<
>

Morre Eurico Miranda, icônico presidente do Vasco, aos 74 anos

play
Eurico Miranda, sempre no olho do furacão: relembre a história do icônico presidente do Vasco (6:41)

Advogado e político faleceu aos 74 anos de idade (6:41)

Eurico Miranda, ex-presidente do Vasco, morreu nesta terça-feira (12) aos 74 anos de idade no Hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

Desde agosto de 2018, tornou-se pública a luta do dirigente contra um câncer no cérebro. Anteriormente, ele também já havia sofrido com um tumor na bexiga e nos pulmões, além de sequelas por causa de um derrame.

Em seu Twitter, o Vasco comunicou que o velório será a partir das 18h (de Brasília) desta terça-feira e aberto ao público em São Januário, na Capela Nossa Senhora das Vitórias, que fica dentro da sede.

O enterro acontecerá nesta quarta-feira (23), em algum horário no período da tarde que não foi divulgado, no Cemitério São Batista e será reservado apenas aos familiares e amigos.

A ESPN Brasil e o WatchESPN reprisarão nesta quarta-feira, 13 de março, às 21h50 (de Brasília) o programa Bola da Vez com Eurico Miranda, que foi ao ar em março de 2017. Outra reprise está programada para a quinta-feira 14, às 19h30 (de Brasília), na ESPN2 e também no WatchESPN.

Eurico estava ocupando o cargo de presidente do Conselho de Beneméritos do clube. Em novembro de 2017, ele até havia sido eleito pela terceira vez ao posto de presidente dos cruz-maltinos, mas Julio Brant ficou com a vitória após a Justiça anular os votos de uma das urnas do pleito por irregularidades no cadastro de sócios. A partir daí, os dois travaram uma batalha na Justiça.

Em nova eleição, Alexandre Campello anunciou o racha com Brant, alegando que seu grupo tinha ficado de fora das decisões da chapa. Posteriormente, trocou farpas com Brant e articulou um apoio com Eurico Miranda, justamente de quem era rival um dia antes. E o acordo deu certo: por 154 votos a 88, acabou eleito o presidente do clube. Há duas semanas, a juíza Glória Heloíza da Silva cancelou o pleito de janeiro deste ano, que havia colocado Alexandre Campello na presidência.

O episódio conturbado foi o último de uma longa carreira ligada ao Vasco. Influente no clube desde 1969, quando era vice de patrimônio, ele atuou como diretor e vice-presidente, até ser eleito em 2000, ficando no poder até o meio de 2008. Na sequência, perdeu para Roberto Dinamite. Naquele momento, eram 22 anos de comando no futebol por parte do dirigente, em três cargos diferentes. Eurico retornou à presidência em 2014 e ficou até o fim de 2017.

Com Eurico influente no futebol, o Vasco conquistou seus quatro títulos do Campeonato Brasileiro: 1974, 1989, 1997 e 2000. O último, chamado Taça João Havelange, veio com ele na presidência. E para variar, com polêmica. Ele demitiu o técnico Oswaldo de Oliveira em meio às semifinais por discordar de folga concedida ao elenco. Joel Santana assumiu a equipe na reta final. Também com ele presente no futebol do clube, o Vasco conquistou sua única Libertadores, a de 1998.

Dentro de campo, seu ponto baixo foi a queda à segunda divisão do Campeonato Brasileiro de 2013, a terceira da história do clube. Ao longo do ano, ele declarou que iria à Sibéria se ocorresse a queda.

Eurico é um dos que ficam para sempre na história dos clubes', diz Unzelte

Eurico ainda teve uma carreira na política fora do clube. Em 1990, foi eleito deputado federal em 1994 e conseguiu ser reeleito, mas em 2001 viu um pedido de cassação de seu mandato por uma operação de câmbio não autorizada. Em 2007, ele chegou a ser condenado a dez anos de prisão por sonegação fiscal.

Dono de posturas firmes e um perfil polêmico, Eurico Miranda sempre se considerou uma personificação do clube. Seja pela diversidade de títulos ou pelas polêmicas, certo é que ele foi a pessoa mais folclórica da história do Club de Regatas Vasco da Gama.