<
>

Bin Laden quis explodir Beckham no último Inglaterra x Tunísia

play
Tunísia x Inglaterra na Copa: Linha de Passe distribui palpites sobre partida do grupo G (0:46)

As duas seleções fazem sua estreia no Mundial nesta segunda-feira (0:46)

Inglaterra e Tunísia se enfrentam nesta segunda-feira, às 15h (de Brasília) na estreia das duas seleções na Copa do Mundo da Rússia. O jogo é o mesmo que abriu a competição para as duas equipes há 20 anos, no Mundial da França. Na ocasião, os ingleses venceram por 2 a 0 em um jogo marcado por briga de torcedores na cidade de Marselha.

Anos depois, porém, descobriu-se que o duelo poderia ter tido notícias ainda piores. Osama bin Laden teria planejado um ataque terrorista para a partida, que teria explodido o goleiro David Seaman e a então promessa David Beckham e certamente matado muita gente no estádio.

A história virou um livro: “Terror em campo: como Bin Laden fez Beckham e a Inglaterra como alvos”, escrito por Adam Robinson, um jornalista do Oriente Médio. E o caso é baseado em notas encontradas escritas por Ahmed Zaoui, outro terrorista da AL-Qaeda.

O plano era bem detalhado:

“O Sheik (como Bin Laden era conhecido), que Alá o tenha, pediu que observássemos os movimentos de David Seaman (o goleiro), Alan Shearer (o jogador mais famoso) e Hoddle (o técnico). Também, graças a Alá, as atenções dele estavam voltadas para dois jogadores jovens que estavam ficando bem conhecidos: Micheal Owen e David Beckham”, começa.

“Nós sugerimos que o homem principal da ação deveria conseguir chegar a Seaman e se explodir. Esse seria o sinal para os outros irmãos começarem o resto da operação”, complementa.

A ideia era colocar três pessoas no estádio como voluntários, com a identificação necessária que lhes daria acesso ao campo. Seria uma ação de cerca de 20 segundos. Um terrorista, vestido com colete bomba, explodiria a si mesmo e a Seaman. No meio à agitação, o segundo terrorista jogaria outra bomba no banco de reservas, onde estavam Hoddle, Beckham e Owen. O terceiro homem atiraria em Shearer e seguiria os disparos em direção à torcida.

A ideia ainda incluía um ataque paralelo ao hotel da seleção dos Estados Unidos, aproveitando para matar os jogadores enquanto eles assistiam à partida da Inglaterra. Um terceiro ataque ainda estaria programado para a embaixada norte-americana em Paris.

Anos depois, o técnico Glenn Hoddle chegou a falar sobre o tema.

“Eu não sabia na época, mas me disseram anos depois que tentaram explodir o banco inglês. Isso nem passava pela minha cabeça que fosse uma coisa possível”, disse.

De qualquer forma, a história é controversa até hoje. Há quem diga que serviu apenas para aumentar o glamour em torno do nome de Bin Laden. E o plano parece, de fato, mirabolante. Mas também vale lembrar que as pessoas também pensariam o mesmo do ataque às Torres Gêmeas e ao Pentâgono, feito pelo mesmo Bin Laden em 2001.

E o terrorista parecia gostar de futebol. Há relatos de uma visita dele à Inglaterra em 1994, quando ele foi a dois jogos do Arsenal. O mesmo Adam Robinson também diz que Bin Laden comprou uma camisa de Ian Wright para o filho durante sua estadia em solo inglês.

Fato é que a Inglaterra venceu aquela partida dentro de campo: 2 a 0, com gols de Shearer e Scholes. Hoje técnico, Gareth Southgate foi titular daquela partida como zagueiro. O time inglês acabou caindo para a Argentina, nos pênaltis, nas oitavas de final daquela Copa do Mundo.

Desta vez, a Inglaterra estreia na Copa do Mundo contra a Tunísia nesta segunda-feira, às 15h (de Brasília). O jogo fecha o grupo G, que também conta com Bélgica e Panamá.