<
>

Jogadores afirmam que paiN está preparada para encarar pressão da torcida, críticas sobre desempenho e hate

brTT e Tinowns foram campeões da primeira etapa do CBLoL 2021 pela paiN Gaming paiN Gaming

“Acho que o momento agora está sendo muito bom porque tivemos um primeiro split não tão bom”, disse Tinowns durante a coletiva de imprensa realizada pela paiN na última quarta-feira (2) em preparação para o início da segunda etapa do CBLoL.

O início da resposta para minha pergunta já mostra que o jogador estava pronto para uma série de questionamentos sobre como o time poderia ter se preparado após a campanha vitoriosa da primeira etapa, porém com um desempenho não tão bom no Mid-Season Invitational.

A paiN chega para a segunda etapa do CBLoL (que começa neste fim de semana) após algumas semanas de folga e de ter tido, mais uma vez, a experiência de jogar em um palco internacional.

Porém, esta etapa tem um quê a mais para os Tradicionais: é a segunda temporada do torneio no formato de franquias e a paiN foi uma das poucas equipes que manteve o mesmo elenco, fazendo apenas pequenos ajustes na comissão técnica. Eis o motivo para a minha pergunta: Qual a diferença que isso faz dentro de um time de League of Legends?

“Fazia um tempo já que eu não estava em uma equipe que mantivesse o elenco para o próximo split”, contou o mid laner. “Acho que o momento agora está sendo muito bom porque tivemos um primeiro split não tão bom, fomos aos trancos e barrancos melhorando mais para o final. Nossa ida para o MSI não mudou tanto nossa equipe, não pegamos muita coisa lá de fora, acho que já tínhamos uns conceitos muito bons. Com certeza agora para o segundo split vamos estar mais estáveis, acho que todo mundo conhece uma ao outro e isso vai ajudar bastante para entrar nesse segundo split”.

Tin também acredita que a equipe continuará recebendo pressão por parte da torcida, como era de se esperar, entretanto, de uma forma diferente. “Acho que vai continuar tendo pressão, mas são tipos de pressões diferentes. Antes a gente tava buscando um título para a paiN que estava muito tempo sem e tem toda essa expectativa por ser a paiN, e acho que agora vai ser totalmente diferente. Como conquistamos esse título e provavelmente somos o time a ser batido, agora a pressão é de se manter no topo e a maioria dos times vão estar olhando para a gente então vai ser mais difícil”.

Como é de se esperar de um atleta profissional - e campeão -, Tin acredita que esse tipo de cobrança não afetará o desempenho da equipe. “No split passado, e no outro, conseguimos lidar bem com isso e acho que com esse time não vai ser um problema para o próximo”.

Maturidade contra toxicidade

Já o experiente atirador Felipe “brTT”, sabe que a maturidade da paiN como equipe será o diferencial para esta jornada. “O time se dá muito bem dentro e fora de jogo, quando tem problemas ou quando é pra ter uma briga a gente vai falar a real um na cara do outro e vai resolver na hora, não vai ficar aquela picuinha de ficar falando um pelas costas do outro porque acho que isso que é a pior coisa que pode existir em um time. Isso é uma coisa que acontece no nosso time, resolvemos nossos problemas quando tem que resolver e não leva desaforo para casa”.

Discutir os problemas e resolvê-los antes que se tornem uma bola de neve é algo incomum nos times de esports, porém, brTT diz que na paiN isso não será um problema. “Estamos muito unidos, por mais que existam problemas - isso todo time tem. Mas isso [a união] é por conta também da experiência que todos os jogadores têm, a maioria já tinha jogado campeonato internacional, sabe que vai ter briga, sabe que vai ser pauleira e a gente não deixou isso acontecer dessa vez”.

O atirador também comentou sobre a eterna briga com espectadores do CBLoL que passam da linha da cobrança e partem para as agressões verbais nas redes sociais. Esse é um assunto que sempre vem à tona para brTT e evitar que isso o afete pessoalmente não é um trabalho fácil.

“Eu tento de todas as maneiras me agarrar em coisas que me fazem bem e tento ignorar o máximo os comentários e essa negatividade toda”, conta brTT. “Por mais que eu seja um cara muito experiente, que já passou por todas as situações possíveis no competitivo, sou um cara que me cobro absurdamente, então se eu sei que não estou em um momento muito bom da minha carreira e acabo lendo certas coisas, para você se afundar é muito fácil”, comenta o jogador sobre como lida com a cobrança da comunidade.

Durante o MSI, brTT chamou atenção pelo seu baixo desempenho - fato que ele mesmo reconhece - e isso atraiu uma legião de haters que tentam se aproveitar desse momento de fraqueza. “Tem sido muito difícil e foi muito difícil porque sei que meu desempenho no MSI foi muito ruim e que podia ter somado muito mais pro meu time, para alcançar meu objetivo. Eu poderia falar até que poderia ter feito muito mais para alcançar meu objetivo. Isso foi uma coisa que me deixou muito mal e depois ter que ler tanta coisa foi muito pesado para mim”.

brTT, no entanto, garante que vai conseguir lidar com esses tipos de comentários - como sempre lidou: “Tenho muita lenha pra queimar, e tem o Mundial vindo aí que é o campeonato mais importante. Eu tento só me blindar de toda maneira possível. Mas muitas das vezes não tem como. Fico muito para baixo e muito mal só que tento lidar com isso comigo mesmo”.

A paiN volta para o CBLoL neste sábado (5) e tem sua estreia na partida de abertura contra o Flamengo. As partidas acontecem à partir das 13h e terá transmissão nos canais oficiais da Riot no Twitch.tv, Nimo e YouTube.