.

Outro motivo para cautela é que a diretoria não quer correr o risco de desvalorizar jogadores antes da saída deles. Até porque entende que pode transformar a despedida em oportunidade de negócio, com empréstimos ou vendas.

Contudo, a lista é bem conhecida pois já vem sendo falada há mais de dois meses. Ela comporta os nomes de Bruno Peres, Jucilei e Nenê. Além deles, o zagueiro Arboleda deve também se despedir caso surja proposta da Europa --ele comunicou o desejo de sair.

Everton Felipe também está disposto a sair e já avisou a diretoria. Quase foi para o Vasco, mas não houve acordo financeiro.

A saída de outros nomes não está descartada. Cuca tem trabalhado isso com Cuquinha, seu auxiliar e braço direito.

O treinador também tem insistido com a diretoria que precisa de um mais um atacante e o favorito é Juan Dinenno, 24, que pertence ao Racing e está no Deportivo Cali. A negociação é difícil porque envolve cerca de R$ 12 milhões.

Ele também quer um lateral ambidestro com condições de chegar e assumir a vaga de titular. Adriano é o favorito porque agrada ao treinador e ficará livre no final deste mês, quando terminará seu contrato com o Besiktas, da Turquia.

A questão é convencer o atleta a receber menos do que foi pedido para se adequar aos cofres tricolores. As conversas ainda estão acontecendo e a expectativa de que ele assine com o São Paulo aumentou nesta segunda-feira.

Um meia também é estudado pela comissão técnica a partir da identificação que o time tem dificuldade para criar.

Cuca é conhecido no mundo do futebol por formar grupos com jogadores de confiança e ele entende que o período de paralisação do Brasileiro será ideal para se aproximar mais do elenco e criar o ambiente desejado.

Os jogos contra Avaí e Atlético-MG, últimos antes da pausa para inter-temporada, acontecem nos próximos dias 8 e 13 de junho. Ambos serão fora de casa, o que preocupa Cuca no que se refere a meta de 18 pontos estipulada por ele.

A equipe tricolor volta a treinar nesta terça-feira, às 15h30, na Barra Funda.