<
>

Vaga privilegiada e nome de fonte: como Subotic se imortalizou em Dortmund

Neven Subotic comemora durante partida do Dortmund contra o Hoffenheim pela Copa da Alemanha 2014-15 Getty Images

30 de abril de 2011. Depois de nove anos de espera e uma crise financeira enorme, o Borussia Dortmund era campeão alemão novamente – e com duas rodadas de antecedência.

A festa corria solta pelas ruas, e em uma delas houve uma cena que ficaria marcada para sempre na cidade, inclusive no asfalto.

Em determinando momento das comemorações, alguém sai pela janela de seu carro, sobe no teto e puxa o grito: ‘Quem é o campeão alemão? O Borussia Dortmund!’

Nada que fuja dos padrões de uma loucura pós-título. Tal cena nem seria impactante, não fosse a pessoa em questão o zagueiro titular do time que levou o troféu aquele ano. Neven Subotic foi titular em 31 das 34 rodadas – não jogou duas por suspensão e na última, quando os aurinegros já eram campeões.

O local onde a cidade de Dortmund viu o zagueiro ilustre berrar a plenos pulmões e sem camisa na Lindemannstraße ganhou uma marcação de trânsito amarela. A letra ‘P’ vem acompanhada da frase: ‘apenas para Neven Subotic’.

A sinalização foi lembrada pelo perfil da cidade de Dortmund no Twitter na última semana, quando o atleta estava a caminho do Saint-Étienne. “Reservamos a você para sempre um lugar na Lindemannstraße”.

Agora, o jogador de 29 anos vai de vez. Desde 2008, quando chegou, até o meio de 2015, foi titular absoluto no Dortmund, com direito a dois títulos da Bundesliga (2011 e 2012), dois da Supercopa da Alemanha (2013 e 2014), um da Copa da Alemanha (2012) e um vice da Uefa Champions League (2013).

Porém, na campanha 2015-16, sofrendo com lesões e tendo perdido espaço para Sokratis Papastathopoulos, ele demonstrou sua intenção de sair e estava perto de uma transferência para o Middlesbrough. O negócio, porém, acabou não ocorrendo, já que o atleta não foi aprovado nos exames médicos.

O defensor precisou passar por uma cirurgia na costela, ficou na Alemanha, sendo que a expectativa era de que não jogasse mais em 2016. Situação que o fez reviver a temporada anterior, quando enfrentou lesão nas costas e também uma trombose no braço direito. Em 2015-16, disputou apenas 11 partidas. Muito pouco para quem foi um ícone no elenco aurinegro.

Mas ele seguiu, assim como sua idolatria. Não deixou de ser festejado pela torcida nem mesmo quando foi emprestado ao Colônia no primeiro semestre de 2017, tendo inclusive enfrentado o Dortmund em pleno Signal Iduna Park. Depois da partida foi ‘abraçar’ a Muralha Amarela.

Mais do que uma vaga para seu carro, o zagueiro também tem no coração dos torcedores do Borussia um lugar reservado em Dortmund. Prova disso foi dada com outra homenagem no espaço público da cidade, ainda que de forma ainda mais improvisada.

Após a saída do zagueiro para a França, torcedores colocaram uma camisa do Dortmund com o número 4 em uma estátua na fonte que fica localizada no Antigo Mercado e que, clandestinamente, ganhou o nome de ‘Fonte Neven Subotic’.

Propositalmente ou não, a escolha do objeto para homenagear o ídolo não deixa de ser simbólica. O jogador, que vem uma família refugiada da Bósnia-Herzegovina, tem desde 2012 sua própria fundação, que faz trabalhos sociais na África. Um dos principais é que crianças nas regiões mais pobres do mundo tenham acesso a água potável.

Neven Subotic deixar de ser jogador para virar uma fonte inesgotável de idolatria em Dortmund.