<
>

Shaqiri vendia sapatos e cortava grama; hoje, é o herói da Suíça na Copa

Xherdan Shaqiri foi o grande herói da vitória de virada da Suíça por 2 a 1 sobre a Sérvia, nesta sexta-feira, pela segunda rodada da Copa do Mundo. O gol do meia de 26 anos nos acréscimos do segundo tempo da partida ajudou a seleção suíça a chegar aos quatro pontos e ainda sonhar com uma vaga nas oitavas de final.

"Estes jogadores que temos, estão em times de primeiro nível na Europa. Apesar de sairmos atrás do marcador, mantivemos a calma. Viramos, e isso é algo que não teríamos conseguido há dois anos", garantiu o jogador do Stoke City, da Inglaterra.

"Demonstramos que crescemos. Fizemos isso nos últimos anos e isso voltou a ficar claro outra vez. Perdíamos por 1 a 0, no entanto, nos juntamos, jogamos como time, em uma mesma direção", garantiu o meia-atacante.

A Suíça enfrentará na próxima quarta-feira a seleção de Costa Rica e, caso vença por 2 a 0, garantirá classificação, independente do resultado da partida entre Brasil e Sérvia, que acontecerá simultaneamente

O jogador, filho de refugiados albaneses que foram para a Suíça nos anos 90, passou por muitas dificuldades na infância antes de virar jogador profissional.

Quando atuava nas categorias de base do Basel-SUI, ele precisou fazer alguns bicos cortando gramados no seu bairro além de ser vendedor para conseguir algum dinheiro.

"Ele trabalhava numa loja de sapato de manhã e treinava à tarde. Até uns 16, 17 anos, vários deles trabalham em um turno e treinam no clube em outro. Quando ele começou a se destacar, passou a dedicar só ao futebol", afirmou Pedro Krenczynski Welter que atuou com Shaqiri no Basel. ao ESPN.com.br.

Seu amor por calçados permanece intacto até hoje."Gosto de gastar meu dinheiro em sapatos. Eu nem sei quantos pares eu possuo.Eu tenho uma sala cheia deles", disse o jogador, ao jornal The Sun.

Após defender o Basel (entre 2009 e 2012), o jogador defendeu o Bayern de Munique por três temporadas. Passou ainda por Inter de Milão antes de chegar ao Stoke City.

Na última temporada, ele causou bastante polêmica ao mostrar irritação com a equipe inglesa, que foi rebaixada para a 2ª Divisão.

"O sentimento é de que nem Ronaldinho daria jeito. Eu percebi que é bem diferente ter jogadores como Ribéry e Thiago, no Bayern, e Icardi e Kovacic, na Inter, ao meu lado", detonou o meio-campista.

Pela seleção suíça, ele foi um dos maiores nomes da Copa do Mundo de 2014 e se destacou na Euro 2016, quando marcou um belo gol de bicicleta contra a Polônia.

"A gente não esperava que ele ia se tornar o maior jogador da Suíça, mas mostrava toda qualidade desde aquela época", falou Pedro.