<
>

Copa do Mundo: Como Vertonghen, recordista de jogos pela Bélgica, foi salvo por Johan Cruyff

Imagine que você é um futebolista buscando espaço em um clube grande. Um empréstimo depois, você retorna à equipe, mas as vagas de titular estão ocupadas.

O maior jogador da história desse time, no entanto, enxerga seu potencial e pede que você tenha seu contrato renovado.

Dez anos depois, você já é o atleta com mais jogos por sua seleção e está na briga pelo título da Copa do Mundo.

O jogador em questão? Jan Vertonghen.

O olheiro? Johan Cruyff.

O defensor belga de 31 anos é um dos líderes da seleção que disputa contra a França uma vaga na final da Copa da Rússia na próxima terça-feira, às 21h de São Petersburgo (15h de Brasília). Sua história poderia ter sido outra caso o lendário holandês não pedisse que ele ficasse no Ajax.

Em 2003, o zagueiro se juntou à base do clube holandês e três anos depois estreou na equipe principal. No entanto, após apenas três jogos na primeira parte da temporada 2006/07, foi emprestado ao RKC Waalwijk.

Vertonghen retornou ao Ajax e ficou para a próxima temporada, mas uma lesão séria o tirou dos gramados por meses. Em junho de 2008, seu contrato estava para acabar com a equipe de Amsterdã, e foi quando Cruyff entrou em ação.

O maior jogador da história da Holanda era consultor do seu clube de coração e estava entusiasmado com Vertonghen, então com apenas 21 anos. Canhoto, era versátil (poderia jogar pela esquerda tanto na defesa quando no meio-campo) e tinha um chute poderoso, atrativos que abriram os olhos do rei da versatilidade na Laranja Mecânica.

Assim, Johan Cruyff pediu ao Ajax que renovasse o contrato do defensor belga. Dito e feito: até 2013.

Quando Thomas Vermaelen deixou a Holanda rumo ao Arsenal, Jan Vertonghen finalmente se firmou no time de Amsterdã, e sua carreira não parou de crescer: bicampeão nacional, dois títulos da Copa local, melhor jogador do futebol holandês de 2012.

Ele foi contratado pelo Tottenham naquele mesmo ano e é peça-chave na equipe de Mauricio Pochettino. Pela seleção belga, tem hoje 106 jogos, recordista histórico.

A ligação de Vertonghen com Cruyff acabou transcendendo os gramados: o zagueiro estudou Marketing Esportivo na instituição que leva o nome do craque holandês, mas não completou a faculdade.

Quando o eterno camisa 14 morreu em 2016, o zagueiro belga postou no Facebook uma homenagem ao holandês.

Com a biografia de Cruyff em mãos e sob seu olhar, ele escreveu:

Johan Cruyff sempre será lembrado por mim como o homem que me chamou pessoalmente em um simples fim de semana. Não para falar sobre Ajax ou os canais de Amsterdã, mas sobre a importância do "estudo".

Mais especificamente, o estudo que ele mesmo criou na Universidade Johan Cryuff. Um homem que quase me fez sentir que eu tinha de colocar o futebol em segundo plano, porque o desenvolvimento intelectual foi talvez ainda mais importante.

Naquele momento, eu respondi com um "sim, sr. Cruyff" e prometi que eu faria tudo que pudesse para mostrar aos jovens atletas que com a orientação certa é perfeitamente possível levar em conta um futuro diferente.

Novamente, obrigado, sr. Cruyff.