<
>

Patricky 'Pitbull' recorda vitórias no Bellator sobre ex-campeões do UFC e Strikeforce

No Bellator desde 2011, Patricky ‘Pitbull’ já pisou no cage da organização 21 vezes e venceu grandes nomes da modalidade. Mas agora, o brasileiro, que disputou o cinturão peso-leve (70 kg) por duas vezes, teve a dura missão de escolher suas vitórias mais marcantes e não pestanejou em elegê-las – principalmente pela importância dos adversários enfrentados nos combates.

Uma vitória de destaque e mais recente foi diante de Ben Henderson, ex-campeão dos leves do UFC. Essa disputa foi realizada em setembro de 2017, pelo Bellator 183, e tinha um gosto de vingança, já que o americano havia vencido seu irmão Patricio, um ano antes, após uma lesão do brasileiro. Depois de uma disputa de três rounds, Patricky foi declarado vencedor por decisão dividida dos jurados.

“É um cara que dispensa comentários. Também tenho bastante respeito e admiração por ele. Ele é ex-campeão do WEC e do UFC, lutou e disputou o cinturão na categoria até 77kg… Um lutador muito duro e resistente, e que foi subestimado várias vezes na carreira. Eu vinha de vitória contra o Thomson, entrei confiante e consegui derrotá-lo na decisão dividida dos juízes. Mas o motivo mesmo de estar escolhendo essa luta foi porque o meu irmão, quando o enfrentou, passou o primeiro round todo batendo nele, mas acabou quebrando a perna no segundo round. Então, isso aumentou a minha vontade em vencê-lo”, concluiu.

Outro confronto que não sai da memória de Patricky foi contra o ex-campeão do Strikeforce, Josh Thomson, combate que aconteceu no Bellator 172, evento realizado em fevereiro de 2017. O atleta acabara de perder para Michael Chandler, na disputa de cinturão da categoria e vinha pressionado para retomar o caminho dos triunfos.

“É um cara que admiro e respeito muito. Ele já nocauteou o Nate Diaz, foi campeão do extinto Strikeforce, e só tinha sido nocauteado uma vez na vida. E eu consegui vencê-lo por nocaute no início do segundo round. Eu vinha de derrota, então foi muito importante voltar a vencer naquele momento e contra um grande adversário como o Thomson”, explicou.

E para fechar as eleitas, Patricky não se esqueceu do duelo contra Toby Imada no Bellator 39, que aconteceu três semanas após a sua vitória contra Rob McCullough, pelas semifinais do GP dos leves. Apontado como azarão na disputa, o brasileiro saiu com o triunfo após aplicar uma espetacular joelhada voadora no adversário ainda no primeiro round.

“Essa foi uma luta muito marcante pra mim. Foi a semifinal do primeiro GP que participei no Bellator. Fui chamado para enfrentá-lo três semanas depois de ter vencido o ex-campeão do WEC Rob McCullough, que foi a minha luta de estreia no Bellator. Ela foi marcante porque o meu adversário foi finalista por duas vezes do GP. A expectativa era que ele fosse o campeão, já que eu tinha eliminado na primeira fase o outro favorito ao título do torneio. Eu o venci após aplicar uma joelhada voadora ainda no primeiro round e concorri ao nocaute do ano de 2011. Por isso ela foi uma das mais importantes da minha carreira”, destacou.