<
>

Racismo contra Lukaku causa revolta na Itália e gera solidariedade até de rival brasileiro

Romelu Lukaku, atacante da Inter de Milão, cobrou medidas do futebol italiano após ser alvo de ofensas raciais no empate diante da Juventus, na terça-feira, em partida da Copa da Itália. A equipe de Turim afirma que está colaborando com a polícia para encontrar os responsáveis.

O belga marcou de pênalti nos acréscimos e definiu o placar de 1 a 1 na primeira partida pela semifinal da competição na casa da Vecchia Signiora.

Durante a comemoração, o atacante levou o dedo à boca diante dos torcedores da Juventus. O gesto foi considerado provocativo e Lukaku foi expulso após o segundo cartão amarelo.

Em comunicado divulgado, a agência esportiva norte-americana Roc Nation, que representa o jogador, exigiu que a Juventus se desculpe com o atacante.

“Os comentários racistas feitos contra Romelu Lukaku pelos torcedores da Juventus em Turim foram mais do que desprezíveis e não podem ser aceitos”, disse o presidente da Roc Nation Sports International, Michael Yormark.

“Antes, durante e depois do pênalti, ele foi submetido a insultos racistas hostis e repugnantes. Romelu comemorou da mesma maneira que comemorou gols anteriormente. A resposta do árbitro foi dar um cartão amarelo a Romelu. As autoridades italianas devem usar esta oportunidade para combater o racismo, em vez de punir a vítima do abuso”.

Em comunicado, a Juventus afirmou que está “colaborando com a polícia para identificar os responsáveis pelos gestos e cânticos racistas ocorridos”.

Lukaku, emprestado pelo Chelsea à Inter de Milão, também foi alvo de cânticos ofensivos em 2019.

“A história se repete. Passei por isso em 2019 e 2023 novamente...”, escreveu Lukaku em post no Instagram. “Espero que a liga realmente aja de verdade desta vez porque este belo jogo deve ser apreciado por todos”.

Nesta quarta-feira, a Serie A divulgou um comunicado condenando o racismo, acrescentando: “os clubes, como sempre fizeram, identificarão os culpados e os banirão de suas respectivas instalações para sempre”. A liga não mencionou Lukaku em seu comunicado.

As manifestações contra Lukaku geraram reações diversas entre jogadores do futebol, que se posicionaram em solidariedade ao atacante da Inter de Milão. Entre as manifestações teve as de Vinicius Jr., do Real Madrid, Kylian Mbappé, do Paris Saint-Germain, e Danilo, o capitão da Juventus.

“O racismo é um assunto muito sério para ser tratado superficialmente. Sou antirracista e qualquer ato desse tipo deve ser severamente condenado”, escreveu o brasileiro em post no Instagram.

Após o empate em Turim, Inter de Milão e Juventus se enfrentam no Giuseppe Meazza no dia 26, na partida de volta. Em jogo estará uma vaga à decisão da Copa da Itália.