<
>

Conheça Lando Norris, o jovem piloto da McLaren que simboliza a integração dos esports com a F1

Lando Norris acredita que os esports podem ajudar a F1 a alcançar os mais jovens Oli SCARFF/AFP

Provavelmente foi um erro imaginar que o novato da F1, o britânico Lando Norris, sabia o que era internet discada. Afinal, trata-se de alguém de 19 anos de idade.

A conversa era sobre corridas online, um dos temas favoritos do adolescente. Quando ele não está competindo contra os melhores do mundo na pista, Norris está tentando encontrar tempo para correr e ser o melhor piloto do mundo on-line.

"Você pode correr sempre que quiser e é ótimo", disse Norris à ESPN. "A menos que caia um temporal ou algo assim e sua eletricidade acabe. Minha internet caiu momentaneamente algumas vezes..., mas é o máximo de obstáculo que encontro".

Quando disse a ele que teria sido um pesadelo na era da internet discada, ele lançou um olhar inexpressivo para mim. Seguindo uma explicação de quantas vezes ele seria interrompido e do som da conexão que o modem fazia para quem cresceu nos anos 90, ele riu e disse: "sério? Isso é uma droga. Eu me sinto mal por vocês!"

Uma discussão sobre esports é talvez o exemplo perfeito da divisão geracional que a F1 e muitos outros esportes estão tentando superar atualmente.

A F1 abraçou esse gênero crescente ao lançar seu próprio campeonato de esports em 2017, evento que agora está em sua terceira temporada e evoluiu para um circuito com 10 equipes no grid e que prepara jogadores reais. Foi no draft deste ano que encontrei Norris, em meio ao seu começo promissor em sua primeira temporada na F1.

É um momento notável em sua vida. Norris está garantido por mais uma temporada na McLaren, e ele foi chegou nem a F1, justificando o hype que o seguiu do kart a sua progressão nas fileiras das categorias. Ele credita grande parte de seu sucesso atual ao seu passatempo favorito.

"Mesmo antes de começar no kart ou qualquer categoria, eu competia online. Lá, você aprende como pilotar no traçado, você aprende a frear, muito dos fundamentos. Você aprende muito do básico, as coisas mais simples de todas, então inicia seu desenvolvimento daí”, diz Norris.

"E mesmo agora, poso aprender coisas boas do ponto de vista da estratégia e configurações do carro. Por exemplo, posso disputar, em todos os finais de semana de corrida, contra Carlos Sainz (companheiro de McLaren) e ser capaz de aprender onde estou propenso a ser bom, onde estou mal e os lugares que preciso trabalhar.

"Noventa e nove por cento do tempo é a busca por segundos. Por exemplo, entramos em Silverstone sabendo quais curvas Carlos provavelmente seria melhor que eu, e ele foi, então através da simulação para começamos a trabalhar nisso. Então, jogar é uma coisa que uso para mudar minha pilotagem, como encontrar maneiras diferentes para ser rápido em todas as áreas da pista, o que é difícil de fazer quando você é apenas pilota com o carro real".

Alguns dias depois de termos conversado, Norris se juntou ao também jovem Max Verstappen, da Red Bull, para contestar as 12 Horas de Bathurst em iRacing. Verstappen tem sido o astro da F1 nesta temporada, conquistando duas vitórias memoráveis e lutando roda a roda com Lewis Hamilton no Grande Prêmio da Hungria, e Norris aproveitou a oportunidade para se comparar com a nome mais quente da F1 no momento.

"Eu não conhecia Max tão bem, mas digo que somos amigos muito melhores agora por causa disso. É uma coisa bem legal saber que ele é um piloto de verdade que também pilota em um simulador. Ele faz as mesmas coisas que eu”.

Norris também falou sobre como é pilotar online e offline: “é difícil conduzir exatamente da mesma maneira que você dirige um carro de Fórmula 1. Você precisa dirigir de uma maneira bastante específica. É uma coisa boa. Podemos fazer boas corridas, aprender sobre diferentes traçados, onde ultrapassar e onde não ultrapassar.

“Parece ser mais relevante ir contra um piloto de verdade e tentar vencê-lo não apenas na pista, mas também fora da pista. Isso definitivamente me ajudou este ano".

O nível de competição continua impressionando Norris, que brincou dizendo que ele e Verstappen geralmente têm um alvo nas costas sempre que decidem correr.

"Com certeza as pessoas querem nos vencer quando corrermos em um evento. Mas não é justo supor que somos melhores do que os demais - todos são pilotos extremamente bons, melhores do que eu no simulador. Eu posso ser bom, mas a precisão que eles têm de uma volta para a outra são bastante insanas. Uma das grandes forças deles é a consistência”, disse.

"Há muitas coisas nas quais eles são muito bons e melhores do que eu em um simulador, e Max, mas isso é legal para nós. Temos que adaptar nossa direção, mudar e tentar derrotar esses caras".

É difícil negar o nível de talento nas corridas on-line, e é uma pequena surpresa que o esports tenha causado um grande impacto nas corridas recentemente. Em 2018, a McLaren deu ao holandês Rudy van Buren, que venceu sua competição de Jogador Mais Rápido do Mundo, um papel fundamental no seu simulador de F1, enquanto o astro do esports Enzo Bonito venceu o ex-piloto de F1 Lucas di Grassi em um confronto direto na Race of Campeões em janeiro deste ano.

A ascensão do esports levou à inevitável pergunta sobre quando um jogador online pode um dia estar pronto para se juntar à grade apropriada da F1. Norris espera que o papel dos esports na F1 continue a crescer.

"Há muitas coisas nas quais eles são muito bons e melhores do que eu ou Max em simuladores, mas isso é legal para nós. Temos que adaptar nossa direção, mudar e tentar derrotar esses caras".

É difícil negar o nível de talento nas corridas online, e é uma pequena surpresa que os esports tenham causado um grande impacto nas corridas recentemente. Em 2018, a McLaren deu ao holandês Rudy van Buren, que venceu sua competição de Jogador Mais Rápido do Mundo, um papel fundamental no seu simulador de F1, enquanto o astro do esports Enzo Bonito venceu o ex-piloto de F1 Lucas di Grassi em um confronto direto na Race of Champions em janeiro deste ano.

A ascensão dos esports levou à inevitável pergunta sobre quando um jogador online pode estar pronto para se juntar a um grid da F1. Norris espera que o papel dos esports na F1 continue a crescer.

Quando perguntei se ele se alinharia no grid contra um jogador que virou piloto na F1 a partir de simuladores, ele disse: "absolutamente. Já tivemos pilotos de simulador derrotando alguns pilotos extremamente bons na Race of Champions”.

"Conheço os caras que fizeram isso, conheço muito bem, e é legal vê-los dirigir no simulador em casa ou onde quer que estejam, e correndo em um carro de verdade e indo bem. Acho que isso é muito importante, pois atrai mais pilotos dos simuladores para um carro de corrida real”.

"Se os esports se tornares muito maiores na F1, e acho se tornarão, haverá mais dinheiro e os pilotos terão mais condições de viajar para cada evento. Tendo sessões de treinos, sessões de qualificação e corridas no domingo nas mesmas datas que as nossas. É algo que eu adoraria ver no futuro. "

Mas Norris vê benefícios mais imediatos para a F1 a curto prazo.

"Espero que funcione nos dois sentidos - as pessoas que assistem as corridas de simuladores começarão a assistir a Fórmula 1 real; as pessoas que assistirem a Fórmula 1 ouvirão sobre isso, verão e começarão a assistir os esports. Está ficando cada vez maior e que o campeonato de esports e o campeonato de F1 devem seguir juntos".

É difícil de prever o futuro das corridas de esports, mas está claro que, aconteça o que acontecer, Norris é um candidato perfeito para ser o rosto dela por muito tempo. Enquanto isso, o piloto seguirá sua temporada de estreia na F1, quando as corridas recomeçarem no Grande Prêmio da Bélgica em Spa-Francorchamps em 1º de setembro.