<
>

Organizada do Vasco cobra forte Nenê e Zé Ricardo antes de embaque para jogo da Série B: 'O senhor está aqui para escutar'

play
Organizada do Vasco faz protesto e cobra Zé Ricardo e Nenê; VEJA (1:59)

Torcida Ira Jovem foi ao aeroporto cobrar os jogadores e o treinador do Vasco da Gama | Instagram: @ijvoficial (1:59)

Integrantes de uma torcida organizada do Vasco cobraram o treinador, além do gerente de futebol, Carlos Brazil, e alguns jogadores antes do embarque da equipe para Chapecó, nesta quinta-feira (21)


Nesta quinta-feira (21), antes do embarque do Vasco para Chapecó, para compromisso nesta sexta-feira (22) contra a Chapecoense, na Arena Condá, pela 3ª rodada da Série B, o técnico Zé Ricardo e o capitão Nenê, receberam cobrança forte de integrantes de uma torcida organizada do clube.

Membros da torcida Ira Jovem, uma das principais do clube carioca, aguardaram o ônibus do clube no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, e cercaram o treinador, além do gerente de futebol, Carlos Brazil, na saída do veículo. Os torcedores subiram o tom e mostraram sua insatisfação com o trabalho desempenhado pelos dois profissionais.

"Zé Ricardo, o senhor está aqui para escutar. Independentemente de qualquer resultado, não gostamos do seu trabalho. Não sei se tem panela. O senhor não está tendo atitude e cobrança. É você que escala?", disse um dos membros da organizada.

Zé Ricardo respondeu aos questionamentos e ainda lembrou da sua primeira passagem pelo clube, em 2017, quando levou o Vasco à Conmebol Libertadores.

"Não tem panela... Sem dúvidas (sou eu que escalo). Eu que escalo. Não (ninguém me atrapalha)", começou por dizer o treinador.

"Na situação que a gente pegou (em 2017), em 15° lugar, a gente levou o Vasco para a Libertadores. Eu tenho o Vasco no meu coração", concluiu.

Após esta segunda declaração um outro torcedor, também presente, ironizou. "Isso faz cinco anos, Zé", disse.

Nenê é cobrado por atirar braçadeira de capitão no chão

Na estreia do Vasco da Série B, contra o Vila Nova-GO, em São Januário, a equipe empatou em 1 a 1. Nenê foi substituído no segundo tempo e atirou a sua braçadeira de capitão ao chão. A atitude do camisa 10 também foi tema de cobrança dos integrantes da organizada. E o jogador justificou.

"Não teve nada a ver com a braçadeira, foi um momento de cabeça quente. Qualquer coisa que você está na mão você vai jogar", disse.

Ainda sem nenhuma vitória conquistada na Série B, o Vasco tem 2 pontos somados e ocupa o 10° lugar na tabela da competição. Rival nesta sexta-feira (22), a Chape ocupa o lugar, com 4 pontos.