<
>

Usain Bolt recebeu oferta de time time australiano, mas valor é 'muito menor' do que o pedido

O Central Coast Mariners, da Austrália, oferecereu a Usain Bolt um contrato para que ele atuasse no país, mas o um valor é "muito menor" do que o pedido, revelou Greg O'Rourke, chefe da A-League (Liga de Futebol da Austrália), à ESPN, neste domingo.

"Essa oferta é muito, muito menos do que [Bolt] estava originalmente solicitando. E isso realmente reflete que, se Usain quiser se juntar ao clube e se tornar um jogador de futebol, ele deve seguir uma jornada bem similar a qualquer outro, não importando por um minuto a quantidade de marketing que alguém como Usain Bolt, o homem mais rápido do mundo, possa trazer para o Central e para a Liga", disse O'Rourke.

O staff de Bolt teria pedido um acordo em torno de 3 milhões de dólares, mas a oferta dos Mariners foi supostamente de 150 mil dólares. O oito vezes medalhista de ouro olímpico ficou com a equipe do Central Coast nos últimos dois meses.

O'Rourke reiterou que a Federação Australiana de Futebol não entraria com dinheiro para fazer qualquer acordo com Bolt.

"Não há financiamento do fundo, como dissemos desde o primeiro dia. O fundo do torneio garantiu pessoas como Keisuke Honda e Sam Kerr com pedigree de futebol e Usain Bolt ainda não se tornou um jogador de futebol profissional em nenhum lugar do mundo", afirmou.

Usain Bolt analisa marcou dois gols em uma vitória no amistoso do Central Coast Mariners. O clube não confirmaa até o momento que fez uma oferta ao jamaicano de 32 anos.

Bolt não viajou para Brisbane no domingo, quando os Mariners empataram em 1 a 1 com o Roar na abertura de temporada da A-League. Os relatos da oferta de contrato para Bolt surgiram no meio do jogo, mas o técnico da Mariners, Mike Mulvey, disse que após o jogo ele não sabia do desenvolvimento.