<
>

Cruzeiro empata com Bragantino, chega a oito jogos sem vencer no Brasileirão e ouve protestos da torcida

Rafael Elias, jogador do Cruzeiro, lamenta lance em jogo contra o Red Bull Bragantino Fernando Moreno/AGIF

O Cruzeiro ampliou sua péssima fase no Campeonato Brasileiro com um empate sem gols contra o Red Bull Bragantino neste domingo, válido pela 22ª rodada. A Raposa recebeu o Massa Bruta no Mineirão, em Belo Horizonte (MG), e ampliou sua sequência sem vencer para oito jogos.

Agora, o interino Fernando Seabra, que assumiu o comando do Cruzeiro após a queda de Pepa, terá alguns dias para trabalhar. Por conta da data-Fifa, o próximo jogo da equipe será apenas no dia 14, uma quinta-feira, contra o Santos, às 19h (de Brasília), na Vila Belmiro. Com o resultado deste final de semana, a Raposa ficou na 12ª colocação, com 26 pontos. Foi o oitavo jogo consecutivo sem vitória.

O Bragantino seguiu sendo o sexto colocado, agora com 36 pontos. Sua distância para o Flamengo, que abre o G4, é de três. A equipe do interior paulista volta a campo também no dia 14, para enfrentar o Grêmio, às 21h30, no Nabi Abi Chedid.

O jogo

O Cruzeiro ofereceu perigo nos primeiros lances do confronto. Logo no segundo minuto de bola rolando, William avançou pela direita e cruzou para Rafael Elias. O atacante se antecipou ao marcador e tocou para a segunda trave, porém, tirou demais e acabou mandando à esquerda da trave.

A primeira grande chance do Bragantino, que dominou a posse de bola no primeiro tempo, aconteceu com 20 minutos no relógio. Depois de um cruzamento, a defesa da Raposa não conseguiu afastar direito e a bola sobrou para Luan Cândido finalizar. O lateral soltou uma bomba em cima de Rafael Cabral, que conseguiu fazer uma grande defesa no reflexo. O Cruzeiro chegou bem aos 29, em uma jogada que terminou com um chute para fora de Arthur Gomes.

Os mineiros cresceram nos minutos finais do primeiro tempo. A Raposa criou boas chances com chegadas pelas laterais, mas não conseguiu encaixar nenhum cruzamento que ofereceu perigo. A defesa do Bragantino cortou a maioria.

A pressão iniciada no final da primeira etapa continuou depois da volta do intervalo. Com 5 minutos, Rafael Elias se esticou para tentar desviar o cruzamento de Bruno Rodrigues, mas não conseguiu alcançar. O Bragantino respondeu aos 14, quando Juninho Capixaba recebeu na cara do gol e parou na defesa de Rafael Cabral.

Aos 17, foi a vez de Alerrandro perder uma oportunidade para o Massa Bruta. O atacante teve a chance de balançar as redes em uma sobre, mas bateu fraco. Na sequência, o Cruzeiro passou muito perto de marcar. Rafael Elias deu um belo passe para Machado sair livre na cara do gol. O volante bateu colocado com categoria no canto esquerdo, mas a bola explodiu na trave. O goleiro Rafael Cabral apareceu para salvar o Cruzeiro novamente aos 35, com uma grande defesa com os pés em finalização de Luan Cândido.

Logo depois, a partida ficou paralisada por quase cinco minutos para o VAR checar possíveis pênaltis para o Bragantino. O árbitro chegou a ir na cabine, mas verificou impedimento no primeiro lance e não viu falta no segundo. Aos 51, Rafael Cabral fechou os trabalhos ao encaixar o chute traiçoeiro de

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 0 X 0 RB BRAGANTINO

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 03 de setembro de 2023 (domingo)

Horário: 18h30 (de Brasília)

Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (Fifa / RJ)

Assistentes: Luanderson Lima dos Santos (Fifa / BA) e Luiz Claudio Regazone (RJ)

VAR: Rodolpho Toski Marques (VAR – FIFA / PR)

Cartões amarelos: Rafael Elias (Cruzeiro); Thiago Borbas, Matheus Gonçalves, Alerrandro, Juninho Capixaba e Vitinho (Bragantino)

Gols:

CRUZEIRO: Rafael Cabral; William, Neris, Castán e Marlon; Lucas Silva (Ian Lucas), Matheus Jussa, e Mateus Vital (Machado); Arthur Gomes (Nikão), Rafael Elias (Wesley) e Bruno Rodrigues

Técnico: Fernando Seabra

RB Bragantino: Cleiton; Aderlan, Realpe, Léo Ortiz e Luan Cândido; Matheus Fernandes, Jadsom (Yani Quintero) e Lucas Evangelista (Juninho Capixaba); Helinho (Matheus Gonçalves), Thiago Borbas (Alerrandro) e Vitinho (Sorriso)

Técnico: Pedro Caixinha