<
>

Conmebol não obrigará torcida a se sentar, mas lembra que bandeirões foram proibidos após morte em 2013

play
Libertadores: 'A Conmebol é uma piada, e o que aconteceu em 2018 escancarou toda a sua incapacidade', diz André Kfouri (4:43)

Comentarista falou sobre as novas regras de segurança anunciadas pela entidade que comanda o futebol sul-americano (4:43)

Após a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) divulgar seu novo Regulamento de Segurança, que, entre outras medidas, reforçou a proibição de bandeirões e deu indícios de que os torcedores precisarão ficar sentados durante as partidas da Libertadores e da Copa Sul-Americana, a entidade divulgou um comunicado nesta segunda-feira para prestar esclarecimentos.

O órgão assinalou que não proibirá bandeiras pequenas e médias, desde que elas sejam regularizadas. No entanto, reforçou que os bandeirões gigantes seguirão vetados, e lembrou que isso ocorreu devido à morte do torcedor boliviano Kevin Espada, de 14 anos, durante jogo entre Corinthians e San Jose-BOL, pela edição de 2013 da Libertadores, na cidade de Oruro.

"Em nenhum dos pontos o Regulamento de Segurança proíbe os torcedores de ingressarem nos estádios com bandeiras, tiras, trapos, instrumentos musicais, entre outros. Não obstante, se faz necessário regulamentar seus usos, para que os organismos de segurança contem com todas as garantias visuais, operacionais e funcionais para cuidar da segurança de todos os torcedores nos estádios. Para isso, é necessário que os circuitos fechados de televisão contem com campo de observação que permita um bom monitoramento e controle do espetáculo esportivo", escreveu.

"Com respeito à proibição da entrada de bandeiras gigantes, também chamadas de 'tapa tribunas', recordamos que a proibição está vigente desde 2014, como consequência dos lamentáveis acontecimentos ocorridos durante a partida da Libertadores entre San José de Oruro e Corinthians, em 2013, na qual, durante o levantamento de uma 'tapa tribuna' por parte da torcida visitante, foi lançado um sinalizador que acertou o olho de um torcedor (menor de idade), provocando sua morte de maneira instantânea na tribuna", completou.

A Conmebol também ressaltou que não proibirá torcedores de se levantarem nas partidas.

"O Regulamento de Segurança em nenhum caso obriga os torcedores a assistirem ao espetáculo esportivo sentados, sem poderem se levantar, saltar ou expressar as emoções que o futebol desperta. O espírito do artigo 17 do Regulamento, que se refere ao SISTEMA DE VENDA DE INGRESSOS, é contar com elementos apropriados para controle da entrada de pessoas, evitando possíveis superlotações nos estádios, assim como impedir a entrada de pessoas que figurem em lista de infratores, o que já está sendo implementado em vários países sul-americanos", ressaltou.

"O Regulamento de Segurança é uma ferramenta que permitirá aos clubes participantes das diferentes competições de clubes organizadas pela Conmebol e as autoridades competentes locais encarregadas da segurança a preservar a ordem pública e o controle do espetáculo esportivo, e não pretendem em nenhuma circunstância mudar o DNA de nosso futebol sul-americano", completou.