<
>

Único a pegar 2 pênaltis de Messi, goleiro explica o segredo

Estádio RCDE, Barcelona, quartas de final da Copa do Rei. O relógio batia 15 minutos do segundo tempo, sem que o placar do pegado dérbi entre Espanyol e Barcelona se movimentasse.

Eis que o árbitro Ricardo de Burgos vê toque pro trás de Granero, dos mandantes, em Sergi Roberto, dos visitantes. Pênalti.

Coroado cinco vezes melhor do mundo, Lionel Messi pegara a bola para colocá-la na cal, mas ao olha fixamente para o goleiro, certamente se assustara com o fato de ter à sua frente Diego López Rodríguez - ou, simplesmente, Diego López.

Afinal, este, ex-jogador de clubes gigantes como Real Madrid e Milan, já havia defendido uma cobrança do craque argentino em 2009, quando atuava pelo Villarreal. Para salvar sua equipe no grande clássico, estava novamente em suas mãos.

Messi, então, correu, sem tomar muita distância, e bateu forte, firme, no canto em que habitualmente um canhoto gosta de chutar. Mas López estava lá, usando toda sua envergadura e voando como um gato para desviá-la para escanteio.

O estádio vai à loucura - chega a tremer a câmera -, enquanto Messi remói seu equívoco.

Mas qual seria o segredo do veteraníssimo arqueiro de 36 anos para, pela segunda vez na carreira, defender uma penalidade do atual segundo melhor do mundo? Ele próprio responde.

"Me joguei para a esquerda porque é onde o Messi mais chutou, estatisticamente falando. É complicado porque Leo é imprevisível, já que já chutou em praticamente todos os cantos. Mas, os últimos dois pênaltis que chutou em mim, foi na esquerda e tentei esperar o máximo possível para dar a passada e despistá-lo", contou Diego López, em entrevista nesta quinta-feira pós-vitória por 1 a 0 - no fim do jogo, Óscar Melendo fez o tento do triunfo no dérbi.

Apesar do índice de erros de Messi nas cobranças da marca da cal ser bastante elevado - 21 dos 86 que cobrou em toda sua carreira -, o goleiro pode se vangloriar de ser o único dentre todos da posição a pegarem dois pênaltis do camisa 10 no mundo.

De qualquer forma, curiosamente, Diego López é apenas reserva de Pau López na equipe do Espanyol. Nada que mude sua situação no elenco treinado por Quique Sánchez Flores.

"Não penso em reivindicar nada. Todo mundo me conhece. Tenho muitos anos na elite e tento sempre fazer meu trabalho. Tenho consciência tranquila", garantiu.

Agora, com o triunfo em mãos, o Espanyol terá a vantagem no confronto de volta, que será disputado na próxima quinta-feira, às 18h30 (de Brasília). Quem passar, avançará à semifinal da Copa do Rei.