<
>

Análise: F1 2021 mantém a qualidade de sempre, mas novidades não são suficientes

play
Chefe da Haas dá pião para Mazepin e brinca com piloto: 'Agora você pode rodar esse ao invés do seu carro' (0:38)

Guenther Steiner fez a brincadeira com o seu piloto e postou nas suas redes sociais (0:38)

Se o desafio de lançar um simulador esportivo todo ano é grande, a tarefa da Codemasters (agora sob “as asas” da Electronic Arts) tem grau de dificuldade maior: chamar a atenção do jogador para uma nova temporada no mundo virtual da Fórmula 1 é complicado, já que F1 2021 é uma atualização do que vimos nos últimos anos com novidades que não chegam a ser, nem de longe, bombásticas.

Sorte que a desenvolvedora tem, há anos, um produto muito bem lapidado e de alta qualidade.

DEFINIDO POR SEUS MODOS DE JOGO

F1 2021 é o simulador de velocidade oficial da principal categoria do automobilismo mundial. O jogo conta com as 10 equipes, os 20 pilotos, e todos os Grandes Prêmios da temporada, inclusive da China (cancelado por conta da pandemia do COVID-19 no mundo real).

Há diversas formas de pisar fundo no acelerador, a começar pelo mais novos de seus modos, o “Ponto de Frenagem”. Este modo Carreira na forma de uma “novela” nos coloca no controle de Aiden Jackson, um jovem piloto que ingressa na Fórmula 1 com o sonho de se tornar um grande campeão. Alternando entre as pistas e os microfones, temos que fazer de Aiden um vencedor dentro e fora das pistas.

A história de Aiden é contada a partir de suas disputas nas corridas. Após escolhermos nossa equipe (são cinco opções de equipes do pelotão intermediário), passamos a enfrentar Casper Akkerman, nosso companheiro de equipe, Devon Butler (ele mesmo, personagem criado para o game de 2019) e as demais estrelas do grid.

É preciso ganhar prestígio para estar em esquipes mais competitivas, seja com boas colocações na pista, com como lidamos com as mídias sociais, imprensa e equipe. A disputa com Akkerman e Butler é um bom combustível para superá-los, mas nota-se um engessamento do roteiro, já que mesmo chegando a frente deles ou conseguindo bons resultados, os dois ainda fazem comentários que não condizem com os fatos conquistados na pista.

Após disputar as poucas temporadas de Ponto de Frenagem, você se volta para as demais opções de jogo, como o modo Carreira. Aqui, melhor do que no Ponto, você consegue ter uma sensação maior de progressão, já que são 10 anos de disputa para você se tornar importante no “circo”.

Em 2021, há a opção de Carreira para 2 jogadores, no qual sincronizamos o progresso com um amigo ou amiga, que disputa junto conosco o modo – seja na mesma equipe ou em times rivais. A parte Multijogador, com tela dividida, traz também corridas mais casuais ou ranqueadas, com pilotos mais habilidosos de todo o globo.

Se você quer ter ainda mais controle sobre tudo o que acontece no time pode se arriscar no My Team. Nele, gerenciamos uma escuderia, planejamos as corridas, definimos as estratégias e comandamos os pilotos, incluindo estrelas do passado. Cada piloto possui atributos que definem sua qualidade ao volante, seus pontos fortes e fracos.

Na versão Deluxe Edition de F1 2021, uma das atrações para quem paga mais para ter essa opção é a presença de ícones do passado à disposição: Michael Schumacher, Ayrton Senna, Alain Prost, Jenson Button, Nico Rosberg, David Coulthard e Felipe Massa. Este é um destaque bastante positivo para o game, já que podemos relembrar, por exemplo, a rivalidade histórica de Senna e Prost.

Aqui vale destacar a personalização. F1 2021 não seria um jogo da EA se não tivesse a opções de personalização. Os itens cosméticos incluem pintura do carro, macacões, capacetes e gestos do piloto, tudo comprado pela nova moeda do game, o Pitcoins (50 mil Pitcoins custam R$ 189). Faltam só aparecer os loot boxes em game futuros.

O “Real-Season Start” é uma atração a parte, já que o jogador é desafiado a encarar condições das corridas reais. Clima, pontuação e lugar no grid são alguns dos parâmetros “colocados na pista” para se saber se você tem talento para reverter algo visto durante as transmissões de TV com os verdadeiros pilotos.

Falando em situações reais, ainda não há confirmação se F1 2021 receberá uma das novidades desta temporada, o “sprint”. Trata-se de uma corrida de tiro curto disputada no sábado de algumas etapas (a primeira em Silverstone, Inglaterra) que define o grid do domingo.

Por fim, os demais modos como Tomada de Tempo (disputa contra o relógio) e o final de semana completo de um Grande Prêmio de forma avulsa, o Grand Prix, estão lá para quem deseja apenar correr sem maiores pretensões. Destaque também para a Fórmula 2, a porta de entrada para a F1, com a disputa de suas temporadas (curtas ou completas) de 2020 e 2021.

ESPORTS

F1 2021, como simulador oficial da categoria, traz um conteúdo especial em relação aos esportes eletrônicos. A partir da tela principal, você tem acesso à aba “F1 Esports” para você acompanhar os esports do game, incluindo resultados, notícias e transmissão dos torneios organizados pela Federação Internacional de Automobilismo.

QUALIDADE TÉCNICA AINDA EM ALTA

Tecnicamente, F1 é o melhor simulador de esportes (e nem precisamos citar a estagnação de alguns títulos como Fifa ou PES) entre os mais vendidos. Visualmente falando, mesmo detalhes menores como elementos que compõe os autódromos, trazem o mínimo de detalhamento para não fazer feio. Quando falamos da recriação dos carros e pistas, o game mostra que ainda tem muito oferecer (mesmo na geração passada de videogames). O som dos carros é excelente e nos cria a atmosfera a cada arrancada.

Os menus são simples e eficientes, exceto aquele presente no canto inferior da tela quando estamos correndo. Composto por diversas opções, principalmente na interação com a equipe no box, este menu requer maior trabalho, pois é uma lista grande e sua navegação é não das melhores – ainda mais em tratando de uma situação que você tem que manter seu foco na pista. Talvez um menu no formato visto, por exemplo, de Counter-Strike, no qual um “menu oval” mostre as opções seja algo mais rápido de se usar.

Na pilotagem, o ideal é ter um volante de respeito (que gera uma sensação das melhores quanto a pilotagem), mas o controle dá conta do recado e transmite – via vibração – um pouco da sensação da pilotagem em suas mãos.

O jogo oferece níveis de pilotagem, cada um com níveis diferentes de auxílios e regras. Desde a mais fácil, que te ajudar a dominar os conceitos básicos, incluindo a famigerada opção de “flashback” para você voltar no tempo - até uma experiência próxima do real, com acidentes, o jogo se enquadra ao nível de exigência (e desafio) do piloto.

SINAL VERDE

Como citado acima, o maior trunfo de F1 ainda segue sua qualidade técnica. Trata-se de uma franquia que poderia se encaixar perfeitamente no modelo de “atualização anual” do que “lançamento anual”. Tirando o fato que é um jogo sem grandes revoluções e que não comprava seu lançamento como um jogo novo, sua compra se baseia única e exclusivamente em sua qualidade técnica e fidelidade com o “circo” da Fórmula 1.

F1 2021 está disponível para Xbox Series X|S, PlayStation 5, Xbox One, PlayStation 4 e PC.