<
>

Arjen Robben, o jogador que ajudou a definir a função de "ponta" em Fifa e PES

Arjen Robben com a camisa do Bayern de Munique Reprodução/EA Sports

Esta quinta-feira (04) marcou o fim da trajetória de Arjen Robben, 35 anos, no futebol mundial. O holandês anunciou sua aposentadoria após 210 gols em 19 anos, com grande destaque principalmente pelo Bayern de Munique e a Seleção de seu país.

Ao longo da careira, Robben defendeu os times do Groningen, PSV Eindhoven, Chelsea, Real Madrid e Bayern de Munique. Pelo PSV, ganhou a liga holandesa em 2002/2003. No Chelsea, levantou a Copa da Liga Inglesa duas vezes (2005 e 2007), a Copa da Inglaterra em 2007 e duas ligas inglesas (2004/2005 e 2005/2006).

No Real, conquistou LaLiga em 2007/2008 e se consagrou no Bayern, onde ganhou 5 vezes a Copas da Alemanha, 8 vezes a Bundesliga, 1 Champions League e 1 Mundial de Clubes da Fifa. Pela Holanda, foi vice-campeão mundial da Copa do Mundo de 2010.

Por ser um jogador de destaque em grandes clubes, também foi valorizado ao longo dos anos em Pro Evolution Soccer e Fifa, sendo uma opção interessante para o ataque de qualquer clube virtual. Vamos conferir os atributos de Robben na história recente de ambas as franquias:

Desde Pro Evolution Soccer 5, Robben foi referência entre os atacantes mais perigosos. O jogador perdeu um pouco de fôlego em seu rating somente em 2018 e acabou não aparecendo em PES 2019.

Em Fifa, Robben foi classificado sempre como um jogador de muita explosão muscular e velocidade. Um genuíno Ponta, teve ao longo dos games os atributos Drible, Aceleração e Pique como maiores atrações.