<
>

Para produtor de Fifa 20, modo de jogo Volta é um resgate das raízes da franquia

Crie seus jogadores para competir nas quadras de Fifa 20 Divulgação/EA Sports

Nem só do futebol praticado em campo, do jeito mais tradicional possível, viveu Fifa ao longo de sua história. Assim como no mundo real, a franquia já foi para ruas ou quadras para mostrar um pouco da cultura urbana do futebol praticado por crianças e jovens em todo globo. Essa á cultura do chamado “futebol moleque” que Matthew Prior, produtor de Fifa 20, que trazer de volta junto com o novo game da franquia.

Em entrevista exclusiva ao ESPN Esports Brasil, Matthew falou da importância de uma das novidades do de Fifa 20, o modo de jogo “Volta Football” ao game como um todo: “estamos trazendo Fifa de volta para suas raízes, porque acredito vários nossos fãs não tiveram a experiência de jogar futebol nas ruas como gerações passadas”.

Volta é um modo que remete a Fifa Street e games da franquia que ofereceram o futebol em locais fechados, como ginásios e quadras. Agora, em Fifa 20, o jogo deve abraçar a cultura que envolve o futebol urbano com foco na habilidade vista nas ruas e pela personalização de seus jogadores.

Há um resgate de Fifa Street, mas Matthew diz que há uma nova experiência a caminho: “é importante ressaltar que não é o futebol de rua que entregamos antes. Quando nos planejamos para elaborar este modo, fizemos um bocado de pesquisa para saber o melhor jeito de desenvolver seu gameplay”.

O produtor revela as possibilidades de Volta: “neste modo você pode jogar as formações que quiser, como ‘3 contra 3’, ‘4 contra 4’, sem goleiro, com goleiro, em um ambiente de futsal, enfim, várias opções de jogo. É importante lembrar que o modo pode ser jogado de vários jeitos. Você pode jogar com os atletas profissionais do mundo real, com personagens licenciados. Mas há algo também bastante central neste modo que é a criação do avatar, onde você pode criar seu próprio personagem”.

Matthew também falou sobre o que há por de trás da jogabilidade que será implantada em Volta: “durante sua elaboração, o que nos importava era capturar os eventos reais para o gameplay. Desenvolvemos há muito tempo uma fantástica experiência de jogo e queríamos manter a autenticidade. Queríamos colocar um senso de experiência do futebol de rua, tanto no controle, como no passe e a interação com as paredes do ambiente. O ritmo do jogador e do jogo é diferente da versão de campo. Colocamos camadas em cima do gameplay que já desenvolvemos e fizemos esse algo novo e autêntico da cultura do futebol de rua”.

Matthew citou que Volta reunirá os atletas consagrados do cenário mundial com os avatares criados pelo jogador. No novo modo, poderemos criar um personagem, tanto homem quanto mulher, com diversos itens personalizáveis segundo o produtor: “há um nível de criatividade enorme nisso e será muito legal trazer esse novo espectro ao game. É excitante em muitos níveis e terá a oportunidade de jogos com mulheres contra os homens, ou mesmo times mistos. Dá para escolher a camisa, os sapatos e o cabelo. Dá para criar você mesmo no game”.

Perguntamos se o modo terá alguma ligação com Jornada: “não haverá uma história como em Jornada, mas um tutorial de como a pessoa pode jogar esse modo e em outros cenários. Nós teremos quadras no Reino Unido, em Amsterdã, na América Latina, Brasil, em um telhado em Tóquio e muito mais lugares para levar seu personagem”.

Alguma chance de vermos o Volta ser transformado em um esport? O produtor falou sobre a possiblidade: “não há planos, mas pode acontecer sim, pois se trata de um lugar de competição ímpar e com um tipo diferente de experiência, mesmo no cenário competitivo”.

JOGADOR CASUAL NA MIRA

Quanto ao objetivo de Volta em Fifa 20, perguntamos à Matthew se estas mudanças trarão mais jogadores ao Fifa. O produtor comenta sobre os planos da EA e como o modo pode ser um elo entre quem não curte o esporte, mas gosta de videogame: “sim. Nossa ideia é que mesmo que você não seja muito ligado a futebol, talvez nem entenda as regras, vai gostar de Volta”.

O produtor explica que “o jogador terá, por exemplo, paredes, então a bola não vai parar lá longe e o jogo se torna mais dinâmico. Haverá jogos de três contra três, diferente do visto em campo tradicional. São formatos muito mais acessíveis de futebol. Estamos muito empolgados quanto a isso, primeiro porque não estamos só atraindo os jogadores do passado, mas também abrindo o universo de Fifa para pessoas que foram deixadas de lado pelo lado mais profissional do jogo. Vemos isso como uma maneira de quebrar barreiras”.

Matthew também falou sobre a experiência do novo modo para os aficionados de Fifa: “ao atrairmos público para esse novo formato, não queremos proporcionar uma experiência rasa. Se a pessoa quer jogar apenas esse modo, haverá conteúdo o suficiente para que ela só fique nele. Mas você também pode ir para o modo tradicional. Você pode viajar pelo mapa e competir em diferentes cenários. Há inúmeras formas de jogar. A gente queria trazer a cultura do futebol de rua, fora do escopo do profissional, dos estádios que fazemos todos os anos. Queremos atrair os jogadores de sempre e os novatos”.