<
>

Salt Lake City quer sediar Jogos Olímpicos de Inverno de 2030

Salt Lake City está preparando uma candidatura para sediar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2030. A capital de Utah já recebeu os jogos em 2002, quando a Noruega terminou no topo do quadro de medalhas, e acredita-se que o evento pode ser bom economicamente. Uma das ideias é reutilizar as instalações usadas na edição do começo do século.

Em entrevista à FOX 13, Fraser Bullock, empresário e co-presidente do Comitê Exploratório da cidade, afirmou que sediar as Olimpíadas de inverno custariam entre US$ 1,5 bilhão e US$ 1,6 bilhão (aproximadamente entre R$ 4,9 bilhões e R$ 5,2 bilhões), incluindo as renovações das instalações já existentes.

“Temos as instalações já construídas. Podemos economizar de muitas maneiras para fazer esse orçamento dar certo”, declarou o COO dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2002, que acredita que reutilizando a infraestrutura já existente pode se economizar US$ 400 milhões (R$ 1,3 bilhão).

Scott Blackmun, chefe executivo do Comitê Olímpico dos Estados Unidos, disse no começo do mês que isso geraria “desafios significantes”, uma vez que cidades americanas já estão se candidatando para receber o evento em 2026 e que a edição de 2030 viria apenas dois anos após os Jogos Olímpicos de Verão de 2028, que será em Los Angeles.

Os Estados Unidos já receberam as Olímpíadas de inverno em quatro oportunidades: Lake Placid em 1932 e 1980, Squaw Valley em 1960 e Salt Lake City em 2002. Salt Lake City 2002 foi marcada por um escândalo de compras de voto, que culminou com a expulsão de dez membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) e mais dez pessoas sancionadas.

Reno e Denver são outras cidades americanas que pensam em receber edições futuras dos Jogos Olímpicos de Inverno.