<
>

OG quebra tradição chinesa, conquista The International e fatura 46 milhões

Componentes da OG e a Égide dos Campeões - o troféu mais cobiçado dos esports. Valve

A OG Esports é a grande campeã do The International 2018. A equipe europeia, que não estava entre as favoritas, bateu a PSG.LGD na decisão da competição, quebrou uma tradição chinesa e faturou US$ 11,230,63 milhões - pouco mais de R$ 46,1 milhões na cotação atual.

A decisão aconteceu na noite do último sábado (25).

Johan "N0tail" Sundstein, Anathan "ana" Pham, Topias "Topson" Taavitsainen, Sebastien "7ckingMad" Debs e Jesse "JerAx" Vainikka venceram a decisão por 3 a 2 e deram fim a uma história recorrente no TI: a de chineses levando a melhor na competição em anos pares.

Desde o início do The International, em 2011, equipes do país asiático venceram as edições realizadas em anos pares: a Invictus Gaming levou a melhor em 2012, a Newbee venceu em 2014 e a Wings levantou a taça em 2016.

Representante da China em 2018, a PSG.LGD, vindo da repescagem, não foi páreo para os europeus. Com o vice, a equipe levou pouco mais de US$ 4,083,881 milhões (R$ 16,7 milhões) para casa

A oitava edição do The International aconteceu na Rogers Arena, em Vancouver, Canadá, entre os dias 15 e 25 de agosto.

No total, foram distribuídos US$ 25,524,257 milhões (R$ 104,7 milhões) em premiação, um recorde para a história dos esports. Primeira equipe brasileira a disputar um TI, a paiN Gaming ficou na última posição e levou US$ 63,811 mil (R$ 261 mil) para casa.

DECISÃO EMOCIONANTE

Mais cedo no sábado, a PSG.LGD venceu a Evil Geniuses por 2 a 0 para sair da repescagem e se habilitar à disputa do título.

Saindo atrás do placar, Xu "fy" Linsen e companhia conseguiram virar a série e tomar a frente em 2 a 1. Em um jogo 4 eletrizante e com mais de uma hora de duração, a OG se recuperou de maneira paciente e improvável para empatar a série.

No duelo decisivo, a OG soube aproveitar as poucas oportunidades dadas pela adversária para levar a melhor e levantar o Égide dos Campeões aos 36 minutos.

CAMPEÕES IMPROVÁVEIS

Agora milionários, os campeões entraram na competição desacreditados, já que nunca haviam jogado juntos presencialmente. Em junho, a equipe perdeu o co-fundador Tal “Fly” Aizik e Gustav “s4” Magnusson, que trocaram a OG pela Evil Geniuses.

As mudanças fizeram com que N0tail deixasse a função de carregador para atuar na posição 5, abrindo espaço para os novos reforços: 7ckngMad e Topson.

Enquanto o primeiro não atuava como jogador desde 2016, quando deixou a posição para ser treinador da OG, o segundo havia jogado apenas um torneio presencial, a WESG 2017, pelo Time Finlândia.

Com a nova escalação, a OG venceu o primeiro qualificatório europeu aberto e também se deu melhor na seletiva final, superando nomes como Kinguin, The Final Tribe, Wind and Rain e Alliance.

PRÓXIMA PARADA: CHINA

Antes da decisão, a Valve revelou a sede do The International 2019: a cidade de Xangai, na China. A nona edição do torneio mais grandioso dos esports será realizada na Mercedes Benz Arena, que conta com capacidade para 18 mil pessoas.

Esta será a terceira vez que a competição vai acontecer fora de Seattle, nos Estados Unidos. O primeiro The International, em 2011, aconteceu em Colônia, na Alemanha. A edição de 2018 foi sediada em Vancouver, no Canadá.