<
>

NFL 2018: O guia definitivo para a nova temporada

play
Patriots no topo da NFL? Paulo Antunes aponta os favoritaços para a temporada de 2018 (5:34)

Patriots, Vikings e Saints estão na mira do comentarista; a NFL volta no dia 6 de setembro (5:34)

Vai começar a temporada 2018 da NFL!

Na noite desta quinta-feira, com transmissão exclusiva da ESPN e do WatchESPN, o atual campeão Philadelphia Eagles recebe o Atlanta Falcons no jogo de abertura - o Abre o Jogo a partir das 20h30 (de Brasília), em que será revelado o primeiro banner de campeão do Super Bowl da franquia da Pensilvânia.

É hora então de ficar por dentro de cada uma das 32 equipes e saber quais são as chances, segundo o ESPN Football Power Index, quais são as chances delas dentro de suas divisões.

Caso você queira ver logo a analise do seu time - ou do rival - clique no distintivo.

NFC LESTE

DALLAS COWBOYS

Campanha em 2017: 9-7
Principais chegadas: Leighton Vander Esch, LB (draft); Allen Hurns, WR (Jaguars)
Principais saídas: Dez Bryant, WR (sem time); Jason Witten, TE (aposentou); Orlando Scandrick, CB (Redskins)
Chances de vencer a divisão: 23,6%

Análise: Muita coisa mudou no Dallas Cowboys. Dez Bryant já não está mais lá, e o posto de principal recebedor parece vago. Jason Witten trocou o campo pelas cabines de transmissão, e agora Dak Prescott vai tentar voltar a apresentar o desempenho de sua temporada de calouro, contando com Ezekiel Elliott livre de suspensões.

Na defesa a esperança é por mais uma temporada espetacular de Demarcus Lawrence, que teve 14,5 sacks em 2017, e no corpo de linebackers que tem o All-Pro Sean Lee, o calouro Leighton Vander Esch, e o agora saudável Jaylon Smith.


NEW YORK GIANTS

Campanha em 2017: 3-13
Principais chegadas: Saquon Barkley, RB (draft); Nate Solder, LT (Patriots); Patrick Omameh, OG (Jaguars)
Principais saídas: Brandon Marshall, WR (Seahawks)
Chances de vencer a divisão: 6,6%

Análise: Eli Manning volta para sua 15ª temporada e os Giants fizeram bem em usar a segunda escolha do draft com um running back como Saquon Barkley. O calouro cheio de potencial tem grandes chances de formar um ataque poderoso ao lado de Odell Beckham Jr. (saudável e de contrato novo), e Evan Engram.

A linha ofensiva ganhou reforço na free agency, com as chegadas de Nate Solder e Patrick Omameh, e também no draft, com Will Hernandez, e podem dar um respiro para Eli, que sofreu muito na temporada passada.


PHILADELPHIA EAGLES

Campanha em 2017: 13-3, campeão do Super Bowl LII
Principais chegadas: Michael Bennett, DE (Seahawks); Haloti Ngata, DT (Lions)
Principais saídas: Brent Celek, TE (aposentou); Torrey Smith., WR (Panthers)
Chances de vencer a divisão: 63,2%

Análise: Se chegar ao topo é difícil, manter-se entre os melhores é uma missão complicada. Porém, o cenário que se apresenta para os atuais campeões do Super Bowl é dos melhores possíveis. A base do time foi mantida, e bons reforços chegaram.

Nick Foles teve altos e baixos na pré-temporada, mas o MVP da última final tem crédito por ter aparecido nas horas decisivas. Quando saudável, Carson Wentz pode continuar sua jornada para ser um dos principais nomes de toda a NFL, mas deve se arriscar menos quando pensar em correr com a bola.


WASHINGTON REDSKINS

Campanha em 2017: 7-9
Principais chegadas: Alex Smith, QB (Chiefs); Paul Richardson, WR (Seahawks)
Principais saídas: Kirk Cousins, QB (Vikings); Spencer Long, C (Jets)
Chances de vencer a divisão: 6,7%

Análise: Os Redskins deixaram Kirk Cousins ir embora e trouxeram Alex Smith, mas não parece ser o suficiente para a franquia voltar ao playoffs, ainda mais disputando a mesma divisão que os atuais campeões. Smith teve uma ótima temporada com os Chiefs em 2017, mas encontrará um cenário diferente na capital.

Depois de perder muito com lesão, Jordan Reed pode tentar emular a parceria que o quarterback tinha com Travis Kelce no Missouri, mas o jogo corrido volta a ser uma enorme incógnita com a lesão no joelho de Derrius Guice, afinal, Adrian Peterson já não é mais o mesmo.


NFC NORTE

CHICAGO BEARS

Campanha em 2017: 5-11
Principais chegadas: Khalil Mack, DE (Raiders); Allen Robinson, WR (Jaguars), Trey Burton, TE (Eagles), Roquan Smith LB, (draft)
Principais saídas: Cameron Meredith, WR (Saints); Josh Sitton, G (Dolphins); Pernell McPhee,DE/OLB (Redskins)
Chances de vencer a divisão: 5,8%

Análise: Não deve ser fácil encontrar uma torcida mais empolgada que a do Chicago Bears. A troca com os Raiders por Khalil Mack foi o último ato da ousada offseason da equipe que quer ser o novo Los Angeles Rams. O time já foi competitivo na temporada passada, principalmente pela evolução da defesa comandada pelo coordenador Vic Fangio.

Com Matt Nagy de treinador (ex-coordenador ofensivo do Kansas City Chiefs), Mitch Trubisky ganhou um "guru" no melhor estilo Jared Goff/McVay. O QB ainda tem quatro novos alvos - Allen Robinson é o principal deles, depois de assinar por três temporadas e US$ 42 milhões.


DETROIT LIONS

Campanha em 2017: 9-7
Principais chegadas: Levine Toilolo, TE (Falcons); LeGarrette Blount, RB (Eagles)
Principais saídas: Eric Ebron, TE (Colts); Haloti Ngata, DT (Eagles)
Chances de vencer a divisão: 10,9%

Análise: Os Lions tiveram campanha positiva em 2017 apesar das várias lesões que atrapalharam o time. O elenco é talentoso o bastante - assim como o QB Matthew Stafford - para brigar por uma vaga nos playoffs.

A chegada do treinador Matt Patricia, ex-coordenador defensivo do New England Patriots, pode elevar ainda mais o ambiente e as expectativas. O grande problema dos Lions é o calendário: de acordo com um levantamento da ESPN, o segundo mais difícil de toda a liga, atrás apenas do enfrentado pelo Green Bay Packers.


GREEN BAY PACKERS

Campanha em 2017: 7-9
Principais chegadas: Jimmy Graham, TE (Seahawks); Muhammad Wilkerson, DE/DT (Jets)
Principais saídas: Jordy Nelson, WR (Raiders); Damarious Randall, CB (Browns)
Chances de vencer a divisão: 41,4%

Análise: Não é, nem nunca foi novidade. A saúde de Aaron Rodgers é o fator mais importante para a temporada dos Packers. A temporada passada foi só mais um exemplo disso. Com Brett Hundley de QB, foram apenas três vitórias em 10 jogos de 2017.

Com Rodgers, a saída de Jordy Nelson pode ser recompensada por um aumento de produção de Davante Adams e pela chegada dos tight ends Jimmy Graham e Marcedes Lewis.


MINNESOTA VIKINGS

Campanha em 2017: 13-3, perdeu a final da NFC
Principais chegadas: Kirk Cousins, QB (Redskins); George Iloka, S (Bengals); Kendall Wright, WR (Bears)
Principais saídas: Case Keenum, QB (Broncos); Teddy Bridgewater, QB (Saints); Jerick McKinnon, RB (49ers)
Chances de vencer a divisão: 42%

Análise: Os Vikings tiveram uma campanha de 13-3 e ficaram a um jogo do Super Bowl. Agora, o treinador Mike Zimmer terá Kirk Cousins como QB, uma evolução clara quando pensamos que o time cresceu tanto com Case Keenum.

Além disso, a forte defesa ainda ganhou o safety George Iloka, cortado dos Bengals. Um dos principais nomes da posição em toda a liga, que chega a Minnesota sem chamar tanta atenção. É difícil lembrar de um time dos Vikings com tantas chances de chegar ao Super Bowl como este.


NFC SUL

ATLANTA FALCONS

Campanha em 2017: 10-6, perdeu a semi da NFC
Principais chegadas: Brandon Fusco, OG (49ers)
Principais saídas: Taylor Gabriel, WR (Bears); Adrian Clayborn, DE (Patriots); Dontari Poe, DT (Panthers)
Chances de vencer a divisão: 35%

Análise: Em 2017, Matt Ryan lançou 900 jardas e 18 TD’s a menos do que em 2016, quando foi MVP da temporada regular. Os Falcons não perderam peças importantes no ataque, com exceção do explosivo Taylor Gabriel, mas Ryan precisa voltar a achar Julio Jones na endzone.

Na defesa, a grande perda ficou por conta de Adrian Clayborn, que liderou o time em sacks em 2017 (9,5). Jogando em uma das divisões mais equilibradas da NFL, que teve três times nos playoffs ano passado, Atlanta sabe que uma boa temporada pode não ser suficiente. E para voltar ao Super Bowl, o caminho é sempre mais difícil.


CAROLINA PANTHERS

Campanha em 2017: 11-5, perdeu a rodada de Wild Card
Principais chegadas: Dontari Poe, DT (Falcons); Torrey Smith, WR (Eagles)
Principais saídas: Jonathan Stewart, RB (Giants); Daryl Worley, CB (Raiders); Star Lotulelei, DT (Bills)
Chances de vencer a divisão: 24,1%

Análise: Cam Newton só conseguiu passar para mais de 4.000 jardas no seu ano de calouro, em 2011. Carolina continua sem um grande alvo e deve se basear novamente no jogo corrido com Newton, Christian McCaffrey e CJ Anderson. McCaffrey mostrou no seu ano de calouro que pode ser um dos grandes RB’s da NFL tanto no ataque terrestre quando recebendo passes. Fiquem de olho nele.

Os “vovôs” da defesa dos Panthers prometem mais um ano forte do setor, um dos melhores da NFL em 2017. Para Thomas Davis (35), Julius Peppers (38) e Mike Adams (37), a idade é apenas um número. Junto deles ainda temos Luke Kuechly, com apenas 27 anos e um dos melhores atletas da Liga criando jogadas defensivas. Carolina ainda está no páreo pela NFC Sul.


NEW ORLEANS SAINTS

Campanha em 2017: 11-5, perdeu a semi da NFC
Principais chegadas: Demario Davis, LB (Jets); Patrick Robinson, CB (Eagles); Cameron Meredith, WR (Bears)
Principais saídas: Kenny Vaccaro, FS (Titans)
Chances de vencer a divisão: 38,1%

Análise: Campeão da divisão em 2017, o New Orleans Saints tem tudo para repetir a dose. Drew Brees dispensa palavras conduzindo o ataque, e o melhor calouro ofensivo do ano passado, Alvin Kamara, deve se estabelecer como um dos corredores mais versáteis da NFL. Kamara poderá se aproveitar no primeiro quarto de temporada da suspensão de Mark Ingram, seu concorrente nas corridas que não atuará por quatro jogos por conta de doping.

A defesa foi bem no ano passado e não perdeu grandes peças. Pelo contrário, trouxe ainda Demario Davis e Patrick Robinson para reforçar o setor que já conta com o CB Marshon Lattimore, Marcus Williams e o DE Cameron Jordan. The Saint are coming!


TAMPA BAY BUCCANEERS

Campanha em 2017: 5-11
Principais chegadas: Ryan Jensen, C (Ravens); Jason Pierre-Paul, DE (Giants); Vinny Curry, DE (Eagles); Beau Allen, DT (Eagles); Mitch Unrein, DT (Bears)
Principais saídas: Doug Martin, RB (Raiders); Clinton McDonald, DT (Broncos)
Chances de vencer a divisão: 2,8%

Análise: Assim como em 2017, os Bucs devem ser o saco de pancadas da divisão. A equipe perdeu seu principal corredor (Doug Martin). Espera-se uma evolução do TE OJ Howard em seu segundo ano. O brilho do ataque deve vir das mãos de Jameis Winston (suspenso dos três primeiros jogos) e de Mike Evans, enquanto DeSean Jackson já é um veterano que não tem mais a velocidade de antes.

A defesa contra o jogo aéreo foi bem em 2017. E o setor se reforçou ainda com dois campeões do último Super Bowl, mais Jason Pierre-Paul, e ainda draftou Vita Vea. Kwon Alexander, Lavonte David, Gerald McCoy e Brent Grimes são ótimos nomes contra os ataques adversários, mas como um conjunto Tampa não rendeu ano passado.


NFC OESTE

ARIZONA CARDINALS

Campanha em 2017: 8-8
Principais chegadas: Josh Rosen, QB (draft); Sam Bradford, QB (Vikings); Derrick Coleman, RB (Falcons)
Principais saídas: Tyrann Mathieu,DB (Texans); Carson Palmer, QB (aposentou); John Brown, WR (Ravens)
Chances de vencer a divisão: 5,7%

Análise: Campeão da NFC Oeste há três temporadas, os Cardinals provavelmente seguirão mais um tempo ainda longe da pós-temporada. As três vitórias nos jogos de preparação não têm muito valor no campo, mas serviram para dar mais confiança ao elenco que está em reconstrução.

Carson Palmer se aposentou e Sam Bradford foi o escolhido para substituir o camisa 3. No banco está o promissor Josh Rosen, que é tido como o futuro da franquia. Pilares da equipe nos últimos anos, Larry Fitzgerald, Patrick Peterson e David Johnson seguem no time. A despedida ficou por conta de Tyrann Mathieu. O “Texugo do Mel” agora faz parte da temida defesa do Houston Texans.


LOS ANGELES RAMS

Campanha em 2017: 11-5, perdeu a rodada de Wild Card
Principais chegadas: Ndamukong Suh, DT (Dolphins); Marcus Peters, CB (Chiefs); Aqib Talib, CB (Broncos); Brandin Cooks, WR (Patriots)
Principais saídas: Sammy Watkins, WR (Chiefs); Trumaine Johnson, CB (Jets)
Chances de vencer a divisão: 54,4%

Análise: Uma das maiores novelas desta offseason teve um final feliz. Melhor jogador de defesa na NFL em 2017, Aaron Donald renovou com os Rams e confirmou a "duplinha" com Ndamukong Suh para a próxima temporada. Com a secundária também reforçada, a defesa da equipe promete ser uma das mais agressivas e físicas da Liga.

Sob o comando do eficiente Sean McVay, Jared Goff irá liderar mais uma vez o ataque do time e, após a saída de Sammy Watkins, terá Brandin Cooks, ex-Patriots, a sua disposição. Todd Gurley, candidato a MVP na temporada passada, promete estar mais forte ainda neste seu quarto ano na NFL. Se foi surpresa em 2017, contando o melhor ataque da Liga, o LA Rams surge como um dos favoritos a levantarem o troféu Vince Lombardi em Atlanta, em 2019.


SAN FRANCISCO 49ERS

Campanha em 2017: 6-10
Principais chegadas: Richard Sherman, CB (Seahawks)
Principais saídas: Carlos Hyde, RB (Browns); Daniel Kilgore, C (Dolphins)
Chances de vencer a divisão: 23,9%

Análise: Depois de anos na sombra dos adversários de divisão - em especial do rival Seahawks - o San Francisco 49ers parece estar nos trilhos para voltar aos holofotes da NFL. Pela primeira vez iniciando uma temporada juntos, Kyle Shanahan e Jimmy Garoppolo trazem muitas expectativas ao seu redor - o quarterback ainda não perdeu um jogo de temporada regular como titular.

O ponto negativo no ataque fica por conta de Jerick McKinnon. O running back, que chegou para liderar o jogo terrestre dos Niners, sofreu uma grave lesão no joelho na última semana e irá perder a temporada inteira. A defesa recebeu o reforço de Richard Sherman, que será fundamental dar esta unidade a energia necessária para torná-la consistente contra os fortes adversários que virão pela frente.


SEATTLE SEAHAWKS

Campanha em 2017: 9-7
Principais chegadas: Ed Dickson, TE (Panthers); Jaron Brown, WR (Cardinals)
Principais saídas: Richard Sherman, CB (49ers); Michael Bennett, DE (Eagles); Jimmy Graham, TE (Packers); Kam Chancellor, S (aposentou); Cliff Avril, DE (aposentou)
Chances de vencer a divisão: 16%

Análise: Se antes o futuro do Seattle Seahawks já parecia longe das glórias alcançadas pela franquia nos últimos anos, depois da pré-temporada o cenário ficou ainda mais complicado - o time foi um dos piores, perdendo os quatro jogos que disputou.

Na maioria das vezes, estas partidas não servem como parâmetro, contudo, é preocupante ver que as deficiências na linha ofensiva seguem sendo uma tendência. Além disso, Seattle parece não saber como solucionar a "novela Earl Thomas”, e o destino do safety segue como uma incógnita. Em resumo, em 2018, Russell Wilson terá que continuar a fazer mágica para manter os Seahawks - e ele mesmo - vivo.


AFC LESTE

BUFFALO BILLS

Campanha em 2017: 9-7, perdeu a rodada de Wild Card
Principais chegadas: Josh Allen, QB (draft); Star Lotulelei, DT (Panthers)
Principais saídas: Eric Wood, C (aposentou); Richie Incognito, OG (aposentou)
Chances de vencer a divisão: 5,3%

Análise: Os Bills deixaram Tyrod Taylor ir embora, buscaram AJ McCarron no mercado e recrutaram Nathan Peterman no draft. Mas o quarterback titular na estreia será Nathan Peterman, que foi bem na pré-temporada, mas os torcedores se lembram mais pelas cinco interceptações no primeiro tempo do jogo contra os Chargers.

A franquia faz bem em poupar o quarterback em quem apostam, pois se a defesa apresenta alguns bons talentos, como o cornerback Tre'Davious White, o ataque parece ser uma grande bagunça e fica difícil imaginar em mais uma aparição nos playoffs.


MIAMI DOLPHINS

Campanha em 2017: 6-10
Principais chegadas: Frank Gore, RB (Colts); Danny Amendola, WR (Patriots); Minkah Fitzpatrick, S (draft)
Principais saídas: Ndamukong Suh, DT (Dolphins); Lawrence Timmons, OLB (sem time)
Chances de vencer a divisão: 7,2%

Análise: Ryan Tannehill volta após perder toda a temporada passada com um problema no joelho. Tendo Brock Osweiler como seu reserva, a torcida de Miami reforça suas orações pelo quarterback e para que a linha ofensiva seja melhor que na temporada passada.

O jogo corrido será fundamental, e Kenyan Drake ganha a ajuda de Frank Gore, enquanto Amendola vai tentar ocupar a vaga aberta com a saída de Jarvis Landry. Na defesa, a saída de Suh pode ser sentida, mas Minkah Fitzpatrick, escolha de primeira rodada, tem potencial para ser uma arma interessante contra Rob Gronkwoski.


NEW ENGLAND PATRIOTS

Campanha em 2017: 13-3, perdeu o Super Bowl
Principais chegadas: Adrian Clayborn, DE (Falcons); Jason McCourty, CB (Browns)
Principais saídas: Malcolm Butler, CB (Titans); Nate Solder, LT (Giants); Brandin Cooks, WR (Rams); Dion Lewis, RB (Titans)
Chances de vencer a divisão: 83,9%

Análise: Tom Brady está de volta, assim como Bill Belichick, e isso faz com que a torcida de New England tenha esperanças de mais uma aparição no Super Bowl. Gronkowski deixou o papo de aposentadoria de fora, e ganhou um contrato reformulado, enquanto Julian Edelman está recuperado de lesão - mas suspenso pelos quatro primeiros jogos.

A defesa perdeu alguns nomes importantes, como Butler, mas também contratou. O foco principal do setor que perdeu o coordenador Matt Patricia foi de pressionar o quarterback, um dos grandes problemas da temporada passada, quando foi a 29ª em jardas cedidas, apesar de ser a quinta em pontos permitidos.


NEW YORK JETS

Campanha em 2017: 5-11
Principais chegadas: Sam Darnold, QB (draft); Trumaine Johnson, CB (Rams)
Principais saídas: Muhammad Wilkerson, DE/DT (Packers); Austin Seferian-Jenkins, TE (Jaguars)
Chances de vencer a divisão: 3,6%

Análise: Josh McCow oferecia certa tranquilidade para que os Jets não precisassem acelerar o passo com Sam Darnold. Mas o quarterback, escolha nº 3 do último draft, impressionou nas oportunidades que teve e ganhou a titularidade.

Apesar do franchise quarterback aparentemente já ter sido encontrado, o destaque desta equipe é a secundária. Jamal Adams tem tudo para terminar o ano como um All-Pro, e ainda contará com ajuda de nomes como Morris Claiborne e Trumaine Johnson, que chegaram na free agency. Apesar das boas notícias, não espere jogos em janeiro.


AFC NORTE

BALTIMORE RAVENS

Campanha em 2017: 9-7
Principais chegadas: Michael Crabtree,WR (Raiders); Willie Snead,WR (Saints); John Brown,WR (Cardinals), Hayden Hurst,TE (Draft)
Principais saídas: Benjamin Watson, TE (Saints); Mike Wallace, WR (Eagles); Jeremy Maclin, WR (sem time)
Chances de vencer a divisão: 28,2%

Análise: Sem vencer a divisão desde 2012, ano no qual foi campeão, o Baltimore Ravens aposta mais uma vez na defesa para tentar voltar aos playoffs - já são três anos de seca. Mantendo praticamente todos os nomes, a unidade foi a sexta melhor em pontos cedidos por partida na última temporada, mas terá que sobreviver aos quatro primeiros jogos sem o cornerback Jimmy Smith, suspenso.

A grande mudança no time aconteceu no ataque, sexto pior da liga em jardas em 2017. É o ano decisivo para Joe Flacco, que já tem o calouro Lamar Jackson na sua cola. A equipe trocou todo o corpo de wide receivers e deu armas ao QB, que terá que mostrar evolução e pelo menos lembrar os bons tempos de 2012.


CINCINNATI BENGALS

Campanha em 2017: 7-9
Principais chegadas: Cordy Glenn, OT (Bills); Billy Price, C (Draft); Preston Brown, LB (Bills), Jessie Bates, S (Draft)
Principais saídas: George Iloka, S (Vikings); Brandon LaFell, WR (Raiders); 'Pacman' Jones, CB (Broncos); Andre Smith, OT (Cardinals)
Chances de vencer a divisão: 7,2%

Análise: Marvin Lewis vai para sua 16ª temporada no comando do Cincinnati Bengals - ainda sem nenhuma vitória em playoff pelo time. E a expectativa não é das melhores: a equipe passa por uma reconstrução, se livrando de vários nomes mais experientes e trazendo outros mais jovens.

Sem Vontaze Burfict - suspenso nos quatro primeiros jogos - e com uma defesa bastante mudada, o time tenta construir uma nova identidade. No ataque, ainda depende muito de AJ Green, visto que o bom TE Tyler Eifert raramente consegue se manter saudável. A linha ofensiva também foi reforçada.


CLEVELAND BROWNS

Campanha em 2017: 0-16
Principais chegadas: Jarvis Landry, WR (Dolphins); Tyrod Taylor, QB (Bills); Baker Mayfield, QB (Draft); Carlos Hyde, RB (49ers)
Principais saídas: Isaiah Crowell, RB (Jets); Shon Coleman OT, (49ers); DeShone Kizer, QB (Packers); Danny Shelton, DT (Patriots), Jason McCourty (Patriots)
Chances de vencer a divisão: 3,4%

Análise: Os Browns fizeram o que se espera de um time que perde todos os jogos na temporada: trocaram meio time (ou mais que isso). São inúmeras boas adições, como Jarvis Landry, Tyrod Taylor e Carlos Hyde, que fazem o trio de um ataque com boas opções.

Espera-se uma evolução em 2018 - até porque é impossível piorar. O elenco tem boas peças e talento para sair da última posição na AFC Norte, que Cleveland ocupa ano sim, ano também, desde 2010. É bom que Hue Jackson faça o elenco funcionar, pois outro fracasso custará sua cabeça.


PITTSBURGH STEELERS

Campanha em 2017: 13-3, perdeu a semi da AFC
Principais chegadas: Morgan Burnett, S (Packers); John Bostic, LB (Colts); Terrell Edmunds, S (Draft)
Principais saídas: Mike Mitchell, S (sem time); Martavis Bryant, WR (sem time)
Chances de vencer a divisão: 61,2%

Análise: Os Steelers chegam como grandes favoritos a vencer a AFC North pela terceira vez consecutiva. A questão é se o ataque conseguirá levar o time de volta ao Super Bowl, onde não chega desde 2010. O jogo aéreo promete continuar muito forte, com Big Ben passando para Antonio Brown, JuJu Smith Schuster e James Washington, além de Le'Veon Bell contribuindo com recepções e corridas.

Os pontos de interrogação ficam por conta justamente do RB estrela, além da ausência de Shazier na defesa. Bell jogará mais uma vez sem um contrato de longa duração, não treinou com o time na pré-temporada e segue em greve. Já o lado defensivo dificilmente conseguirá substituir o LB que se lesionou de maneira assustadora no ano passado.


AFC SUL

HOUSTON TEXANS

Campanha em 2017: 4-12
Principais chegadas: Tyrann Mathieu, DB (Cardinals); Aaron Colvin, CB (Jaguars); Zach Fulton, OG (Chiefs); Senio Kelemete, OG (Saints)
Principais saídas: Brian Cushing, LB (aposentado), Marcus Gilchrist, DB (Raiders), Xavier Su'a-Filo, OG (Titans)
Chances de vencer a divisão: 26,6%

Análise: Mais um ano e o time segue brigando para não ser apenas a terceira força da divisão. Sua defesa possui peças que podem traduzir em uma das melhores defesas da NFL, mas o encaixe precisa funcionar para o time desbancar os Jaguars ou Titans e conseguir avançar aos playoffs.

O ataque, destaque positivo da equipe e segundo melhor da divisão em 2017, se tornou uma preocupação, uma vez que Deshaun Watson, o quarterback do time, rompeu o ligamento cruzado na temporada passada e ainda é uma incógnita sobre como vai conseguir liderar o ataque dos Texans após a cirurgia.


INDIANAPOLIS COLTS

Campanha em 2017: 4-12
Principais chegadas: Eric Ebron, TE (Lions); Quenton Nelson, OG (draft); Denico Autry, DE (Raiders)
Principais saídas: Frank Gore, RB (Dolphins); Rashaan Melvin, CB (Raiders); Johnathan Hankins, DL (Giants); Vontae Davis, CB (Bills)
Chances de vencer a divisão: 15,5%

Análise: Os Colts vivem uma reconstrução após dominarem a divisão de 2003 até 2014. Na temporada passada, o desempenho da equipe foi o pior dos últimos cinco anos e a grande esperança para uma melhora está nas mãos de Andrew Luck, que ficou afastado por quase 20 meses lidando com uma lesão, e voltou a atuar nesta pré-temporada.

Com Frank Reich, ex-Eagles, como técnico principal, a equipe deve melhorar seu poder de ataque, o principal defeito na temporada passada. Reich foi coordenador ofensivo da equipe vencedora do Super Bowl e foi o terceiro melhor ataque da temporada, e agora vai comandar um dos piores elencos da divisão. Vem surpresa por aí?


JACKSONVILLE JAGUARS

Campanha em 2017: 10 - 6, perdeu a final da AFC
Principais chegadas: Andrew Norwell, G (Panthers); Kenneth Acker, CB (Chiefs); Donte Moncrief, WR (Patriots)
Principais saídas: Allen Robinson, WR (Bears); Marcedes Lewis, TE (Packers), Allen Hurns, WR (Cowboys); Paul Posluszny, LB (aposentou)
Chances de vencer a divisão: 32,2%

Análise: Após uma ótima campanha, quando venceram a divisão e surpreenderam os favoritos Steelers na semifinal de conferência em uma partida apertadíssima, os Jaguars se reforçaram para blindar seu quarterback. A equipe contratou A. Norwell, ex-Panthers, para se juntar a uma linha ofensiva excelente que ainda conta com B. Linden.

A perda do linebacker Posluszny será sentida e a equipe pode não se manter como melhor defesa em relação a jardas concedidas por passes. Repetir a melhor campanha da história da equipe não parece algo tão impensável, mas agora o desafio é lidar com a pressão de ser a referência a se batida na AFC South.


TENNESSEE TITANS

Campanha em 2017: 9-7, perdeu a semi da AFC
Principais chegadas: Dion Lewis, RB (Patriots); Malcolm Butler, CB (Patriots); Rashaad Evans, LB (draft)
Principais saídas: Demarco Murray, RB (aposentou); Avery Williamson, LB (Jets); Eric Decker, WR (aposentou); Sylvester Williams, NT (Lions)
Chances de vencer a divisão: 25,7%

Análise: Com o novo técnico Mike Vrabel, a equipe evolui em seu lado defensivo, principalmente com as chegadas de M. Butler e B. Logan, além das apostas no draft como R. Evans, ótimo linebacker de Alabama e espera superar os Jaguars como melhor defesa da divisão.

Com a chegada de D. Lewis, a equipe de Tennesse ganha em passes curtos para o running back, e tem tudo para ir mais longe, criando mais alternativas para o jovem quarterback Marcus Mariota, e, quem sabe, avançar ainda mais nos playoffs.


AFC OESTE

DENVER BRONCOS

Campanha em 2017: 5-11
Principais chegadas: Case Keenum, QB (Vikings)
Principais saídas: CJ Anderson, RB (Panthers); Aqib Talib, CB (Rams)
Chances de vencer a divisão: 10,5%

Análise: O grande problema para os Broncos era a posição de quarterback, e o time trouxe Case Keenum para dar estabilidade à posição. Apesar de um ano mágico aos 29 anos de idade em 2017 com os Vikings, que chegaram à final da NFC, Keenum ainda não pode ser considerado uma solução com 100% de certeza. Porém, pior que Paxton Lynch e Trevor Siemian será difícil.

Demaryius Thomas e Emmanuel Sanders são excelentes wide receivers. Denver deve correr com um comitê. E a defesa segue forte, especialmente no front seven com Von Miller no comando.


KANSAS CITY CHIEFS

Campanha em 2017: 10-6, perdeu a rodada de Wild Card
Principais chegadas: Sammy Watkins, WR (Rams); Kendall Fuller, CB (Redskins); Anthony Hitchens, LB (Cowboys)
Principais saídas: Alex Smith, QB (Redskins); Marcus Peters, CB (Rams)
Chances de vencer a divisão: 33,3%

Análise: Vencedor da divisão nos últimos dois anos, o Kansas City Chiefs começa uma nova era, agora sem Alex Smith de quarterback. Andy Reid ainda tem os explosivos Kareem Hunt e Tyreek Hill para fazer barulho no ataque, e a bola será lançada por Patrick Mahomes, que foi bem na pré-temporada e combina bons passes com habilidade atlética.

Na defesa Justin Houston ainda lidera o time, com Eric Berry recuperado de lesão e se unindo a Kendall Fuller na secundária. Os Chiefs ainda têm bons talentos, mas a peça atrás do center pode ser o motivo da continuidade ou descontinuidade do sucesso da franquia.


LOS ANGELES CHARGERS

Campanha em 2017: 9-7
Principais chegadas: Mike Pouncey, C (Dolphins); Virgil Green, TE (Broncos)
Principais saídas: Tre Boston, DB (Cardinals)
Chances de vencer a divisão: 36%

Análise: Desde 2013 sem ir aos playoffs, os Chargers têm uma ótima chance de conseguirem quebrar esse tabu de novo. O time manteve sua base com Philip Rivers lançando, Melvin Gordon correndo, Keenan Allen e Tyrell Williams, mas lamenta a perda do jovem tight end Hunter Henry, que teve uma lesão no joelho, abrindo o caminho para a volta de Antonio Gates. Mesmo assim, pode ser um dos melhores ataques da liga, enquanto a defesa segue ótima com Joey Bosa, Melvin Ingram e Casey Heyward.

Independente do plantel, os Chargers precisam mais do que nunca entender que o começo da temporada importa. Após iniciar sua campanha de 2017 com quatro derrotas, o time da Califórnia por pouco não foi aos playoffs. Enquanto o novo estádio bilionário não fica pronto, a franquia seguirá jogando no modesto StubHub Center, com capacidade para pouco mais de 20 mil pessoas.


OAKLAND RAIDERS

Campanha em 2017: 6-10
Principais chegadas: Jordy Nelson, WR (Packers); Doug Martin, RB (Buccaneers)
Principais saídas: Michael Crabtree, WR (Ravens); Khalil Mack, DE (Bears); Cordarrelle Patterson, WR (Patriots)
Chances de vencer a divisão: 20,2%

Análise: Se todos do ataque jogarem ao máximo de seu potencial, o Oakland Raiders trará problemas aos adversários. Mas nomes como Marshawn Lynch, Doug Martin e Jordy Nelson chegam em baixa. E a equipe não teve um bom 2017, com Derek Carr e Amari Cooper tendo que mostrar serviço, além da saída de Michael Crabtree, líder do time no ano passado em recepções de touchdown (8).

A defesa poderia ter a forte presenca de Khalil Mack, melhor defensor da NFL em 2016, pressionando os QB's adversários como ponto positivo, já que a secundária foi uma das piores da Liga em 2017. Mas o DE, que não teve suas demandas contratuais atendidas pela futura franquia de Las Vegas, foi trocado às vésperas da temporada para o Chicago Bears em um pacote que só deu a Oakland futuras escolhas. Jon Gruden e Mark Davis tiveram que se explicar, e os Raiders começam 2018 em crise.