<
>

A seleção gastronômica de Fifa 20 está escalada com pimenta, arroz e atum

Vital em nossa vida, a comida nos mantém vivos e é algo que nos dá prazer. Está tão presente em nossa vida, que aparecem em nomes de pessoas. No Brasil, tem gente batizada de Leite, Mel, Amora, Pitanga, Lima e Pimenta. No exterior é o mesmo caso, a ponto de render um time completo de futebol.

Pois o usuário do reedit epicsword22 escalou um time em Fifa 20 com onze jogadores e o técnico cujos nomes são ou se referem a comida.

No gol, José de Jesús Corona garante que os adversários não vão abrir uma cerveja de mesmo nome para comemorar ao final do jogo. O goleiro do clube mexicano Cruz Azul tem rating 75 e, para manter a segurança na hora de levantar o copo, tem como principal atributo o Manuseio (77).

Quem não gosta da marca mexicana de cerveja pode tentar uma dos EUA – com um toque canadense. Kamal Miller, zagueiro do Orlando City, em um jogador de apenas 60 no rating, sem qualquer atributo de destaque.

Para quem não ingere bebidas alcoólicas, o jeito é torcer para o lateral direito do time, Jorge Andújar Moreno (Levante), conhecido no jogo como Coke. O espanhol, de rating 75, se destaca pela Impulsão (82) e Cabeceio (83).

Prefere água a cerveja ou refrigerante? O inglês Danny Drinkwater (Aston Villa) te incentiva a beber água até no nome. O meio-campo de rating 75 tem o Lançamento (81) para oferecer qualidade ao time.

Opções de bebida definidas, vamos à comida. Como base de nossa alimentação, o meia Declan Rice representa o amado arroz de cada dia. O jogador do West Ham tem rating e alguns atributos na casa dos 78 pontos. O cardápio reserva uma segunda opção como prato principal: Kevin Lasagna, atacante do Udinese. O italiano tem rating 76 e, ao contrário de quem come muita lasanha, corre bastante: Aceleração e Pique em 90.

Hora de escolher o que acompanha o prato principal, popularmente chamado de “mistura”. Voltamos a defesa para convocar Korbinian Burger (SG Sonnenhof Großaspach). Talvez falte algumas fatias de pão para acompanhar, já que o alemão tem rating de 63 e nada mais – mas calma, ainda há mais duas opções.

No ataque aparece Lewis Wing, inglês do Middlesbrough de rating 71. Assim como as galinhas que fornecem suas deliciosas asas, Wing decepciona na velocidade (67), mas garante certa habilidade no Agilidade (73).

A segunda opção vem do banco de reserva com o técnico (genérico) T. Tuna, para quem gosta de carne branca como do atum. Para deixar tudo mais gostoso, o time culinário conta com o australiano Jacob Pepper. O jogador do Brisbane Roar tem rating de 60 e, no máximo, conta com 80 de Fôlego para quem come pimenta demais e precisa recuperar sua respiração.

Para fechar o time, a sobremesa. A equipe oferece a opção de paladar mais abrangente com Luke Berry, ou mais específica com Aynsley Pears. Berry (rating 67; Luton Town) deve estar em várias partes do meio-campo, assim como as bagas aparecem em diversas frutas, como a mexerica. Já Pears (64; Middlesbrough), improvisado na lateral esquerda, pode imitar a pera e não deixar a bola passar por debaixo ao marcar o adversário.

Assim, o time ficou escalado com Corona no gol, Coke, Burger, Miller e Pears na defesa. O meio de campo tem Rice, Drinkwater e Berry. Na frente, Pepper, Lasagna e Wing. No comando do time, Tuna.