<
>

Férias, FGTS, premiação e salários: entenda a briga de Henrique com o Flu

Para conseguir a rescisão legal do contrato com o Fluminense, o zagueiro Henrique, 31, apresentou à Justiça uma longa lista de pagamentos atrasados que, juntos, somavam mais de R$ 9 milhões.

A informação consta na petição encaminhada pelo jogador no último dia 9 de janeiro e a qual a reportagem dos canais ESPN teve acesso.

Com salário mensal de R$ 460 mil, o defensor alegou que o Fluminense estava devendo o pagamento das férias de 2016 e 2017, das parcelas do 13º salário das duas últimas duas temporadas, da premiação pela conquista da Primeira Liga de 2016, de um ano completo de FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e do salário de novembro de 2017.

De acordo com a petição na Justiça, a dívida final corresponde a exatos R$ 9.126.399,97.

Para justificar a rescisão, os advogados de Henrique fundamentaram o pedido na Lei Pelé, que prevê o fim do vínculo em caso de atraso igual ou superior a três meses de salário.

Henrique tinha contrato com o Fluminense até 31 de dezembro de 2018, mas o próprio clube havia sinalizado que não pretendia contar com o capitão da temporada 2017. Incluiu o nome dele em uma lista divulgada na última semana de dezembro, na qual constavam mais sete jogadores que não estavam no plano da atual temporada.

Longe do Fluminense, o provável destino do defensor é o Corinthians.

A reportagem entrou em contato com a assessoria do Fluminense, que informou que não comentaria o caso.