<
>

Rodrigo, do Valencia, ganhou cachorro de ex-zagueiro do São Paulo e virou carrasco do Barcelona

Autor de um dos gols do Valencia na vitória por 2 a 1 contra o Barcelona na conquista da Copa do Rei, o atacante Rodrigo viu a fase virar a partir do momento em ganhou de presente o cachorro Dudu. O mascote dado pelo zagueiro Aderllan Santos virou um amuleto da sorte na vida do atacante há dois anos. Desde então, ele viu a situação de sua equipe, que era bastante complicada, melhorar a ponto de voltar às competições européias.

"Um dia cheguei para o Rodrigo e falei: 'Tenho uma solução para você'. Ele perguntou: 'Que solução?' Respondi: 'Eu tenho um cachorro lá em casa que não tenho dado total atenção. Eu tenho dois filhos pequenos e um deles tem medo do cão. Eu te dou e você cuida dele'. O Rodrigo disse que ia comprar, mas não deixei. Ele acabou aceitando", disse o defensor, ao ESPN.com.br.

Rodrigo adotou um simpático labrador que virou seu xodó.

"Olha, depois que ele pegou o cachorro, não sei se foi sorte ou quê, mas passou a fazer gol para caramba. Está com o cachorro até hoje. Olha quantas fotos ele coloca com o bicho no Instagram (risos). Meu filho quem deu o nome porque só falava isso naquela época (risos)", recordou.

A boa fase rende piadas do ex-jogador do São Paulo com o atacante.

"Eu digo para ele: ‘O cachorro te deu sorte, hein!’ Ele responde: ‘Nem fala, tá voando o cachorro! (risos)’. Se ele casar e depois separar da mulher, tem que ficar com o bicho, tem que pôr uma cláusula lá", brincou Aderllan.

Mesmo não sendo um típico centroavante, Rodrigo marcou 30 gols nas últimas duas temporadas. “Ele trabalha sempre no limite, forte demais. Nunca o vi reclamar de nada. É um cara muito focado”, afirmou.

'Ele é bem carioca'

Nascido no Rio de Janeiro, o jogador começou na base do Flamengo, em 2002. Ele é filho de Adalberto, ex-lateral esquerdo do time da Gávea e das seleções de base do Brasil na década de 80.

"Ele é flamenguista e bem carioca mesmo. Quando cheguei, achei que ia ter que falar espanhol com o Rodrigo e pensei: 'Estou ferrado porque não sei falar direito'. Só que ele soltou: 'E aí irmão, como é que é?' (risos) Fiquei aliviado! O pai dele, o Adalberto, também gente boa. Está sempre que pode em Valencia e cuida dos negócios do filho. O Rodrigo tem uma família sensacional", elogiou.

Ainda jovem, o atleta mudou-se para a Espanha, atuando em clubes do país após tornar-se profissional pelo Real Madrid. Após passar pelos times C e B da equipe merengue, ele atuou por quatro anos com muito sucesso no Benfica, de Portugal, antes de ser comprado pelo Valencia, seu atual clube, em 2014.

"A gente se conheceu em um jogo que o Braga perdeu para o Benfica. Nos trocamos a camisa e conversamos. Quis o destino que ele foi ao Valencia e eu na temporada seguinte fosse também. É um amigo que fiz, me deu todo apoio no Valencia e até hoje nos falamos", afirmou Aderllan.

O zagueiro acredita que o estilo de jogo do atacante lembra um craque brasileiro.

"É um grande jogador, uma excelente pessoa e merece tudo de bom que está vivendo na carreira porque lutou muito. Ele tem muita semelhança com o Rivaldo. Quando falei isso, o Rodrigo respondeu: 'Você tá maluco?' Mas é um jogador técnico e canhoto. Ele gosta de espaço, de sair da área e se movimentar nas costas dos defensores. Não gosta de ficar parado na área. É um jogador rápido e que finaliza muito bem com as duas pernas”, analisou.

"No Valencia, ele tem muita moral! a torcida é espetacular e o adora. Ela acolhe os jogadores e empurra demais o time quando está em boa fase", afirmou.

Rodrigo tem dupla nacionalidade e representa a Espanha desde a categoria sub-19, tendo vencido a Eurocopa sub-21 em 2013 e sendo colocado na seleção dos melhores jogadores do torneio.

Ele fez parte do elenco que disputou a Copa do Mundo 2018 com La Roja, que caiu nas oitavas de final para a Rússia.

"Foi uma pena para a seleção brasileira, mas ele foi a melhor escola para a carreira dele. No Brasil teria menos oportunidades pela concorrência. Além disso, o [técnico Julen] Lopetegui adorava o futebol dele, tanto é que o chamou para a Copa do Mundo e o quis no Real Madrid. Mas não deu certo porque a multa dele é altíssima", contou.

View this post on Instagram

🐶...😁

A post shared by Rodrigo Moreno (@rodrigom_91) on

Nas últimas temporada, Rodrigo foi cobiçado pelo Real Madrid e teve seu nome especulado no Barcelona. Sua multa rescisória é de 120 milhões de euros (R$ 534 milhões).

“Vai ser difícil o Valencia segurá-lo por causa desse desempenho. Mas para onde ele for, tem que ir com o cachorro. Eu disse para ele: 'Fique com o Dudu, amigo. Se acaso o cachorro morrer, não enterre. Creme, e leve as cinzas contigo (risos)'”, aconselhou Aderllan.