<
>

Vasco comemora primeiro gol de Maxi López, bate Chapecoense e respira contra o rebaixamento

No dia 26 de agosto de 1998, o Vasco venceu o Barcelona de Guayaquil por 2 a 1 para ficar com o título da Copa Libertadores. 20 anos depois, a vitória contra a Chapecoense não teve o mesmo peso, mas também carregou importância.

O triunfo por 3 a 1 foi o primeiro dos vascaínos contra o rival catarinense na história do Brasileirão, e valeu três pontos importantes na briga contra o rebaixamento.

Agora, com 24, o Vasco sobe para a 13ª posição, com três pontos de vantagem justamente para a Chapecoense, que abre a zona da degola na 17ª posição. O Vasco, vale lembrar, fez apenas seu 19º jogo no campeonato.

No primeiro tempo do jogo só o Vasco criou chances para marcar, mas também não foram muitas.

Além de dois chutes de fora da área que pararam nas mãos de Jandrei, a melhor oportunidade saiu aos 45 minutos, no cruzamento pela esquerda que terminou com o desvio de cabeça de Maxi López, que passou bem rente à trave.

Depois da homenagem aos campeões da Libertadores de 1998 no intervalo, a torcida vascaína ganhou mais motivos para comemorar. Começando aos oito minutos da segunda etapa.

Do meio de campo, Maxi López acertou um lançamento na medida para Wagner, que dominou nas costas de Rafael Thyere e bateu na saída do goleiro, abrindo o placar para a equipe da casa.

A Chapecoense chegou a comemorar o gol de empate cinco minutos depois, mas o lance foi anulado por que Amaral, por mais que tenha se antecipado a Martín Silva, se apoiou em Bruno Silva para conseguir fazer o cabeceio.

Aos 33, a história foi parecida, mas desta vez o placar realmente foi alterado. Em cobrança de falta, Leandro Pereira mandou a bola para a rede.

Mas a alegria catarinense, que chegou a pressionar atrás da virada, durou apenas seis minutos. Mais uma vez a Chapecoense perdeu a bola no meio de campo e o Vasco aproveitou. Andrey puxou o contra-ataque e deixou para Maxi López, que puxou para a perna esquerda e chutou no canto.

A vitória ainda teria mais um gol, já nos acréscimos. Em mais um contra-ataque muito bem construído, Thiago Galhardo foi mais um a tocar na saída do goleiro e confirmar os três pontos.

Próximos compromissos

Na quarta-feira, o Vasco volta a campo para fazer uma das partidas atrasadas que tem, contra o Atlético-PR, às 19h30 (de Brasília), na Arena da Baixada. O jogo é válido pela 15ª rodada do Brasileirão.

Já no final de semana, na 22ª rodada, o compromisso será em São Januário, no sábado, às 19 horas, contra o Santos. No dia seguinte, também às 19 horas, a Chapecoense recebe o Palmeiras.

FICHA TÉCNICA:
VASCO 3 x 1 CHAPECOENSE

Local: estádio de São Januário (RJ)
Data: 26 de janeiro de 2018, domingo
Hora: 19 horas (de Brasília)
Árbitro: Igor Benevenuto de Oliveira(CBF-MG)
Assistentes: Felipe de Oliveira e Ricardo de Souza(CBF-MG)
Cartão Amarelo: Raul, Maxi López, Vinicius Araújo(Vas); Rafael Thyere, Bruno Silva(Chape)
Gols: VASCO: Wagner, aos oito minutos e Maxi López aos 39 e Thiago Galhardo aos 46 minutos do segundo tempo CHAPECOENSE: Leandro Pereira, aos 33 minutos do segundo tempo

VASCO: Martín Silva; Lenon, Luiz Gustavo, Bruno Silva, e Henrique; Leandro Desábato(Vinicius Araújo), Yago Pikachu(Thiago Galhardo), Raul, Wágner(Bruno Cosendey) e Andrey; Maxi López Técnico: Valdir Bigode

CHAPECOENSE: Jandrei; Eduardo, Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral(Diego Torres), Marcio Araujo, Canteros e Yann(Vinicius) ; Bruno Silva(Osman) e Leandro Pereira Técnico: Guto Ferreira