<
>

Keita Baldé, da Inter de Milão, reencontra o Barcelona pela Champions League

O duelo desta quarta-feira contra o Barcelona será marcante para Keita Baldé. Atualmente na Inter de Milão, o atacante foi por cinco anos uma das grandes promessas de La Masia, mas conviveu também com problemas extracampo que o fizeram surgir para o futebol bem longe da Espanha.

Em uma excursão com o time juvenil do Barça para um torneio no Catar, em 2010, ele colocou gelo nos colchões dos colegas de equipe. Como punição, foi emprestado para o Cornellà. Após fazer uma grande temporada, ele se recusou a voltar ao Camp Nou por mágoa com a ex-equipe.

Foi cortejado por Real Madrid e Manchester United, mas transferiu-se para a Lazio, em 2011.

“Keita é uma figuraça, um amigo que fiz. É um grande jogador, agudo que sai para a jogada individual e é muito rápido. Nos treinos ele abusava demais nos dribles (risos). É um grande atleta. É o típico jogador africano, adora dançar, sempre está feliz e alegre no vestiário. Gostava de colocar a música dele. É um cara carismático, simpático e gente boa”, revelou o zagueiro Mauricio Nascimento, que jogou com o atacante na Lazio, à ESPN.

A boa relação era fruto da admiração de Keita pelos jogadores brasileiros."Ele gosta muito do Neymar e sempre queria jogar como ele. Ele usava umas chuteiras iguais às dele e falava: ‘Eu sou o Neymar’ (risos)", disse o defensor, revelado no Palmeiras.

O meia Ederson, que também jogou na Lazio com Keita, revelou que o atacante é fã de outros astros brasileiros além do camisa 10 do PSG.“Como gosta de driblar e tem estilo de jogo brasileiro, ele me dizia que o ídolo dele era o Ronaldo Fenômeno. Ele ficava vendo vídeos do Ronaldo e os dribles que fazia”, disse, à ESPN.

“É um dos jovens mais promissores que já vi. Nunca vi um cara tão jovem e bem preparado atleticamente, uma rocha. Ele tinha só 18 anos e tinha potencial incrível, sempre me impressionou muito. Ele tem um entusiasmo lá em cima, pega a bola e vai para cima mesmo. Não tem medo nenhum de errar ou de zagueiro. Ele é muito intenso e quando está confiante é difícil parar. Tem muita força aliada com a qualidade”.

O ex-jogador do Flamengo tinha muita afinidade com o atacante. Ambos gostavam de mostrar habilidades no “engessado” futebol italiano.

“Conversávamos muito antes dos treinos e ficávamos falando que íamos dar canetas e pedaladas. Ele sempre demonstrou gostar do meu estilo de jogo e quando fazíamos uma jogada de efeito, saiamos dando risada. Na Europa, quando você tentar uma jogada mais de efeito, o cara do próprio time reclama para jogarmos mais simples com dois toques. Eu e o Keita nos ajudávamos. ‘É isso ai mesmo, tem que tentar’. Tudo para não perder a confiança”, afirmou Ederson.

Nascido na Espanha e filho de senegaleses, Keita optou em defender o país africano e esteve na Copa do Mundo de 2018, na Rússia. "Ele tinha chance de escolher o passaporte espanhol, mas sempre disse que pela origem familiar ia jogar por Senegal. Acredito que também para ter mais chances".

Polêmicas

Após estrear pela equipe principal da Lazio, em 2013, Keita passou a se destacar, mas não deixou as confusões para trás. Em 2014, saiu ileso de um grave acidente no qual bateu uma Lamborghini, que ficou completamente destruída.

“Ele é muito extrovertido e brincalhão. Algumas vezes gosta de ostentar um pouco (risos). Teve até alguns problemas com um carro que alugaram ou emprestaram para ele na Lazio. Ele teve uma acidente, mas é um tipo que gosta de viver a vida intensamente. Assim como ele é dentro de campo ele é fora de campo”, recordou Ederson.

Em 2017, ele causou polêmica ao postar em seu Twitter uma foto de mãos dadas com o lateral espanhol Patric Gabarrón, que foi tratada como uma brincadeira entre os dois atletas.

O atacante também simulou uma lesão no joelho antes do início da temporada 2016/2017 porque gostaria de ser negociado pela equipe italiana. Foi cedido algum tempo depois para o Monaco, no qual permaneceu por uma temporada.

“O Monaco fez muito bem para ele porque é um clube mais tranquilo e o Principado é um lugar menor. Acho que isso fez com ele se tranquilizasse um pouco”, analisou Ederson.

Negociado com a Inter de Milão no começo desta temporada, Keita Baldé foi cedido por empréstimo por 6 milhões de euros com opção de compra de 30 milhões de euros (R$ 127 milhões). Desde que chegou à equipe italiana, ainda não conseguiu se firmar como titular: em nove partidas ainda não balançou as redes.

A última grande controvérsia que o jogador de 23 anos se envolveu foi na sexta rodada do Campeonato Italiano desta temporada. Após começar no banco de reservas e entrar no segundo tempo na vitória por 2 a 1 contra a Fiorentina, ele se recusou a apertar a mão do treinador Luciano Spaletti no final do jogo.