<
>

Análise: Com um legado imenso à disposição, Xbox Series X e S estão prontos para o futuro

play
Veja o unboxing do novo videogame da Microsoft, o Xbox Series X. (2:06)

Rodrigo Guerra revela o que há dentro da caixa (2:06)

Lá se vão 3 décadas desde que joguei videogame pela primeira vez. Foi uma partida de River Raid no clássico Atari, mas para mim, foi como se eu estivesse pilotando mesmo uma caça de uma força aérea qualquer. Agora, em 2020, após ter jogado bastante e vivido boa parte da minha vida nesta indústria cada vez mais importante, "joguei um videogame pela primeira vez" ao testar o mais novo console da Microsoft, o Xbox Series X.

Junto com seu “irmão”, Xbox Series S, o console retangular abre a nova temporada para os gamers de console com muito do que há mais avançado em tecnologia. Já que vemos cada vez mais a aproximação dos consoles tradicionais com os computadores, Series X e S tem a sua disposição alguns dos elementos que já fazem bastante sucesso entre os usuários de PCs. Além disso, conta com uma computação cada vez mais voltada para a nuvem e uma integração entre dispositivos completamente diferentes.

O console será lançado em 10 de novembro de 2020, mas eu tenho jogado na última semana para trazer um pouco do que você tem a disposição quando tiver um Series X ou S em suas mãos.

EXPERIÊNCIA

Para começar, posso dizer que tive uma experiência de nova geração logo neste primeiro contato que durou pouco mais de 1 semana com o Series X. Apesar de não contar super lançamentos até o momento, como Assassin’s Creed Valhalla, o acesso à Biblioteca do Xbox Game Pass Ultimate oferece diversos jogos otimizados para o console.

Primeiro, algo bastante pessoal. Tenho jogado, desde o final de 2016, no PlayStation 4 Pro. Tenho também o Xbox One, já que produzo conteúdo de diversas plataformas para o ESPN Esports Brasil, mas o console da Sony tem ficado na sala de estar para a jogatina em geral.

Meu PlayStation 4 costuma fazer “cosplay” de turbina de avião, já que suas ventoinhas de resfriamento fazem um barulho considerável. Pois bem, o que seria algo normal para qualquer um, jogar em silêncio com o Series X se mostrou de “outro mundo” para mim. Nada de volume mais alto do que normal e atrapalhando outras pessoas.

O Xbox Series X é bem silencioso e seu calor se concentra mais na parte superior (uso o aparelho para teste na horizontal).

Uma vez configurado com minha gametag, personalizações e jogos foram disponibilizados. Os menus em blocos são semelhantes ao Xbox One, com algumas mudanças de posicionamento. Agora as opções tão listadas mais na vertical, do lado esquerdo da tela.

Aí começa o grande barato da nova geração: o SSD. Creio que aqueles que já trocaram o HD de seu velho PC por um SSD e viram a “ressurreição” do aparelho sabem do que estou falando. Seja no simples acesso de opções ou nas telas de “loadings”, o tempo de carregamento é muito pequeno.

Em jogos da franquia “Gears of Wars”, por exemplo, as fases parecem se sobrepor mesmo quando a troca de cenário. No Fallout 76, baseado em um mundo aberto, há um carregamento inicial e mais um para voltamos à degradada West Virginia. Todos os demais loadings são bem pequenos.

Visualmente o console se aproveita bem, a princípios com os jogos disponíveis, da capacidade gráfica do console. Não houve até o momento quedas de frame ou problemas, a não ser a percepção do limite tecnológico de games que, a partir de hoje, fazem parte da geração passada dos videogames.

O CONTROLE

Muito de uma boa experiência jogo vem do controle. No caso do Xbox Wireless Controller, a Microsoft mantém uma estratégia adotada na transição do 360 para One (e consagrada pela Sony em três gerações de PlayStation) ao manter o mesmo formato da geração passada.

Trata-se de uma boa escolha na minha opinião, pois curto o controle adotado pela Microsoft. Para a nova geração, o Controller recebe um novo controle digital (D-Pad). Está bem preciso nas indicações das direções e seu som passa a impressão do uso de um teclado de PC mecânico. Já os analógicos estão mais leves, fato que facilita sua movimentação e manuseio.

O controle traz também o novo botão Share e, como no PlayStation 4, permite que compartilhemos telas de jogo ou menu com rapidez, que sobem automaticamente para a galeria de sua gametag.

O gasto de energia está sensivelmente menor se comparado com Xbox One. Durante minha experiência, o par de pilhas durou por volta de 30 horas, mesmo com a função de tremer ligada - mas sem acessórios conectados.

A primeira coleção de controles tem 3 cores (preto, branco e azul) e é compatível com Xbox One, Windows 10, Android e iOS.

ESPECIFICAÇÕES

A fim de durar os próximos anos, as empresas buscam o que há de melhor, desde que dentro de um preço competitivo. Sendo assim, os novos consoles da Microsoft possuem estas especificações:

A nova geração da Microsoft traz o Xbox Velocity Architecture em ambos os consoles, para que haja uma diminuição da velocidade dos carregamentos e mudança rápida entre jogos por meio do Quick Resume. Isso é possível, além do poder de processamento, graças a adoção do SSD como componente que guarda os dados do console e jogos.

Com uma velocidade maior de gravação e leitura em relação aos “antigos” discos rígidos mecânicos. Temos algo muito próximo de um carregamento instantâneo, principalmente nos games mais antigos. Vale ressaltar que a velocidade de carregamento não é só uma demonstração de potência, mas uma necessidade, já que os jogos possuem cada vez mais dados e ocupam muito mais espaço de armazenamento.

Outra tecnologia a se destacar é DirectX Raytracing, que afeta diretamente o processamento visual dos consoles. Temos aqui, um aprimoramento visual quanto a luz e sombra, além do suporte a 120FPS mesmo em resolução cada vez mais altas, como o 4K.

DIA 1

No chamado Dia 1 (10 de novembro), há uma lista de 30 jogos otimizados para o Series X e S. São jogos modificados para aproveitar elementos da nova tecnologia dos consoles, como velocidade de carregamento, qualidade gráfica e taxa de quadros de até 120 fps. Veja a lista composta com lançamentos e games preparados para o lançamento:

• Assassin’s Creed Valhalla
• Borderlands 3
• Bright Memory 1.0
• Cuisine Royale
• Dead by Daylight
• Devil May Cry 5: Special Edition
• DIRT 5
• Enlisted
• Evergate
• The Falconeer
• Fortnite
• Forza Horizon 4
• Gears 5
• Gears Tactics
• Grounded
• King Oddball
• Maneater
• Manifold Garden
• NBA 2K21
• Observer: System Redux
• Ori and the Will of the Wisps
• Planet Coaster
• Sea of Thieves
• Tetris Effect: Connected
• The Touryst
• War Thunder
• Warhammer: Chaosbane Slayer Edition
• Watch Dogs: Legion
• WRC 9 FIA World Rally Championship
• Yakuza: Like a Dragon
• Yes, Your Grace

QUAL A DIFERENÇA ENTRE OS ‘SERIES’?

Ambos os consoles oferecem recursos de da nova geração (carregamento mais rápido, Quick Resume, capacidade de alternar entre vários jogos rapidamente e taxas de quadros de até 120FPS).

Já nas diferenças, o Xbox Series X exibe jogos em 4K nativo, vem equipado com um reprodutor de disco UHD Blu-ray e tem 1 TB de armazenamento SSD. O Xbox Series S não possui drive para mídias físicas (funciona apenas com jogos online) e SSD de 512 GB. Ambos aceitam o Cartão de expansão de armazenamento (mais 1TB de espaço).

RETROCOMPATIBILIDADE

Series X e S possuem um elo com passado, pois são retrocompatíveis com as gerações do Xbox. O Series X roda mídias do Xbox, Xbox 360 e Xbox One, assim como filmes e shows. Ambos são compatíveis com assessórios antigos, como o controle original do Xbox One, Media Remote (controle remoto), Chatpad (teclado) e Stereo Headset Adapter (adaptador).

Uma vez que você use sua gametag, tem acesso a toda sua “vida” antes da nova geração, como a maneira que você personalizava sua tela, seus progressos (saves), além da biblioteca de jogos e aplicativos.

XBOX GAME PASS ULTIMATE

Os usuários da Microsoft têm à disposição o Xbox Game Pass Ultimate, um serviço pago que dá acesso a partidas multiplayer online, uma biblioteca com mais de 100 jogos (com destaque aos games da Microsoft Studios e estúdios próprios, como Gears, Forza e Halo). Com a aquisição da Bethesda em 2020 por parte da Microsoft, são grandes as chances que os exclusivos para o console, como os novos Doom, The Elder Scrolls e Fallout. O custo do serviço é R$ 44,99 por mês.

PREÇOS

Com a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) publicado no Diário Oficial da União em 29 de outubro, o preço sugerido do Xbox Series X é de R$ 4.599 (antes, era de R$ 4.999). Já o Xbox Series S tem o preço sugerido por R$ 2.799 (antes por R$ 2.999).

Ao comprar a nova geração da Microsoft, você recebe o console escolhido, 1 controle, cabo HDMI (2.1 no caso do Xbox Series X e 2.0 no Series S) e o cabo de alimentação.