<
>

Como Ana Moser adiou demissão como ministra do Esporte em reunião de 50 minutos com Lula

A ex-jogadora de vôlei Ana Moser, atual ministra dos Esportes do Brasil Fábio Rodrigues-Pozzebom/Agência Brasil/Divulgação

Ana Moser entrou em encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na tarde de terça-feira (5), para ser demitida da posição de ministra de Esporte. Após reunião de 50 minutos, porém, a ex-atleta do vôlei conseguiu, ao menos, adiar a troca no comando da pasta.

É que Ana Moser vai para a conversa munida de todos os projetos e feitos desde que assumiu o ministério, em uma escolha de Lula que priorizou sua experiência no esporte, tanto de base como de alto rendimento.

Lula se sensibilizou com a exposição e não oficializou a mudança que chegou a parecer certa nos bastidores políticos de Brasília, com a pasta sendo entregue ao PP, ao deputado André Fufuca, do Maranhão, em uma reforma que visa aumentar a base aliada do Governo.

Pressionada em Brasília, Ana Moser é, por outro lado, praticamente uma unanimidade entre atletas, jornalistas e amantes dos esportes olímpicos no Brasil. Condição que, nem de perto, Fufuca tem.

Foram até aqui oito meses de Ana Moser à frente do Ministério do Esporte, pasta que teve a condição diminuída no Governo anterior de Jair Bolsonaro.

Acontece que Ana não tem afiliação com qualquer partido, o que a fez também criar alguns "inimigos". Em Brasília, alguns projetos também dividiram opiniões, entre admiradores e incomodados, como quando sugeriu mudanças no "sistema" de gestão de dinheiro público de loterias no esporte de alto rendimento.

No encontro com Lula, Ana Moser foi preparada para ouvir os argumentos do presidente de sua praticamente anunciada demissão. Munida de uma pasta com seus projetos e planos, ela convenceu o líder que acreditou nela no início do mandato a repensar a decisão.

A ainda ministra apresentou projetos de lei de inclusão com o esporte nas escolas e em parceria com a Educação e Saúde, além de pedidos de agenda desses últimos meses, informações que o presidente não tinha total conhecimento até então. Lula se surpreendeu positivamente.

A permanência de Ana Moser, contudo, não é definitiva.

Lula quer definir essa situação antes de viajar, na próxima quinta-feira (7) para a Índia, onde ocupará a presidência em encontro do G20. É esperado que o petista se reúna novamente com a ministra para comunicar se ela manterá ou não esse título.