<
>

Valorant: Final Level oficializa chegada de seu elenco feminino com a Gamelanders Purple

play
First Strike: Gamelanders vence em Split e conquista o título sobre a paiN (6:15)

Veja os melhores momentos da final do torneio de VALORANT transmitido pelos canais ESPN (6:15)

Heptacampeã e maior equipe brasileira de Valorant no ano de 2020, a Gamelanders prepara sua entrada no cenário feminino. Grandes destaques em campeonatos femininos do último ano, as jogadoras Naxy, Bstrdd, Drn, Daiki e Nat1 formam o quinteto que representará a Gamelanders Purple.

As jogadoras se juntam à Gamelanders para disputar o calendário competitivo de Valorant em 2021. O lançamento oficial da line-up acontecerá neste domingo às 19h, no canal oficial da Gamelanders, enquanto a primeira competição oficial que a equipe participará será o Valorant Challengers Brasil, organizado pela Riot Games.

A promissora jogadora de 21 anos que hoje faz parte da Gamelanders Purple, Naxy, comentou em exclusiva ao ESPN Esports Brasil sobre a oportunidade de representar a atual maior organização brasileira de Valorant.

“As expectativas de representar Gamelanders são as maiores possíveis. Poder contar com todo o apoio da equipe tem sido maravilhoso, principalmente pela organização para um melhor desempenho, assim, teremos todo o background de técnico, analista, manager, para cumprirmos apenas nossas funções no time, podendo focar no gameplay. Isso faz com que tenhamos uma evolução gigantesca em game”, comenta.

Para Naxy, a porta que se abriu, além de ser uma grande oportunidade para sua carreira profissional, também a ajudará a se tornar um exemplo e inspirar outras mulheres a entrar no cenário competitivo.

“Sem contar que acabamos nos tornando exemplo para muitas mulheres que têm o sonho de se profissionalizar. Estamos movimentando todo um cenário a favor dessa equidade”, conta.

ENTRADA NO CENÁRIO FEMININO

Com a medida adotada pela Riot Games em permitir uma única organização de ter uma equipe mista e uma feminina competindo no Champions Tour, as movimentações das organizações começaram a se intensificar para encontrar jogadoras para representá-las no campeonato.

Preocupada em trazer essa representatividade ao cenário, Fernanda Lobão é um dos nomes da Final Level à frente do projeto, e enfatiza a importância do compromisso em abrir essas portas para que todas as jogadoras - não só as da Gamelanders - possam mostrar seu potencial.

“É importante abrirmos espaço para que as mulheres façam ainda mais parte desse mundo gamer, e reunir cinco delas em um único time é uma forma de abrir portas para as outras gamers, de afirmar que o mundo das competições é para todos”, afirma a CEO e cofundadora da Final Level.

Com o intuito da plataforma Final Level em se tornar um ponto de encontro para a comunidade gamer, Gabriel Araújo, co-idealizador do time Gamelanders e diretor de conteudo Final Level, aproveita para falar sobre as responsabilidades da organização com o cenário após sua entrada no mesmo no último ano com a Gamelanders.

“As atuais organizações detém muita relevância na formação e na cultura de adolescentes e jovens adultos. Já passou - e muito - da hora de trabalharmos para criar melhores condições de trabalho e oferecer profissionalismo para todos os integrantes do ecossistema. Sabemos da nossa responsabilidade para com o cenário, a qual assumimos, e como organização, independente do gênero do time, nos comprometeremos com resultados e entrega”, finaliza Gabriel.

CONHEÇA AS JOGADORAS

Capitã da equipe e grande destaque do último ano, Naxy chega à Gamelanders Purple para comandar a equipe durante a temporada. A jogadora iniciou sua carreira nos eSports aos 14 anos e participou de diversos cenários como Point Blank, CS:GO, Fortnite, Zula e PUBG.

Enquanto isso, Bstrdd de 20 anos começou sua caminhada pelos esports em 2015, enquanto jogava CS:GO. A chilena hoje conta com o recente título no Twitch Rivals Showdown de Valorant no LATAM.

Drn já atuou ao lado de Bstrdd e Naxy em campeonatos durante o último ano e compete em FPS’s a aproximadamente nove anos. Com 22 anos, a jogadora foi destaque da Metrópole Rivals Women’s Cup de Valorant no último ano e vice-campeã do mundial feminino de Point Blank em 2017.

A jogadora mais nova do time é Daiki. Com apenas 16 anos, Natália passou por títulos como Point Blank, CrossFire e CS:GO. Cotada como uma grande promessa do cenário, a jogadora foi a primeira mulher a aparecer no top 100 de melhores jogadores brasileiros de Valorant.

Por fim, mas não menos importante, temos a ex-jogadora da Vikings, Nat1. Atuando no cenário competitivo de CS:GO desde 2014, em 2020 a jogadora optou por migrar para o Valorant. No último ano, foi campeã do Metrópole Women’s Cup e finalista nas categorias “Atleta Revelação” e “Melhor Atleta de outras modalidades” do Prêmio eSports Brasil.

Além das jogadoras, também está nos planos da organização anunciar suas novas contratações para a comissão técnica - também composta por mulheres - em breve.