<
>

LoL: O sol... há de brilhar mais uma vez

play
Worlds: Antes na Liquid Academy, Tactical agradece confiança de CoreJJ como titular (0:13)

Atirador da Team Liquid fala sobre relação com o suporte (0:13)

Bin, o novato que solava o TheShy nos treinos no seu primeiro mês de carreira. SofM, o caçador vietnamita que chegou à China sem saber falar uma palavra em mandarim. Angel, o mid laner que foi sacrificado para jogar na rota do topo por uma temporada inteira. Huanfeng, o atirador de uma história de vida com uma jornada de herói. SwordArt, o capitão taiwanês da antiga Flash Wolves que reunia talento e liderança. Eles são o Sol. Eles são Suning: semifinalistas do Mundial de League of Legends 2020.

Desacreditada por muitos, a Suning chegou à primeira etapa da LPL 2020 com este mesmíssimo elenco, adicionando os reservas Biubiu e Weiwei. O time não conseguiu chegar aos playoffs da competição e em 16 séries melhor de três, venceu sete e perdeu nove. A comissão técnica formada por Chashao, Furry e Dian não conseguiu levar o time para onde era planejado, mas mesmo assim nada foi jogado para o alto.

PREMIADOS PELA INSISTÊNCIA

A Suning sabia que tinha três talentos que deveriam ser lapidados e não jogou seu projeto para o alto após um resultado ruim. Na verdade, aprendeu com os erros. Esse time já teve Tian (FunPlus Phoenix) e Knight (Top Esports) e não teve paciência em desenvolvê-los - não iriam errar novamente.

Para a segunda etapa, mantiveram o elenco titular e emprestaram Biubiu e Weiwei para a Victory5 (onde foram muito bem, diga-se de passagem). Deu certo: os jovens Bin e Huanfeng brilharam, jogaram como gente grande. Com o mesmo elenco titular e a mesma comissão técnica que fracassaram alguns meses antes, a Suning classificou para as quartas-de-final da LPL com doze vitórias e quatro derrotas, ficando na quarta posição.

De décimo primeiro para quarto sem mover nenhuma peça. Planejamento, fé no projeto, convicção nos jogadores e na comissão técnica, muito treino e trabalho. Não existe fórmula mágica para o sucesso no esporte, mas essa cartilha pode te ajudar bastante. A Suning insistiu em seus valores e cresceu no momento certo.

Na fase eliminatória, enfrentou a Victory5 - o destino reservava a eles enfrentar os seus jogadores emprestados, Biubiu e Weiwei. A V5 havia acabado de atropelar a FunPlus Phoenix por 3-1 e chegava para a série com muitas expectativas; estas foram completamente frustradas, pois a Suning dominou as zebras e garantiu 3-1 para eliminá-los da competição.

O time estava ainda em crescimento, faltava algo. Os jovens jogadores, apesar de muito talentosos, eram inconsistentes.

Por isso, nas semifinais, foram superados pela Top Esports por 3-0 (um resultado um pouco exagerado, pois a Suning lutou bravamente) e tiveram que caminhar pela árdua estrada das finais regionais. Antes disso, atropelaram a LGD Gaming para garantir o terceiro lugar da LPL, 3-0.

HUANFENG BRILHA

O menino deixado à beira-mar, com uma história de vida digna de documentário, Huanfeng também é um craque do League of Legends. Passou a infância sobrevivendo com menos de cem dólares por mês e sendo o melhor em sua escola e não estaria disposto a desperdiçar sua oportunidade de brilhar no Leão. Formado na Invictus Gaming, o garoto foi contratado pela Suning como a maior promessa depois de Knight e está, atualmente, cumprindo todas as expectativas.

Nas finais regionais, Huanfeng liderou sua equipe para o Mundial, garantindo novamente um impiedoso 3-0 contra a mesma LGD Gaming e a Suning parecia cada vez mais pronta, crescendo no momento certo.

A JORNADA DOS HERÓIS

Desde 2018, a China vem dominando o League of Legends mundial e tivemos um seed 2 (IG) e um seed 1 (FPX) campeões mundiais. Quando a Coreia do Sul dominava o cenário, tivemos a Samsung Galaxy campeã sendo seed 3, mas ainda não tivemos essa figura pela China.

A Suning é o seed 3 chinês e chegou para o Mundial no grupo da queridinha G2 Esports, da Europa. Com a maioria acreditando que, ou passariam em segundo, ou não passariam (por algum motivo), surpreenderam novamente e dominaram a G2 em dois de três jogos para garantir a primeira colocação do grupo A.

A tarefa nos playoffs não seria fácil. Mesmo ficando em primeiro, a Suning não deu muita sorte no sorteio e acabou tendo que encarar a vice-campeã chinesa JD Gaming. Era difícil, mas parecia parte de sua jornada heróica: eliminou hoje (16) o seed 2 da China de maneira convincente e dominante, por 3-1. E o Sol chinês vem crescendo e crescendo, com as atuações dos novatos Bin e Huanfeng cada vez mais sólidas e com SofM brilhando como costuma brilhar.

Os Leões do Sol têm toda a pinta de uma jornada de herói e, se continuarem jogando assim, podem (e devem) seguir surpreendendo no campeonato de LoL mais importante do mundo. Usarei as palavras de Nelson Cavaquinho para indagar aos fãs de Esports: será que o Sol há de brilhar mais uma vez no Mundial de LoL? Veremos.