<
>

Kalec e Aoshi cravam: OPK quer voltar ao CBLoL como campeã do Circuito Desafiante

Suporte e topo serão os líderes da OPK na busca pela vaga no CBLoL Divulgação / Operation Kino

Dos seis participantes da primeira etapa do Circuito Desafiante (CD), dois já sentiram o gostinho de disputar o Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) no passado. Voltar à elite como campeão é o principal objetivo da Operation Kino (OPK), de acordo com o atirador Rodrigo “Kalec” Rodrigues: "todos na organização tem como ganhar o Circuito Desafiante e subir direto para o CBLoL".

Criada no início de 2016 com a aquisição do elenco que pertencia ao Jayob e-Sports, a OPK disputou quatro edições do CBLoL até o fatídico rebaixamento para o torneio da 2ª divisão após terminar a primeira etapa do ano passado em sexto lugar na Fase de Classificação e, posteriormente, ser derrotado para a INTZ Genesis - antigo “time B” da INTZ que deu origem a Team oNe.

A etapa que abre o Circuito Desafiante deste ano será a segunda na qual a OPK tentará voltar a fazer parte do CBLoL. Na tentativa anterior, a equipe “bateu na trave”: derrotas para a KaBuM na semifinal e para a CNB e-Sports Club na série de Promoção. Para o topo Franklin "Aoshi" Coutinho, "faltaram detalhes" na Fase Eliminatória do último CD "já que nossa semifinal foi, basicamente, uma final antecipada e depois, para a série de Promoção, acho que não nos preparamos de maneira adequada".

Sobre os "detalhes", o topo elegeu "duas coisas que teriam feito bastante diferença" na semifinal do CD: "como a série terminou 3 a 2 [para a KaBuM], algumas mudanças no draft e adaptação mais rápida".

O elenco da OPK que disputou a última série de Promoção mudou um pouco com relação a este que disputará o Circuito Desafiante. Alguns jogadores saíram, como o meio Matheus "Dynquedo" Rossini, e outros chegaram, como Kalec. Analisando as duas formações, Aoshi afirma que "essa OPK tem mais experiência, ainda mais com a vinda de Willyan ‘Wos’ Bonpam [Suporte] e Fernando ‘Ferchu’ Aoki [Caçador], que muda todo o estilo de jogo porque eles têm mais claramente a maneira como sabem e gostam de jogar".

Categórico, o topo afirma que as expectativas da OPK para o CD "como sempre é ganhar" e ele quer utilizar o torneio "para me provar como jogador retornando ao CBLoL". Também confiante, Kalec diz que "o campeonato vai ter um bom nível por conta de algumas equipes muitas qualificadas, mas temos total confiança na nossa capacidade de superá-las".

Além de times que já fizeram parte da elite, a primeira etapa do Circuito Desafiante também contará com a presença de jogadores renomados e até estrangeiros. Por conta disso, especialistas e a comunidade deram ao torneio o famigerado rótulo de "mais disputado de todos os tempos". Kalec não sabe "se esse será o mais disputado, mas o nível será alto e teremos alguns dos jogadores mais famosos do país participando".

Lúcido, o atirador relembra ainda outras edições do torneio da 2ª divisão que tiveram alto nível, "como a que contou com as participações da ProGaming e-Sports, INTZ Genesis e T Show". Sobre possíveis "contribuições" que nomes renomados trarão para o CD, Kalec acredita que "a maior contribuição será a tensão que esses jogadores e essas equipes atraem". "Provavelmente esse vai ser o CD mais assistido de todos", crava o jogador. Para Aoshi, "nomes grandes fazem, sim, diferença mas independente de nomes específicos, a qualidade do Circuito só vem melhorando há algum tempo". De acordo com o topo, isso acontece "tanto por um investimento maior, quanto pelo número de jogadores bons vir aumentando". "O Circuito é sempre porta de entrada", afirma o jogador.

Aoshi e Kalec são dois dos muitos jogadores que já viveram as realidades de disputarem o CBLoL e CD. Na visão do topo, o time que quer chegar a elite brasileira tem que "achar bem o seu estilo de jogo e ter uma estrutura adequada", além de "dedicação e garra". Kalec acredita "que não existe segredo: com 90% de esforço e 10% de sorte é possível ter sucesso".

"Talento e trabalho duro de todas as partes. A organização precisar estar contribuindo para dar as melhores condições aos jogadores. É preciso ter um bom treinador com conhecimento e foco e os integrantes da equipe precisam estar unidos e treinando o máximo possível", analisa o atirador.

Uníssonos, os dois jogadores apontam a T Show como a principal adversária, a "pedra no sapato" da Operation Kino na busca pelo título do CD e na vaga do CBLoL. "Eles são um time com uma base que está há muito tempo junta e todos com experiência de CBLoL", analisa o topo. Outra "ameaça", na visão de Kalec, é o Flamengo eSports, que estreará oficialmente na modalidade nesta edição do CD. O atirador completa dizendo que "vamos respeitar e estudar todos os times da competição".

Se as últimas etapa do Circuito Desafiante poderiam levar até três equipes para o CBLoL, a partir deste ano apenas duas terão a chance de serem promovidas para o principal torneio do País. Kalec acredita que a mudança deixará o CD ainda mais competitivo e afirma que "o sistema novo também é mais justo" já que "as equipes que subirem serão, com certeza, merecedoras". Aoshi pensa um pouco diferente: "imagino que o foco para todos seja sempre ser campeão, então a competição será a mesma".

Questionados sobre qual equipe gostaria de enfrentar caso a Operation Kino precise disputar, mais uma vez, a série de Promoção para chegar ao CBLoL, Aoshi afirma que "nem penso nisso, só penso em subir como campeão". Kalec acompanha o companheiro dizendo que o "nosso objetivo é subir em primeiro lugar".

O primeiro desafio da Operation Kino no Circuito Desafiante será a 5Fox E-sports Club, equipe que entrou na competição após a compra da vaga e da formação que pertenciam ao CNB Trinity White, um dos times que compõem a categoria de base da CNB.