<
>

De lenda italiana a campeão olímpico, atletas profissionais contam como sofrem com coronavírus

play
Karl-Anthony Towns faz relato emocionante sobre situação de sua mãe em coma com COVID-19 (2:04)

Astro dos Timberwolves ficou muito abalado depois de ver sua mãe em coma induzido (2:04)

“No meu caso particular, pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus, não precisaria me preocupar, nada sentiria ou seria, quando muito, acometido de uma gripezinha ou resfriadinho”. A frase é de Jair Bolsonaro em seu pronunciamento oficial, em redes de televisão e rádio, na noite da última terça-feira.

A declaração do presidente da República, contudo, não encontra respaldo no que disseram atletas de verdade que foram testados com COVID-19. A lista de competidores de alto nível ou ex-atletas que sofre com o vírus inclui um ex-jogador e hoje técnico na Premier League, a lenda italiana Maldini (e seu filho, ainda ativo, no Milan), um campeão olímpico e astros da NBA.

Veja o que eles dizem:

Mikel Arteta (ex-jogador espanhol, hoje técnico do Arsenal)

"Eu me sinto muito bem agora, sinto que estou recuperado. Levou três ou quatro dias para começar a me sentir melhor e com mais energia, deixar os sintomas para trás e agora a verdade é que me sinto muito bem".

Paolo Maldini (ex-jogador italiano)

"Como todos os atletas, eu conheço meu corpo. As dores são particularmente fortes, sentimos um aperto no peito. É um novo vírus, as lutas físicas contra um inimigo que não conhece. Tive os primeiros sintomas em 5 de março, dor nas articulações e músculos, 38,5°C de febre, não fiz o teste até terça-feira e o veredicto de positividade chegou dois dias depois. Idem para o meu filho Daniel, que teve uma forma mais fraca".

Jonathas (atacante ex-Corinthians, hoje no Elche-ESP)

"Comecei a sentir febre, uma sensação muito ruim, e realmente pensei que era apenas uma dor de cabeça. Como minha cabeça doía muito, meu corpo também doía. Mas quando acordei de manhã em 13 de março, fui conversar com o médico e ele me disse para fazer o teste rapidamente, porque todos eram sintomas do vírus. Então, eu testei positivo. Do jeito que eu estava, não conseguia treinar. Como meu corpo estava fraco, principalmente nos primeiros três dias, sofri muito. Eu nem tinha forças para me mexer. Quando fui tomar banho, quase desmaiei no banheiro. Foi uma dor muito forte, que nunca tinha sentido. Esse vírus não é uma brincadeira”.

Rudy Gobert (jogador do Utah Jazz na NBA)

“Só para atualizar a vocês, as perdas de olfato e paladar são definitivamente sintomas, não consigo sentir o cheiro de nada há quatro dias. “

Cameron van der Burgh (campeão olímpico na natação)

“Eu tenho lutado com o coronavírus por 14 dias. De longe o pior vírus que já enfrentei mesmo sendo um indivíduo saudável com pulmões fortes (não fumante/esporte), vivendo de uma forma saudável e sendo jovem (fora do grupo de risco).

Apesar de a maioria dos principais sintomas (febre altíssima) ter diminuído, eu ainda estou lutando contra uma séria fadiga e uma tosse que não posso parar. Qualquer atividade física como andar me deixa exausto por horas.

A perda de condicionamento no corpo tem sido imensa, e posso apensar lamentar pelos atletas que contraíram COVID-19, pois eles vão sofrer uma grande perda do atual condicionamento durante o último ciclo de treinos. Infecção mais próxima da competição é a pior”