<
>

Encarregado do VAR que enfureceu Argentina contra o Brasil já matou torcida do Grêmio de raiva em 2018

play
Comentaristas do Linha de Passe debatem sobre possível pênalti em Aguero (0:49)

Integrantes da bancada também destacaram a repercussão do lance na Argentina (0:49)

Após a derrota por 2 a 0 da Argentina para o Brasil, pela semifinal da Copa América, o técnico Lionel Scaloni e seus comandados dispararam fortes palavras contra o VAR.

Na opinião dos hermanos, o uruguaio Leodán González, que estava no comando do recurso de vídeo, errou ao não alertar o árbitro Roddy Zambrando para revisar um possível pênalti em cima de Agüero, no segundo tempo, justamente no lance em que Gabriel Jesus puxou contra-ataque que terminou no 2º gol brasileiro, anotado por Roberto Firmino.

"O VAR funcionou muito bem até o jogo de hoje. Não sei por que não revisram. Vieram explicar um monte de coisas antes do torneio, que iam revisar todas as jogadas que tivessem possíveis pênaltis, mesmo as que terminassem em gol. E aqui deixaram essa passar em branco", disparou o próprio Agüero, que garantiu ter sofrido a penalidade.

"O segundo (gol do Brasil) foi em um contra-ataque, onde tínhamos sofrido um pênalti (na origem do lance). Os árbitros se cansaram de ficar procurando idiotices (em lances) nesta Copa América e hoje não foram nunca ao VAR", completou Lionel Messi.

E se os argentinos acham que no jogo da última terça-feira o encarregado do VAR foi discplicente, eles se lembram bem que, em 2018, ele foi zeloso até demais em um jogo pela semifinal da Libertadores.

A partida em questão foi a derrota por 2 a 1 do Grêmio para o River Plate, em Porto Alegre, que marcou a passagem do time de Buenos Aires para a grande decisão.

O placar marcava 1 a 0 para o tricolor até os minutos finais da partida, em placar que dava a vaga ao Imortal - os gaúchos já haviam vencido a ida por 1 a 0.

No entanto, aos 36 minutos, Borré dominou bola com o braço e empatou a partida. Os gremistas reclamaram ao árbitro, mas o VAR sequer chamou sua atenção, e o tento foi validado.

Para piorar, outro lance polêmico aconteceu minutos depois: após uma finalização do River, a bola resvalou levemente no braço do zagueiro Bressan, e Leondán González recomendou ao árbitro Andrés Cunha que olhasse o lance no monitor.

Após a análise, Cunha marcou a penalidade para a equipe argentina, o que revoltou o elenco gremista. A partida ficou mais de 10 minutos parada até Pity Martínez finalmente cobrar e decretar a virada dos Millonarios, que acabaram indo à final e sendo campeões.

Na coletiva após o jogo, o técnico do Grêmio, Renato Gaúcho, detonou a arbitragem e o VAR.

"O Grêmio só não está classificado por causa do VAR. Se funciona, eu estaria sorrindo, a torcida feliz, e o Grêmio na final da Libertadores. Estaria tudo certo. O Grêmio foi roubado", disparou.

"Será que ele vai dormir hoje por causa disso? Quem sabe até vai, porque não tem nada está nem aí para o Grêmio”, lamentou.

A Argentina agora aguarda a equipe derrotada na outra semifinal, entre Peru e Chile, para saber quem encara na disputa pela medalha de bronze, em São Paulo.

Você acompanha esse duelo em TEMPO REAL no ESPN.com.br, a partir das 20h dessa quarta-feira.