<
>

Cuca conversa e dá aval para Pato; São Paulo descarta leilão com Palmeiras

O técnico Cuca concordou com a contratação de Pato pelo São Paulo, conversou com o jogador e ouviu do próprio atacante que ele gostaria de jogar pelo clube tricolor novamente. Tudo certo então? Ainda não.

A informação da conversa entre treinador e jogador foi divulgada pela SporTV. A reportagem da ESPN ouviu de outras fontes que o interesse de outros clubes, com possibilidades financeiras maiores, é o que dificulta o acerto.

O Palmeiras é visto como o principal rival na operação. Tem a seu favor o bom relacionamento do técnico Luiz Felipe Scolari com o jogador. Além do patrocínio da Crefisa, que poderia turbinar a operação.

Apesar disso, a reportagem da ESPN apurou que o clube alviverde só pensará na contratação se perder um atacante.

O São Paulo descarta igualar qualquer proposta que o Palmeiras venha a fazer ao atacante.

Outro clube que tem interesse em contratar Pato é o Santos, embora o presidente do clube, José Carlos Peres, tenha desconversado na entrevista da última segunda. O problema dos santistas é o mesmo dos são-paulinos: dinheiro.

Até ajuda o fato de Pato estar livre no mercado. Ele rescindiu o contrato com o Tianjin Tianhai, da China, há dez dias.

O que assusta os clubes é o possível gasto com salários. O jogador recebia na China uma quantia próxima de R$ 3 milhões por mês. Ele sabe que no Brasil o teto das equipes é bem mais baixo.

Até houve um entendimento no São Paulo de que Pato aceita receber um terço a menos do que recebia na China. O atacante assinaria um contrato de três temporadas, compensado com bônus e premiações extras.

Se vier, Pato atende um desejo do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, que gosta do jogador e entende que ele pode ajudar. A imagem foi criada a partir na passagem pelo São Paulo entre 2014 e 2015.

Emprestado pelo Corinthians naquela ocasião, Pato fez 101 jogos e 38 gols, tendo sido vice-campeão do Campeonato Brasileiro de 2014 e anotado 26 tentos na temporada seguinte, consolidando-se como artilheiro do clube.

Inicialmente Cuca não era muito fã da ideia e disse à diretoria que preferia que os recursos financeiros do clube para o mercado de transferências --que não são muitos-- fossem direcionados para os reforços indicados por ele.

O treinador acabou concordando com a vinda do atacante quando foi informado que essa contratação não implicaria em outras. Foi a partir daí que ele conversou com o jogador e manifestou suas ideias para o time.