<
>

Cristiane analisa final do Paulista e comemora casa lotada como conquista para o futebol feminino como um todo

play
Stephanie Figer compara negociações e diz os 'vícios' do futebol masculino que deveriam ser evitados no feminino (3:37)

Empresária fala sobre família e mentalidade dos atletas e explica os desafios dos bastidores do futebol (3:37)

O São Paulo retornou ao futebol feminino neste ano e já tem colhido bons frutos. Além do acesso a série A1 do Campeonato Brasileiro e o título da série A2, está na final do Campeonato Paulista diante de um dos times que mais colecionou vitórias no ano de 2019.

Neste sábado (16), o São Paulo enfrenta o Corinthians, na Arena Itaquera a partir das 11h (de Brasília) em busca de reverter o resultado da partida de ida do Morumbi, que terminou em 1 a 0 para as visitantes.

Cristiane, que atuou na partida anterior e deve ser uma das titulares da #FinalMajestosa, foi uma das maiores contratações do Mercado da Bola feminino, mas passou por um período de lesões durante o ano.

Em entrevista ao espnW.com.br, a atacante diz acreditar que será um jogo muito importante para o elenco, ainda mais com o estádio lotado. Os 36.800 ingressos que começaram a ser distribuídos na terça-feira, acabaram em apenas 5h. Mas a presença da torcida não será apenas importante para os finalistas, na opinião de Cris.

“Quem ganha, como costumo dizer, é o futebol feminino. Independente se a torcida é para o lado do Corinthians, quem ganha é a modalidade. Mostra que o futebol feminino tem interesse e se investir, dá certo e interessa o público”, disse.

Apesar de atuação e reconhecimento internacional de Cristiane, ela ainda não conta com um título Paulista no currículo e diz que, para ela particularmente, também é algo muito importante e ressalta: “Acho que também seria importante para a equipe já que quem tem esse título são as meninas lá atrás. Então vale pela história que elas fizeram e nós estamos tentando fazer algo novo e diferente”, disse, fazendo referência aos títulos do São Paulo dos anos 1997 e 1999.

Em relação a partida, Cristiane acredita que mesmo com o resultado positivo, o Corinthians não vai jogar de forma passiva e alerta: “A gente tem que entrar ligada e procurar fazer o melhor, da melhor maneira possível”, finalizou.

O São Paulo precisa de uma vitória simples diante do Corinthians para levar a partida para os pênaltis ou então, com dois ou mais gols de diferença para ficar com o troféu no tempo normal.