<
>

LoL: 'O principal é acreditar que é possível', crava Cariok sobre boa performance brasileira no MSI

play
"Me mostrou que escolhi o caminho certo", fala Cariok sobre título no primeiro split de 2021 (5:31)

O jogador também fala sobre começo ruim e preparação para a grande final (5:31)

Entra Luci, sai esA. Com uma pequena mudança no time, a paiN Gaming chegou para o primeiro split do CBLoL com um elenco recheado de grandes nomes que se provaram mais de uma vez dentro do Rift acompanhados de um jovem talento com um único título em sua bagagem, mas cheio de energia e garra para se provar como o melhor.

A derrota para a INTZ na final da segunda etapa de 2020 foi dura. Subiram até os playoffs como os melhores, chegaram à grande final e caíram na mesma com uma facilidade que ninguém esperava. O gosto amargo da derrota só deu mais força para o coletivo chegar no novo ano e agarrar aquilo que acreditavam ser seu: o título de melhor equipe do Brasil.

Merecidamente, foram lá e agarraram.

“Naquela final (2020) a gente tinha passado por bastante coisa só que não éramos totalmente um time, parecia que alguém precisava fazer mais para ganhar. Acho que todo mundo tinha um pouco dessa sensação e isso não é muito saudável para o time, quando você é um time de verdade mesmo você acredita no outro (...) A diferença da outra final para essa é que estávamos muito confiantes um nos outros e em si mesmo, por conta da psicóloga também. Fez total diferença na final”, Cariok compara a paiN do último ano com a desse em entrevista ao ESPN Esports Brasil.

Nada disso foi conquistado de forma fácil, a vitória não cai de uma hora para outra em seu colo. Tão dura quanto a derrota na final contra os Intrépidos, foi sua caminhada inicial dentro do CBLoL.

Robo é um dos maiores topos do cenário e fez parte de grande parte dos times vitoriosos dos últimos anos. Cariok foi uma das grandes promessas do último ano e vem mostrando um ótimo desempenho. Tinowns é de longe um dos melhores jogadores do meio que temos no cenário. brTT já participou de diversas finais e hoje coleciona mais títulos que qualquer organização. Luci é um sul-coreano bicampeão brasileiro o qual montou uma das melhores duplas ao lado de seu parceiro de rota.

Da mesma forma que os nomes reunidos no plantel eram grandes, as expectativas acompanhavam e elas não eram impostas apenas pela comunidade, mas principalmente pelos próprios jogadores.

“Foi difícil porque era um time no papel muito bom e que a gente tinha muita expectativa, então quando começamos o campeonato atrás deu uma sensação ruim. A todo momento eu tinha certeza que tínhamos potencial de voltar e melhorar, então eu estava preocupado, mas sabia que a gente podia melhorar”, relata o caçador da equipe.

Melhoraram, evoluíram e superaram as expectativas. Saíram de uma má fase que parecia nunca passar, o conjunto deixou pelo caminho equipes que pareciam estar muito mais preparadas para o desafio de ser campeão brasileiro e mostraram que a paiN ainda não estava fora da competição.

Subiram pela tabela e conquistaram a ida aos playoffs. Por lá, no primeiro reverse sweep dos playoffs do CBLoL deixaram a LOUD pelo caminho, mais tarde o Flamengo e na final contra os favoritos? Levaram a série com uma facilidade que ninguém imaginava.

Se por um lado a conquista do título significa para Marcos Santos de Oliveira Junior que escolheu “uma profissão que sou capaz de exercer bem”, para seu alter ego Cariok significa que todo o esforço valeu a pena - ainda mais ao lado desses companheiros em específico.

“Foi muito importante pra mim e uma sensação muito boa. Uma coisa que eu senti no split passado quando perdemos foi que eu perdi com um time e jogadores muito bons, isso dá uma pesada a mais. Conseguir esse título principalmente com eles do lado foi bastante importante para ver que consigo jogar do lado dessa galera mesmo eles estando a muito mais tempo que eu no cenário”, conta.

A jornada até onde chegaram sem dúvidas foi árdua e a recompensa valeu a pena. Hoje, Cariok tem a chance de enfrentar o resto do mundo em um palco internacional e terá a oportunidade de tentar provar para outras regiões “que a gente tem jogo”.

Para esse importante desafio, a equipe estará acompanhada daquela que foi um dos principais pilares para a paiN Gaming nesse primeiro split e que ajudou a equipe a se reerguer de um momento difícil para conquistar o título: a psicóloga Luciana.

“Quando ela chegou a gente não estava em uma situação muito boa, mas ela sempre deixou claro que tínhamos potencial e que éramos jogadores bons, só tava ser um time bom e coletivo. Então ela sempre deixou isso bem claro, ela ajudou bastante desde o momento que entrou até o final da competição”, conta Cariok sobre a chegada da psicóloga.

Foram muitos anos buscando essa chance e correndo atrás de um dia representar o Brasil internacionalmente para tentar com corpo e alma protagonizar o tão esperado dia em que o Brasil terá uma boa performance internacional.

A responsabilidade de representar toda uma nação com certeza é uma pressão em cima dos ombros dos jogadores, mas para Cariok nada se compara à pressão imposta pelos próprios jogadores.

“Tem uma responsabilidade sim e eu sei que estamos buscando esses resultados a muito tempo, mas não é algo que me pressiona tanto assim. O que mais me pressiona somos nós mesmos, também queremos muito esse resultado”, completa.

Segundo o jogador, a preparação para o evento está sendo boa e, apesar de nunca ter ido para fora representar o Brasil, chegará para disputar o mesmo com “muita vontade de ganhar e muito confiante também”.

“Sempre vi [o MSI] com olhos de que é muito importante. Vamos estar jogando contra os melhores times atualmente, então é uma oportunidade de se provar, chegar forte e mostrar nosso jogo. Mesma coisa no mundial (risos), claro que a gente não ganhou ainda, mas se eu for vou jogar com a mesma garra e vontade, acreditando que é possível”, comenta.

Seu momento chegou e a confiança de que será aquele que trará orgulho ao Brasil está lá em cima. É importante acreditar que tudo dará certo e Cariok sabe disso.

“O principal é acreditar que é possível, porque se você for desacreditado e achar que não dá, você já perdeu”, conclui.

O primeiro confronto da equipe acontece na próxima quinta (06) contra a equipe turca Istanbul Wildcats, confronto que será transmitido através dos canais oficiais da Riot Games.