<
>

Worlds: RED Canids perde de novo mas segue viva na disputa

A RED Canids amargurou três derrotas mas segue viva por uma vaga na Fase de Grupos Michal Konkol/Riot Games

Levantando da cama com o pé direito, em uma busca de dar sorte à RED Canids em sua última partida antes do começo das séries melhor de cinco, o brasileirinho fã de League of Legends acabou amargurando mais um dia de tristeza dentro da Fase de Entrada do Worlds 2021 na derrota contra a PEACE. A parte boa? Já estamos classificados para as melhores de cinco.

O dia começou com uma mensagem de Grevthar, correspondendo à altura a postura adotada por toda a equipe durante sua participação no Worlds 2021. Chegando ao palco tão sonhado por todos dentro do elenco, mesmo com as derrotas do dia anterior o mid laner chegou ao terceiro dia mostrando confiança, que um novo sol havia raiado e junto dele, uma nova oportunidade de mostrar seu jogo.

Quando os picks e bans entraram nas telinhas e foram decididos, muita gente já sabia que o jogo seria daqueles que seria muito difícil não ganhar a não ser que tudo desse certo, ou uma bênção do “Deus Kalec” caísse sobre suas cabeças. E diferente do que foi apresentado pela Matilha nos dois primeiros dias, o early game foi um desastre.

É bem verdade que a equipe tinha campeões prontos para dar trabalho na fase de rotas, mas foi a partir de uma jogada no RED que vimos o que já era pra ser um jogo difícil ficar ainda mais. O que seria um jogo brasileiro se não tivesse muita dificuldade envolvida, né? O problema foi que dessa vez a dificuldade aumentou muito.

Um jogo que horas antes de acontecer era considerado quase como ganho, acabou virando uma bola de neve que atropelaria os brasileiros. Teve até brincadeiras de que a noite de sono não havia sido tão boa após algumas jogadas que fizeram o jogo azedar muito para os lobos.

Não demorou muito para as chances brasileiras para o confronto serem desmanteladas, a única chance era levar o jogo para o late game, mas isso não ia acontecer. Vinte e sete minutos aliados a um bom uso da composição boa contra bonecos com range baixa, garantiu à representante oceânica a vitória.

A parte boa disso tudo é que o jogo não valia nada praticamente, apenas um seed maior em uma situação que sinceramente não importa nem um pouco. Nosso adversário de amanhã é a PEACE, de novo. A possível vitória que poderia trazer mais moral para a equipe brasileira, se tornou em derrota, mas deu a chance da equipe se preparar um pouco antes para o momento mais importante: a melhor de cinco.

A derrota pode desanimar em primeiro momento, mas ainda existe um sonho. Ainda existe a possibilidade de estampar um sorriso no rosto dos brasileiros amanhã (08), é o dia de mostrar que a Matilha realmente é um time diferente em melhores de cinco. Será que vão conseguir?