<
>

De monochampion à campeão mundial? Lord Semi quer se "redimir" com os fãs de LoL

play
Veja como ficar por dentro da Janela de Transferências do CBLoL no MatchMaking. (1:42)

Felipe Felix e Rodrigo Guerra mostram as reportagens especiais do site do ESPN Esports Brasil (1:42)

Girando em direção aos grandes nomes do streaming brasileiro, um dos jogadores revelação do ano de 2020 sem dúvidas foi Aldair Lima; ou como é conhecido pela comunidade de League of Legends: Lord Semi.

O mono champion, que já alcançou diversas vezes o topo das filas ranqueadas brasileiras jogando com o campeão Rammus, foi apresentado ao grande público que acompanha streams do jogo após uma aparição na stream do Baiano - e foi muito bem recebido pela comunidade.

No entanto, a sua caminhada no título da Riot Games, assim como no streaming, vem de muito antes e aqui, no ESPN Esports Brasil, você conhece a história dele.

Começo de sua jornada

O jogador que hoje possui pouco mais que 3 milhões de pontos de maestria somados entre suas contas com o simpático tatu bola, começou sua história com os videogames como grande parte dos brasileiros: na lan house.

Aos 8 anos, o paraibano se juntava com seus amigos no estabelecimento para jogar os mais diversos jogos, que iam de Grand Chase até o famoso Bomba Patch. Ao lado desses mesmos amigos, em meados de 2012 o jogador foi finalmente introduzido ao League of Legends.

“[Conheceu o jogo] através de alguns amigos que também jogavam na lan house. Eu fiquei observando e a primeira impressão que eu tive foi meio ‘Cara, esse jogo não tem muita graça não’, mas ai eu comecei a jogar e depois de um tempo não parei mais”, lembra dando risada.

Frequentador assíduo de um local onde as pessoas se juntam para jogar games, é natural que a competição esteja presente em seu dia a dia, ainda mais entre amigos.

E no LoL não poderia ser diferente. Ao ser introduzido ao MOBA, Lord Semi se entregou ao jogo e se manteve no topo entre os jogadores de Sousa, na Paraiba, em todos os momentos, se esforçando para que os mesmos nunca conseguissem alcançá-lo.

“Eu sempre gostei de competir com o pessoal. Aqui na minha cidade eu fui o primeiro a pegar prata na lan house e depois sempre fui o cara que tinha mais elo por aqui. Eu sempre era o cara que tinha mais elo e isso foi uma das motivações que fizeram com que eu continuasse tentando subir e melhorar pra nunca deixar a galera se aproximar”, diz.

Começando por Jax e Darius, e após um ano encontrando seu tatu bola preferido, o jovem iniciou sua escalada até o topo das filas ranqueadas.

Com o passar dos anos, eventualmente Aldair passou a figurar o topo das filas ranqueadas ao lado de jogadores profissionais; e fez isso ao mesmo tempo que ajudava outros a evoluir.

Após se consolidar na lista dos melhores jogadores do servidor brasileiro e ajudar aqueles que gostariam de melhorar suas habilidades com o campeão que domina, Lord Semi decidiu começar a se aventurar nas plataformas de streaming.

Onde tudo mudou

Agora reconhecido por jogadores profissionais, e outros que também fazem parte da elite do League of Legends, apesar de volta e meia receber elogios e incentivos para começar a streamar, o jovem que já trabalhava e estudava não encontrou espaço em seus horários para se dedicar a tal.

“O pessoal sempre pedia dica, querendo aprimorar a habilidade deles com Rammus ou até mesmo na jungle. E eu acabava explicando e o pessoal falava ‘Você explica tão bem, porque você não começa a fazer stream?’, mas eu não tinha tanto tempo de streamar, porque eu já trabalhava”, diz o jovem.

Ainda trabalhando como operador de caixa no mercado de uma cidade vizinha, a correnteza finalmente ficou a seu favor quando a oportunidade de ganhar dinheiro transmitindo seus jogos surgiu através da agora falecida, Cube TV.

“Acabou acontecendo uma oportunidade na Cube [...], eu fiquei lá por dois meses e depois fui pra Twitch”, relembra.

Lord Semi, que antes não tinha tanto tempo para as streams, criou um espaço em sua agenda apertada entre o trabalho e os estudos, e se jogou de cabeça.

Em julho deste ano, já na plataforma roxa, Lord Semi foi convidado a participar em uma discussão no canal do streamer Baiano para conversar com jogadores profissionais e personalidades do LoL brasileiro sobre os problemas que tornam a região brasileira uma das piores do mundo na modalidade, além do impacto que jogadores que jogam com um campeão só como ele tem nisso tudo.

Essa participação aliás, é um dos fatores que o streamer atribui para o crescimento de seu canal nos últimos meses. Através desta, o jovem paraibano viu um crescimento massivo no número de pessoas que o acompanhava tanto em suas redes sociais, quanto em suas transmissões diárias.

“Eu já tinha bons números, em torno de 200 a 500 visualizações em média. Eu já era conhecido pelo pessoal do cenário, mas a discussão que teve no Baiano foi uma das coisas que proporcionaram esse crescimento”, comenta.

O apoio da comunidade

Segundo Aldair, nem em seus melhores sonhos havia tido o pensamento de ter o apoio que recebe hoje em dia da comunidade.

O fruto de sua dedicação às streams combinado com sua personalidade e carisma fez com que o mono champion se tornasse um dos grandes nomes da Twitch brasileira quando o assunto é LoL.

“Eu não consigo acreditar, não cai a ficha ta ligado?”, diz desacreditado.

Hoje, com um crescimento na média de espectadores de 376% entre julho e novembro, o streamer que começou a se aventurar nesse meio enquanto ainda trabalhava como operador de caixa, teve a oportunidade de viver apenas fazendo o que gosta: transmitindo seus jogos e ensinando aqueles que querem aprender.

“Quando eu comecei a streamar eu não tinha nem saído do emprego ainda, eu tentei conciliar os dois e a faculdade. Depois eu vi que eu fui crescendo e que tava dando uma renda boa para eu me sustentar aqui na Paraíba. Até hoje eu abro a stream e fico ‘Cara, como assim eu acabei de abrir stream e já tem 100 pessoas me assistindo? Será que são 100 pessoas mesmo?’”, reflete.

Hm, Okay! Mas e o futuro?

Com o término da faculdade de matemática previsto para 2022, o streamer enxerga para seu futuro algumas mudanças.

Além de completar a faculdade e se tornar melhor no jogo ao longo dos anos, Lord Semi afirma que quer tentar a sorte no cenário competitivo brasileiro de League of Legends.

“Eu pretendo melhorar mais ainda minhas habilidades. Quem sabe quando eu terminar a faculdade tentar entrar no cenário competitivo [...] ainda é um dos meus planos. Não sei se vou conseguir chegar a esse nível, mas tenho como meta tentar trilhar o caminho competitivo”, crava esperançoso.

De olho em seu futuro como jogador profissional e o que os anos seguintes lhe reservam, o atual streamer relembra e brinca com a situação que ocorreu no meio do ano na transmissão do Baiano.

“Eu pretendo [entrar no competitivo] para pelo menos tirar minha culpa né, já que eu sou o culpado de tudo no cenário. Pelo menos para me redimir, quem sabe trazer o mundial pra casa”, finaliza em tom de brincadeira.

Assim como é descrita a história de seu campeão favorito, qualquer que seja o caminho que escolher, Lord Semi "manterá seus pareceres e não interromperá seu caminho para ninguém".