<
>

Campeão brasileiro pelo Corinthians, Lincom foi impedido de jogar até no amador devido a punição por doping

play
Impedido de jogar há 1 ano, campeão brasileiro no Corinthians revela dramas em sua vida (11:28)

Aos 34 anos, jogador Lincom está suspenso preventivamente por doping. Enquanto isso, trabalha em papelaria que montou com familiares em Birugui (11:28)

Em fevereiro deste ano, a ESPN contou a história de Lincom, ex-atacante do Corinthians. Ele foi pego em um exame antidoping no Campeonato Paulista de 2018, quando foi encontrada uma alta dosagem de testosterona em sua urina. Por isso, foi suspenso preventivamente e esperou por um ano até o julgamento do caso.

No final de abril de 2019, o jogador foi condenado a uma pena de quatro anos longe dos gramados e irá recorrer da punição junto com seus advogados.

Depois de passar por inúmeras dificuldades pessoais durante o período sem jogar, Lincom estava pronto para retomar sua vida. O centroavante perdeu peso (havia engordado 10 kg no período), voltou a treinar com um personal trainer e recebeu um convite para voltar aos gramados.

"Eu tinha recebido uma proposta do Ferroviários-SP, um time amador de Bragança Paulista, que investe legal no futebol. Eles disputam o campeonato Estadual e o Brasileiro amador. Era um valor bom e eu topei jogar porque estava suspenso. Eles iam me pagar estadia, viagem e tudo mais", disse, ao ESPN.com.br.

"Mas quando fui fazer minha ficha na Federação Paulista de Futebol, porque esse time é filiado à ela, viram que não poderia jogar nem pelo amador. Tudo que envolve CBF ou federação eu não posso participar por causa da suspensão", lamentou.

Como já cumpriu um ano da pena, ele só estará apto para voltar aos gramados aos 38 anos, em 2022.

A Federação Paulista de Futebol explicou as razões que impedem Lincom de atuar mesmo em torneios amadores.

Veja o comunicado da FPF na íntegra:

Como Lincom está suspenso por 4 anos por doping, ele não pode participar de competições ligadas às entidades de organização do esporte por este período, conforme prevê o CBJD. Diz o artigo 172 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva:

Art. 172. A suspensão por prazo priva o punido de participar de quaisquer competições promovidas pelas entidades de administração na respectiva modalidade desportiva, de ter acesso a recintos reservados de praças de desportos durante a realização das partidas, provas ou equivalentes, de praticar atos oficiais referentes à respectiva modalidade desportiva e de exercer qualquer cargo ou função em poderes de entidades de administração do desporto da modalidade e na Justiça Desportiva. (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

Caso de Lincom

Contratado em 2015 para ser a sombra de Vagner Love, que não vinha em boa fase, Lincom esteve no elenco que foi campeão brasileiro. Após fazer três partidas na competição, ele deixou o Parque São Jorge no começo do ano seguinte e rodou por alguns clubes até chegar ao Santo André, em 2018.

Em uma partida do time do ABC Paulista, ele foi reprovado no exame antidoping.

Após o Estadual, o jogador estava jogando a Série B pelo Vila Nova e chegou a fazer duas partidas, mas como recebeu uma suspensão preventiva em abril, precisou rescindir seu contrato.

Após ter sido afastado dos gramados, Lincom admitiu que começou a ter problemas com o álcool, perdeu esposa e filhos e entrou em depressão. Para piorar, Lincom ainda perdeu todas suas economias em um golpe de “Pirâmide”, onde segundo ele, outros atletas e técnicos renomados do Brasil também foram lesados com o prejuízo de milhões.

Para ocupar a cabeça e ter uma renda, ele trabalha em uma papelaria e gráfica que montou junto com seus familiares em Birigui, interior de São Paulo.