<
>

#FreeVSM: A história que tirou o jogador dos torneios oficiais de CSGO

play
Guerri critica 'Fla-Flu' das torcidas na rivalidade entre FURIA e MIBR pelo CSGO: 'É muito agressivo' (4:41)

Técnico da FURIA avalia excessos que partem dos torcedores, mas vê comunidade amadurecendo (4:41)

Apesar da derrota em sua primeira partida da Flashpoint 2, o novo elenco da MIBR que bateu de frente com grandes times do cenário internacional, vem chamando atenção dos fanáticos por CS:GO e abrindo sorriso no rosto dos brasileirinhos.

Porém, uma peça carismática (e extremamente habilidosa) em específico se destacou nas últimas semanas: Vinicius “vsm” Moreira.

Considerado uma das maiores promessas brasileiras atualmente, o bom desempenho do jogador durante a BLAST Premier Fall fez com que a antiga tag #FreeVSM voltasse ao twitter.

ENTENDENDO O CASO

Para entender melhor sobre a hashtag usada na rede, precisamos dar alguns passos para trás e voltar à 2018.

Naquele ano, aproximadamente três meses depois de vsm se juntar à DETONA Gaming, uma denúncia fez com que a Electronic Sports League (ESL) iniciasse uma investigação envolvendo um perfil do jogador.

O perfil em questão, que supostamente seria de vsm, tem em seu registro um banimento do Valve Anti-Cheat (VAC) de sete anos atrás - cinco na época em que a denúncia ocorreu -, quando o jogador tinha apenas 13 anos.

Passada uma semana da investigação, veio a confirmação de que de fato existia uma relação entre o jogador e a conta banida. Mesmo assim, em comunicado oficial à ESPN Esports Brasil, a assessoria da ESL afirmou “que o pro player continua participando de eventos organizados pela empresa”.

No entanto, a Valve não foi tão flexível. Conhecida por não vir a público comentar sobre suas decisões, a desenvolvedora aplicou ao brasileiro um banimento com tempo indefinido das competições de CS:GO organizadas pela mesma - ou seja, majors e minors.

O posicionamento da empresa em banir o jogador por tempo indeterminado por conta de um cheat usado anos atrás gerou revolta na comunidade brasileira, que retaliou a decisão através da tag #freevsm com a ajuda de grandes jogadores profissionais, como FalleN.

Impossibilitada de participar dos grandes campeonatos organizados pela Valve, a DETONA Gaming vêm a tempos conversando com a desenvolvedora para tentar reverter a decisão, mas até o momento o jogador continua banido.

PÓS-BANIMENTO

Contratado pela DETONA em julho de 2018 após diversas tentativas da organização, apesar da punição vsm passou os dois últimos anos defendendo a camisa dos Pitbulls e provando seu valor dentro de jogo, além de mostrar o porque é considerado uma das maiores promessas do cenário brasileiro.

O reconhecimento do jogador veio em outubro deste ano, quando recebeu uma proposta irrecusável para defender a lendária MIBR. Emprestado pela DETONA, o jovem brasileirinho mostrou ao cenário internacional o quão perigoso pode ser quando a oportunidade lhe é dada.

Seja com um grande sorriso estampado no rosto durante as partidas ou com sua habilidade dentro de jogo, o fato é que vsm rapidamente conquistou os fãs brasileiros que ainda não o conheciam e aterrorizou os gringos com seus clutches.

Finalmente, o jovem pitbull pôde sair do canil e mostrar seus dentes ao mundo. Com uma grande oportunidade em sua frente, infelizmente o único obstáculo que o impede de alcançar o topo é uma coleira a qual nem mesmo seus “donos” conseguiram tirar nos últimos anos.

#FreeVSM